Plano de saúde é um dos maiores financiadores da base aliada de Eduardo Cunha

Eduardo_Cunha_PMDB93_Maos_Cabeca

A Bradesco Saúde está entre as cinco empresas que mais financiaram – cerca de R$4 milhões – a campanha de 214 deputados que acompanharam Eduardo Cunha em votações emblemáticas.

Via Saúde Popular em 17/8/2015

Um cruzamento de dados feito pelo projeto Faces de Cunha, do site Brasil de Fato, mostra que a Bradesco Saúde está entre as cinco empresas que mais financiaram a campanha de 214 deputados que acompanharam Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, em votações emblemáticas (terceirizações, financiamento de campanha e maioridade penal). Foram mais de R$4 milhões distribuídos entre 11 partidos, sendo que metade deste valor foi para o PSDB (R$1,2 milhão) e PMDB (R$820,9 mil). Este último, partido de Cunha.

Eduardo_Cunha_PMDB99_Plano_Saude

Organizações populares que defendem uma reforma política com o fim do financiamento privado de campanha alertam: “Quem paga a banda, escolhe a música”. “Vemos que o dinheiro usado nas campanhas tem origem, na sua maior parte, de empresas privadas, que financiam os candidatos para depois obter vantagens nas decisões políticas, ou seja, é uma forma clara e direta de chantagem”, diz o texto da campanha com mais de 500 organizações populares, que pede uma constituinte do sistema político.

À campanha de Eduardo Cunha (PMDB/RJ), a Bradesco Saúde doou R$250 mil. A empresa apresenta-se como líder do mercado, com 4,5 milhões de clientes. O presidente da Câmara tem colocado em pauta uma série de medidas que, para organizações de saúde e especialistas, como a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), enfraquecem o Sistema Único de Saúde (SUS) e dão mais força aos planos de saúde privados.

Entre as iniciativas que privilegiam planos de saúde, está a Medida Provisória (MP) 627, da qual Cunha foi relator. O texto tratava de alterações na tributação dos lucros obtidos por multinacionais brasileiras. O deputado inseriu na MP um artigo que estabelecia redução do valor das multas que planos de saúde deveriam pagar.

Segundo o Ministério da Saúde, as operadoras privadas que descumprem obrigações contratuais e legais receberiam um perdão de cerca de R$2 bilhões, caso a emenda fosse aprovada. O artigo foi vetado pela presidenta Dilma Rousseff.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos planos de saúde, proposta pelo deputado Ivan Valente (PSOL/SP) no início da atual legislatura, por exemplo, foi vetada pelo presidente da Câmara. Valente obteve as assinaturas necessárias, mas a instalação da comissão foi barrada por Cunha, que alegou “falta de foco”.

“A decisão de Cunha em barrar a instauração da CPI dos Planos de Saúde é uma meramente política, uma vez que todos os requisitos para justificar uma investigação foram cumpridos”, disse Valente sobre o veto. Segundo o deputado paulista, além de investigar as operadoras e debater a situação da saúde, a CPI deveria discutir “a influência dos planos de saúde na política”.

O presidente da Câmara também votou a favor da MP 656, que permitiu a entrada de capital estrangeiro na assistência à saúde. A MP foi aprovada em sua totalidade, sendo convertida na Lei nº 13.097.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 451, que insere planos de saúde como direitos dos trabalhadores, obrigando empregadoras a garantir o benefício, também é de autoria do deputado. Em manifesto contra de proposta, organizações que defendem o direito à saúde, como o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e a Abrasco, apontam que, além de aumentar o lucro das empresas de saúde privada, a medida irá, a longo prazo, transformar o SUS em um sistema precário, utilizado apenas para os pobres e desempregados.

“Se tal medida prevalecer, haverá um SUS definitivamente de baixa qualidade para os que não podem pagar pela saúde – os pobres, desempregados, aposentados, viúvas, órfãos – convivendo com o resto da população empregada com acesso a planos privados caros, de categorias diferenciadas conforme for o porte do seu empregador, cuja garantia de qualidade é uma incógnita frente à frágil regulação do setor. Garantia de desigualdade de atendimento permitido pela própria Constituição, ferindo o princípio da isonomia e o da igualdade no SUS”, aponta o manifesto.

Orçamento impositivo
A gestão de Cunha também aprovou a Emenda Constitucional (EC) 86/15, conhecida como emenda do orçamento impositivo. O texto obriga o Executivo a cumprir as emendas parlamentares ao Orçamento até o limite de 1,2% da receita corrente líquida realizada no ano anterior. Em 2015, isso representa quase R$10 bilhões em emendas. Metade do valor deverá ser aplicada na saúde, o que inclui o custeio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Na avaliação da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), além de continuar o subfinanciamento do SUS, a emenda dá poder ao legislativo de “apresentar as formas e os destinos de aplicação desses investimentos, reduzindo assim a autonomia do Ministério da Saúde na condução das políticas públicas e na estruturação do SUS”.

Doações cumprem a lei
Procurada pelo Saúde Popular, a assessoria de imprensa da Bradesco Saúde destacou, em nota, que as doações de campanhas da empresa ocorrem a diversos partidos e políticos. “As doações realizadas pela Bradesco Saúde a partidos políticos e seus representantes são feitas rigorosamente dentro da legislação eleitoral em vigor, com total transparência, o que permite que qualquer cidadão possa ter acesso à informação. Essas doações são realizadas de forma a contemplar os diferentes segmentos da sociedade, o que significa diferentes partidos e correntes políticas do país”.

A assessoria de imprensa do deputado Eduardo Cunha também foi procurada, mas não houve retorno até a publicação da reportagem.

Leia também:
A tropa de choque de Eduardo Cunha
Impeachment hoje serve a corruptores e corruptos, diz sociólogo
E então Eduardo Cunha falou o que a classe média queria ouvir
Eduardo Cunha já gastou R$50 milhões com sessões extras na Câmara
“Não vou cair sozinho”: Eduardo Cunha prepara sua saída da cena política
Projeto de Eduardo Cunha favorece saúde privada e pode enfraquecer o SUS
Filha de Eduardo Cunha ganhou três contas de deputados desde que pai assumiu a Câmara
Denúncia contra Eduardo Cunha pode ligar Lava-Jato à privataria tucana
“Bancada do retrocesso” recebeu mais de R$280 milhões de empresas para campanhas eleitorais
Procuradoria Geral pede 184 anos de prisão para Eduardo Cunha
Paulinho da Força para Cunha: “Você é a pessoa mais correta que eu já encontrei na vida.”
É irônico a oposição pedir saída de Dilma e defender Cunha, diz leitor
Ricardo Melo: TCU, Tribunal Criminoso da União
Delator fez doação de R$125 mil à igreja de Eduardo Cunha, diz PF
Eduardo Cunha faz reunião (secreta?) na Globo
Ministro do TCU admite pressão para rejeitar contas de Dilma
Filho de ministro do TCU envolvido na Lava-Jato é o todo-poderoso do Solidariedade
TCU: Ministro que ameaça rejeitar as contas de Dilma é denunciado por receber propina
Ministro do TCU é acusado de receber verba desviada
A “imparcialidade” do procurador do TCU que pediu a rejeição das contas de Dilma
Ministro do TCU é acusado de receber verba desviada
“Coincidência”: Eduardo Cunha tem escritório político no andar de cima da UTC
Dilma Bolada, a nova inimiga de Eduardo Cunha
Eduardo Cunha prepara pacote de maldades anti-OAB para o 2º semestre
Dalmo Dallari: “Não vai haver golpe nem impeachment.”
Bob Fernandes: Eduardo Cunha vai viver sangramento e solidão
Luiz Flávio Gomes: Os dez passos para colocar Eduardo Cunha na cadeia
STF pede informações a Moro sobre citação de Eduardo Cunha
Provas contra Eduardo Cunha envolvem contas na Suíça
A CBN/Globo lança Eduardo Cunha para a Presidência da República
Antonio Lassance: Acuado e aloprado, Cunha tenta um golpe em causa própria
João Paulo e Eduardo: Dois pesos e duas medidas para os dois Cunha de dois partidos diferentes
As novas eleições presidenciais já estão marcadas
PSDB se cala sobre Cunha e #CadeAecio bomba no Twitter
Fascistas digitais elegem Eduardo Cunha seu mais novo herói
Hipocrisia da mídia: Dono da Globo também estava em jantar de Lula com Odebrecht
O ferro será malhado ainda quente em Eduardo Cunha
Tropa de choque de Eduardo Cunha está em vários partidos, estados, na oposição e na situação
Janio de Freitas: Na moda de collorir
O fim da vergonhosa era Eduardo Cunha
Reunião de Cunha, Mendes e Paulinho: Conspiração não entra em recesso
Repórter da Globo resolve ser sincera: “A ordem é ouvir só o Paulinho da Força.”
Vídeo: Deputado Sílvio Costa aponta bipolaridade dos golpistas da oposição
Jornal Nacional atua como assessor de imprensa de Eduardo Cunha
O investigado que intimida
Leandro Fortes: Asteroide atingiu o Brasil e matou todos os eleitores de Collor
Bob Fernandes: Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Luis Fernando Verissimo: Quando vamos acordar para a barbárie golpista que ameaça o Brasil?
Em 2014, Lauro Jardim, “colonista” da Veja, já achava que Eduardo Cunha era meio esquecido
Recordar é viver: Furnas pagou R$73 milhões a mais por ações vendidas a empresários ligados a Eduardo Cunha
Lobista descreveu o caminho do dinheiro até Eduardo Cunha
Deputado pede afastamento imediato de Cunha: “Não tem condições morais.”
Sob “barulhaço”, Eduardo Cunha vai a tevê exaltar “independência” e não cita corrupção
Eduardo Cunha é como cão bravo: Sob pressão, parte para o ataque
Em defesa do banditismo, da corrupção e da família cristã tradicional
Chega ao fim a presidência de Eduardo Cunha
Vídeo mostra como Eduardo Cunha exigiu os US$5 milhões
Eduardo Cunha e os Três Poderes
Emenda de Eduardo Cunha livra Soares e Malafaia de dívida milionária
O que Eduardo Cunha quer com sua proposta de parlamentarismo?
O Globo começa a “apertar” Cunha. E a lembrá-lo que seu papel é de coadjuvante, não de líder
Guilherme Boulos: Assim dissolve-se a democracia brasileira
“Padrão Fifa” elegeu Congresso “padrão Blatter”. Não eram só R$0,20. Era o pré-sal…
Jornal O Globo acusa Eduardo Cunha de corrupção
Eduardo Cunha diz que OAB é cartel e não tem credibilidade
Cada preso é um cliente: O que se esconde por detrás da redução da maioridade penal
Quando vão bater panelas contra Eduardo Cunha?
Luciano Martins Costa: O que há por trás desse empenho em aprovar a redução da maioridade penal?
Gilson Caroni Filho: Além de reduzir a maioridade penal, Cunha reduziu a democracia
As máquinas de vender intolerância e preconceito
Maioridade penal: A lista de deputados vira-casacas
#CunhaGolpista: Em menos de 24 horas, 20 deputados mudam voto e redução da maioridade é aprovada
Derrota de Eduardo Cunha: Câmara rejeita redução da maioridade penal
Financiamento público: Deputados são office-boys de empresas na hora de apresentar emenda parlamentar
Brizola previu: O aparelhamento do estado pelos evangélicos e a ascensão de Cunha
As falcatruas de Eduardo Cunha na Telerj e na Cehab/RJ
O Congresso Nacional tem dono. E, definitivamente, não é o povo
Reforma política do Eduardo Cunha é um deboche com o povo brasileiro
Eduardo Cunha desengaveta projeto que legaliza o jogo do bicho
A reforma política de Eduardo Cunha
A dobradinha Gilmar Mendes-Eduardo Cunha
Paulo Moreira Leite: A síndrome de Pelé
Paulo Moreira Leite: Marco Aurélio Mello deu uma aula de Constituição e democracia
Fifa: Saiba por que o silêncio de Ronaldo e Pelé está ligado a J.Hawilla e aos EUA
Financiamento privado: Um caso claro de violação da Constituição
“Assisti, mas deletei”, diz deputado que viu vídeo pornô no plenário da Câmara
Shopping do Eduardo Cunha: Saiba o nome dos deputados que foram comprados para aprovar financiamento empresarial
Golpe: Eduardo Cunha consegue a aprovação do financiamento privado
Financiamento de campanha e distritão: Numa só noite, Eduardo Cunha teve duas derrotas
A trama de Eduardo Cunha para privatizar o SUS
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha, o falsificador
A ficha de Eduardo Cunha, o homem que falta para “moralizar a política”
Cavalo não desce escada: PMDB não sai do governo
A rica biografia de Eduardo Cunha, o herói da oposição
“Se presidir a Câmara, engaveto a regulação da mídia”, diz o “aliado” Eduardo Cunha
Eduardo Cunha, o sabotador da República
Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Entenda como funciona a oposição “extraoficial” de Eduardo Cunha
Presidência da Câmara: As diferenças entre Arlindo Chinaglia e Eduardo Cunha
Chinaglia avança após novo indício de cumplicidade entre Eduardo Cunha e doleiro
Cinismo não tem limite: Eduardo Cunha e Antônio Anastasia se queixam de vazamentos sem provas
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha vendeu aos empresários o compromisso de aprovar a terceirização
Terceirização: Como ficará seu emprego se Eduardo Cunha cumprir a promessa que fez aos empresários
STF autoriza buscas em gabinete de Eduardo Cunha
Mesmo envolvido no escândalo da Petrobras, Cunha continuará o queridinho da mídia?
Depoimento de ex-diretor complica ainda mais a situação de Eduardo Cunha
Doleiro diz que Eduardo Cunha era “destinatário final” de propina
Eduardo Cunha e Renan Calheiros são a cara do Brasil
Eduardo Cunha, o senhor do caos
R$1 bilhão: Eduardo Cunha consegue a aprovação de shopping para deputados
Quem se atreverá a dar um “rolezinho” no shopping de Eduardo Cunha?
A democracia, o financiamento empresarial e a corrupção
Financiamento público de campanha: #PanelaçoGilmarDevolva
Operação Lava-Jato confirma que financiamento privado nas eleições faz mal à democracia
Miguel Rossetto: “Financiamento empresarial corrói a transparência dos partidos.”
“O financiamento privado de campanha nada mais é que um empréstimo, pago depois com dinheiro público.”
Gilmar Mendes justifica por que engavetou ação do financiamento de campanha
O engavetador tucano Gilmar Mendes acusa OAB de ser laranja do PT

3 Respostas to “Plano de saúde é um dos maiores financiadores da base aliada de Eduardo Cunha”

  1. pintobasto Says:

    Faltam líderes na sociedade. Nos meios mais pobres ainda encontramos lideranças que são cooptadas ou engolidas pela politacalha local.
    Só com líderes politizados podemos conseguir uma sociedade mais justa no caminho da perfeição!

  2. Dayse Silva Says:

    O Povo Brasileiro não pode ser distraído.
    A questão da saúde, cada vez mais, escapa ao controle do Estado Brasileiro. E o que é pior, promovido por certos membros do Poder Legislativo.
    O ideal, na verdade, é que toda a saúde fosse pública e de qualidade.
    Saúde privada não é do interesse da maioria da sociedade brasileira. Afinal, saúde privada busca enriquecer as instituições privadas. E a riqueza de empresas privadas é, absolutamente, incompatível,com a saúde e a vida da maioria.
    Não sejamos distraídos com questões tão cruciais para todos nós: a saúde. Exercitemos a nossa cidadania.
    É preciso que fiscalizemos os atos dos membros do Parlamento que elegemos; é preciso ver de que lado estão: do nosso lado ou do lado dos mais ricos e poderosos.

  3. José Jésus Gomes de Araújo Says:

    A “emenda jabuti” é uma imoralidade, um dispositivo totalmente estranho ao texto legal, nele inserido. A formulação dos títulos dos projetos de lei com “Dispões sobre… e dá outras providências” é um insulto; outras previdências são questões completamente estranhas ao “Dispõe sobre…”; aí, os parlamentares colocam de carona coisas de seu interesse, que são aprovadas juntamente com o objeto da lei. Imoral, cínico, desrespeitoso à representatividade parlamentear, muitas vezes canalha. E não há protesto.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: