Vídeo: Depois de dar piti, OAB diz que Gilmar Mendes não é digno de ser ministro do STF

Gilmar_Mendes110_OAB

Fernando Brito, via Tijolaço em 17/9/2015

Gilmar Mendes não consegue mesmo se livrar da “síndrome dos capangas lá do Mato Grosso”. Mas, graças a isso, consegue algumas proezas, como a de colocar contra si toda a advocacia brasileira.

O “chilique” de ontem [16/9], ao levantar-se e dar as costas para o representante da Ordem dos Advogados do Brasil (assista abaixo), acabou dando forma legível a qualquer um sobre a natureza de seu voto e de uma atitude pior do que a grosseria no tribunal.

Porque Gilmar, em seu palanque de toga, ofendeu não apenas a entidade dos advogados, ofendeu a verdade e o bom-senso, ao acusá-la de “conspiradora” e de biombo político do petismo.

Isso, por uma ação proposta há cinco anos – quando sequer se podia imaginar os escândalos da Lava-Jato – e numa ocasião em que era presidida por Ophir Cavalcanti Júnior, notório adversário político de Lula, Dilma e do PT.

Um integrante da corte suprema não pode, em hipótese alguma, violar o que manda a Lei Orgânica da Magistratura e não “tratar com urbanidade as partes, os membros do Ministério Público, os advogados, as testemunhas, os funcionários e auxiliares da Justiça”, embora este dispositivo legal pareça ter se revogado na prática desde a gestão Joaquim Barbosa.

A nota dos presidentes estaduais da OAB, que reproduzo após o vídeo, tem, lá no final, o resumo desta ópera bufa: Gilmar Mendes é “um magistrado que não se fez digno de seu ofício”.

A NOTA DA OAB
O Colégio de Presidentes de Conselhos Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil vem lamentar a postura grosseira, arbitrária e incorreta do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, quando abandonou o plenário diante de esclarecimento prestado, de forma legitima, educada e cortês, pelo advogado e dirigente da Ordem dos Advogados Cláudio Pereira de Souza Neto que, naquele momento e naquele julgamento, representava a voz da advocacia brasileira.

Repudia o Colégio de Presidentes os ataques grosseiros e gratuitos, desprovidos de qualquer prova, evidencia ou base factual, que o ministro Gilmar Mendes fez à Ordem dos Advogados em seu voto sobre o investimento empresarial em campanhas eleitorais, voto vista levado ao plenário somente um ano e meio depois do pedido de maior tempo para análise.

Ressalta o Colégio de Presidentes que comportamento como o adotado pelo ministro Mendes é incompatível com o que se exige de um Magistrado, fere a lei orgânica da magistratura e está na contramão dos tempos de liberdade e transparência. Não mais é tolerável o tempo do poder absoluto dos juízes. Não mais é aceitável a postura intolerante, símbolo de um Judiciário arcaico, que os ventos da democracia varreram.

Os tempos são outros e a voz altiva da advocacia brasileira, que nunca se calou, não será sequer tisnada pela ação de um magistrado que não se fez digno de seu ofício.

Enfatizamos que o ato de desrespeito às prerrogativas profissionais do advogado foi também um ato de agressão à cidadania brasileira e merece a mais dura e veemente condenação. O ato de abandono do plenário, por grotesco e deselegante, esse se revelou mais um espasmo autoritário de juízes que simbolizam um Poder Judiciário desconectado da democracia, perfil que nossa população, definitivamente, não tolera mais.

Leia também:
Gilmar Mendes é denunciado ao CNJ por favorecer familiares no TSE
Gráfica que Gilmar Mendes quer investigar prestou serviços ao PSDB
Gilmar Mendes, uma lebre no TSE e uma tartaruga no STF
Janot arquiva pedido de investigação de Gilmar Mendes contra Dilma e pede pacificação
Recordar é viver: PF flagra diálogo de Gilmar prometendo lobby para governador detido
Jornalista Luis Nassif processa ministro Gilmar Mendes do STF
Gilmar Mendes suspendeu decreto de Lula que dava posse de terras aos índios Guarani Kaiowá
Gilmar Mendes, o defensor-geral de bandidos
Reunião de Cunha, Mendes e Paulinho: Conspiração não entra em recesso
74% dos brasileiros são contra financiamento empresarial de campanhas
A dobradinha Gilmar Mendes-Eduardo Cunha
Financiamento público de campanha: #PanelaçoGilmarDevolva
Para entender a revista Época sobre Gilmar Mendes
#OsAntiPira: TSE aprova contas da campanha de Dilma
Para entender a estratégia Gilmar-Toffoli no TSE
Gilmar Mendes, o tucano de toga
A manobra de Gilmar Mendes
No STF, Gilmar Mendes tenta melar proibição de doações de empresas para partidos e candidatos
A vaquinha profana dos petistas e a Constituição
Bandeira de Mello: Impeachment no STF faria bem para o Brasil
Eduardo Campos e Aécio acionam Gilmar Mendes para “fechar” o Congresso
Documentos revelam participação de FHC e Gilmar Mendes no mensalão tucano
Gilmar Mendes e o pitbull da Veja
Para agradar Marina, PSB vai lançar candidato de faz-de-conta
Serra, Gilmar, Demóstenes e Dantas: Operação Banqueiro revela as duas maiores fábricas de dossiês do Brasil
Operação Banqueiro: “Sem Gilmar Mendes, Daniel Dantas não conseguiria reverter o jogo.”
Cadê o Gilmar Mendes: Médica cubana está em apartamento da Câmara e recebe vaquinha do DEM
Para Bandeira de Mello, declarações de Gilmar Mendes sobre doações são “escandalosas”
Solidariedade da esquerda é bem maior do que Gilmar “habeas corpus” Mendes
Cadu Amaral: As estranhezas de Gilmar Mendes e seus habeas corpus
CNJ vai enquadrar o “vestal” Gilmar Mendes
O verdadeiro temor de Gilmar Mendes
Paulo Moreira Leite: Gilmar Mendes não sabe o que diz ou não diz o que sabe
Gilmar Mendes, o vigilante da “vaquinha”, já contratou a si mesmo para dar aulas a seus subordinados
Dalmo Dallari sobre Gilmar Mendes: “Eu não avisei?”
Gilmar Mendes: Entre a ignorância e o preconceito
Breno Altman: Gilmar Mendes é o cão de guarda do conservadorismo
Jurista da USP detona liminar de Gilmar Mendes
O precedente perigoso aberto por Gilmar Mendes
A controversa carreira de Gilmar Mendes
Gilmar Mendes é um irresponsável, empenhado em gerar crises institucionais
Como e por que Gilmar Mendes e o PSDB mantêm Marcos Valério refém
Gilmar Mendes suspende decreto de Lula que dava posse de terras aos índios Guarani-Kaiowá
Gilmar Mendes: Juiz? Não, réu!
Lobão, Marina, Gilmar Mendes… Os 10 piores casos de complexo de messias em 2014
Paulo Moreira Leite: A chance perdida por Gilmar Mendes no caso da Petrobras
Gilmar Mendes, o Lobão do STF
Gilmar Mendes reafirma sua parceria com a Veja e suspende direito de resposta do PT
Em cinco atos, a justiça ilícita de Gilmar Mendes
Médico estuprador: “Estou tranquilo. Sou amigo do Gilmar Mendes.”
Gilmar Mendes justifica por que engavetou ação do financiamento de campanha

8 Respostas to “Vídeo: Depois de dar piti, OAB diz que Gilmar Mendes não é digno de ser ministro do STF”

  1. Aristóteles Barros da Silva Says:

    Oh, céus! A OAB resolveu se manifestar! Quem diria, hein? OAB que prima por estar do lado de golpistas, apoiando-os com o chamado silêncio dos coniventes. Há uma luz no fim do túnel!!!

  2. Do Lado de Cá Says:

    Essa atitude da OAB não a livra da imagem de apoiadora do golpe de estado no Brasil (em curso mas que não logrará êxito!)

  3. Marcos Ferreira Lima Says:

    Na verdade é lamentável tudo isso que vem acontecendo, porém, o que ninguém comenta é a violação regimental na qual é dada a oportunidade a parte se manifestar durante a votação, onde o ministro Gilmar Mendes teve seu voto contestado, de forma inoportuna, com a permissão do Presidente da Corte, disso não se diz nada,no meu sentir, isso não faz parte das prerrogativas do advogado, isso foi um desrespeito grosseiro ao Ministro., a propósito, tente você advogado, em caso todo igual, usar da palavra perante a Corte Estadual jurisdicionado, e veja o que acontece, e depois busque sua OAB e veja o que ela diz.

  4. pintobasto Says:

    Os maiores ladrões de dinheiro público têm sido todos do PSDB e não adianta tentar enganar-se a si próprio.

  5. Vilmar Andrades Says:

    Porque será que a OAB está sempre contra quem aponta a roubalheira do PT? Todos sabemos bem. Bando de salafrarios vendidos.

  6. Claudionir Viana Says:

    A opinião da OAB não é uma unanimidade, em que pese representar uma laboriosa categoria de profissionais, não representa a opinião de todos os brasileiros, mas deve ser respeitada por todos. A causa do piti do Min. Gilmar Mendes é a indescente ajuda da iniciativa privada nas campanhas eleitorais. Contudo acho mais indescente é usar o milhões de reais dos cofres públicos para financiar campanhas eleitorais, tirando da saúde, educação, infraestrutura de estradas, segurança pública, etc. Quem quiser ser político que arque com suas despesas. Tenho dito.

  7. pintobasto Says:

    Com a palavra o Coselho Nacional de Justiça! Punição de Gilmar Mendes tem que ser exemplar, afinal ele ministro e deu um péssimo exemplo. Demissão do cargo de juiz do STF imediatamente.

  8. Eliane Barroso Says:

    Com sua prepotência imbecil ele desmoraliza o STF!!! O que se pode fazer para tirá-lo de lá? É “Impeachment”????

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: