Jornal argentino repercute “campanha suja” contra Lula

Lula_Pagina12

Em artigo, jornal Página/12 fala sobre os ataques contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre a conduta do procurador responsável por abrir inquérito contra o petista e relembra outros momentos.

Luana Spinillo, via Agência PT em 28/7/2015

O jornal argentino Página/12 publicou, no domingo (26), um artigo em que fala sobre a “campanha suja” contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em curso no Brasil. No texto, Darío Pignotti lembra a recente investigação aberta pelo Ministério Público Federal contra o petista e dá ênfase ao currículo “duvidoso” do procurador.

“No Brasil, um procurador-adjunto, sem currículo acadêmico expressivo e com uma ficha de serviços judiciais em que sobressaem 245 avisos por desempenho negligente e/ou demorado, acusou em tempo recorde o ex-presidente e líder do PT”, diz o artigo.

Além disso, o texto relembra a campanha difamatória contra Lula em 1989, durante campanha presidencial. “Era preciso descontruir a imagem, ou melhor, a legitimidade de Lula através de notícias trapaceiras e da montagem do debate final no estúdio de televisão”.

No artigo, Pignotti fala sobre a fragilidade da denúncia contra o ex-presidente e relembra publicação da revista “Época”, que cita suposto “tráfico de influências” de Lula.

“Quem vai lendo e relendo os quase 20 mil caracteres da reportagem publicada em 30 de abril e citado pelo procurador para fundamentar suas suspeitas, chegará a conclusão de que a reportagem tem tantos indícios contra Lula como tinham as pastas vazias que levaram à presidência a dupla Collor-Globo em 1989″, afirma o texto.

Em comentário ao jornal sobre os ataques contra o ex-presidente, o líder do PT no Senado, Sibá Machado, disse que há uma tentativa de impedir Lula de retornar à Presidência da República, em 2018.

“O eventual retorno do líder petista nas eleições de 2018 é uma hipótese contra a qual trabalha a família Marinho, dona da Globo, e seus sócios políticos locais. Esse bloco contrário ao eventual regresso de Lula em 2018 possivelmente conta com o aval de grupos de interesses estrangeiros, “provavelmente norte-americanos”, comprometidos com a restauração de um projeto de livre mercado hemisférico, comentou com este jornal o chefe da bancada de deputados do PT, Sibá Machado”, conclui o texto.

Leia, a seguir, a tradução livre da matéria.

CAMPANHA SUJA CONTRA LULA É REAVIVADA
No Brasil, um procurador-adjunto, sem currículo acadêmico expressivo e com uma ficha de serviços judiciais em que sobressaem 245 notificações por desempenho negligente e/ou demorado, acusou em tempo recorde o ex-presidente e líder do PT.
Darío Pignotti, via Página/12 em 26/7/2015

Pastas vazias. Em dezembro de 1989, as intenções de voto para o candidato Luiz Inácio Lula da Silva cresciam sistematicamente, quanto se estabilizavam as do candidato favorito Fernando Collor de Melo, finalmente eleito presidente graças ao auxílio prestado pela corporação Rede Globo. Era preciso descontruir a imagem, ou melhor, a legitimidade de Lula através de notícias trapaceiras e da montagem do debate final no estúdio de televisão, na qual Collor chegou um uma volumosa pasta em que assegurava que estavam provas irrefutáveis dos ilícitos cometidos por seu viral. Depois de 21 anos, o ex-diretor da Globo admitiu ter maquinado o espetáculo de Collor posando de justiceiro diante das câmaras com um portfólio cheio de papéis em branco.

Pesquisas subsequentes combinadas com essa fraude eletrônica, complementada pela reedição do debate dos candidatos igualmente tendenciosa, reverteram a curva de aprovação ascendente de Lula, que três dias depois, em 17 de dezembro de 1989, sofreria sua primeira derrota presidencial perante a Globo, a única força política que sobreviveu impune aos 21 anos de ditadura, obstruindo a transição democrática (censurando as mobilizações massivas por eleições diretas), e se prolongou como partido hegemônica até os dias atuais.

Duas semanas atrás, um procurador-adjunto, sem currículo acadêmico expressivo e com uma ficha de serviços judiciais em que sobressaem 245 avisos por desempenho negligente e/ou demorado, abriu um “Processo de Investigação Criminal” em tempo recorde contra Lula, em quem recaem suspeitas de crime de “tráfico de influência internacional”.

O funcionário suplente conhecido por sua velocidade de tartaruga na comarca judicial de Brasília (integrada por vários procuradores e juízes antilulistas) iniciou o procedimento investigativo atropelando o prazo previsto pela procuradora titular que terminava em setembro.

E o fez baseado em matérias publicadas pelo grupo Globo nas quais se associava as viagens de Lula ao exterior entre 2011 e 2014 com alegada representação fraudulenta em favor da construtora Odebrecht, com atuação em vários países e há décadas favorecida pelas gestões de governantes civis e militares.

Em uma matéria ilustrada com a imagem de Lula com gesto intrigante, a revista Época o define como um “operador” das construtoras e associa, sem comprovação documental nem testemunhal, sua agenda internacional com o tráfico de influências.

O semanário da Globo mostra fac-símiles que confirmam as viagens, o que é redundante, porque estas foram públicas, e ignora que a maior parte delas não foram realizadas a pedido da Odebrecht. Para completar a desinformação, a nota se esquiva de explicar devidamente que várias dessas viagens ao estrangeiro foram para receber prêmios e títulos de doutor honoris causa na Espanha, Estados Unidos e México, ou para reunir-se com ex-presidentes, como fez por duas vezes com Bill Clinton.

Quem vai lendo e relendo os quase 20 mil caracteres da reportagem publicada em 30 de abril e citado pelo procurador para fundamentar suas suspeitas, chegará a conclusão de que a reportagem tem tantos indícios contra Lula como tinham as pastas vazias que levaram à presidência a dupla Collor-Globo em 1989.

A falta de informação oferecida pela Globo em essa e outras matérias similares se transformaria em um escândalo mundial em questões de horas: agências internacionais e redes de televisão globais replicaram a notícias de que Lula estaria envolvido em um suposto complô. A bola de neve se agigantou com o passar das semanas e aquela notícia oca inspirou análises cautelosas, especialmente na imprensa anglo-saxônica, e ainda mais nos meios financeiros anglo-saxões como o Financial Times, que na semana passada escreveu um editorial sobre o “filme de terror” de um Brasil que se afunda na corrupção e só se salvará com um plano de ajuste exemplar. Como é imposto â Grécia? Possivelmente sim.

Aliás, as teses neoliberais ao extremo do Financial Times são tomadas como próprias pela Globo, que imagina como um futuro próximo pós Lula e pós Dilma Rousseff, que a querem fora do Planalto apesar da política ortodoxa de seu ministro da Fazenda Joaquim Levy, que já foi funcionário do FMI e do banco privado Bradesco.

A urgência do grupo midiático mais concentrado da América Latina para virar a página da era “lulopetista” se resumiu na semana passada em um artigo de opinião intitulado “Sem tempo” com argumentos a favor de uma saída antecipada de Dilma e a continuidade do ortodoxo ministro Levy em uma gestão pós golpe institucional.

Como os nazistas
Poucos jornalistas conhecem como Tereza Cruvinel a lógica política da Globo, empresa na qual trabalhou durante mais de uma década como colunista política. Cruvinel assegura que o plano editorial para acabar com o capital simbólico e político de Lula tem um capítulo fundamental com sua chegada ao poder em 2003.

“Esta novela começou a ser esboçada desde 2003 e agora começa a tomar forma. Em um epílogo desenhado por seus autores, Lula sai da história, lugar ao qual tem direito por sua trajetória e termina vergonhosamente como um processado [declarado pela Justiça], inelegível, e assim o povo não repete a ousadia de voltar a eleger alguém que veio da pobreza e da classe trabalhadora”, afirma Cruvinel.

Lula respondeu na sexta-feira as acusações da Globo em conluio com procuradores e partidos de direita. “Tenho a impressão de que o que vemos na televisão se parece com os nazistas criminalizando o povo judeu, com os romanos criminalizando os cristãos. Estou cansado de ver este tipo de criminalização contra as esquerdas”, disse.

Vermelho de indignação, enalteceu a honestidade de Dilma, caluniada diariamente com insinuações sem provas, ao falar em um ato com sindicalistas no cinturão industrial de São Paulo. Vestindo a camisa de militante, o ex-presidente percorre o Brasil denunciando a intensão do golpe branco contra Dilma, reivindicando a política econômica distributiva dos governos petistas assim como a continuidade da política externa latino-americanista.

Apesar das companhas contra, tem mantido uma agenda de encontros internacionais que nos últimos meses incluiu os presidentes Evo Morales e Cristina Fernández, o secretário geral da Unasul Ernesto Samper e o titular do Parlamento venezuelano Diosdado Cabello, encontro ocorrido pouco antes de uma missão de senadores oposicionistas brasileiros viajar para a Venezuela para encontrar-se com os referentes golpistas de lá.

Lula é o único sobrevivente da trinca sul-americana, junto com Nestor Kirchner e Hugo Chavez, que em 2005 freou o projeto de “anexação” da Alca fincado por George Bush quando este desembarcou em Mar del Plata acreditando que ninguém se atreveria. Tinha ao seu lado o corpulento presidente mexicano Vicente Fox que se revelou um anão político de burrice diplomática ímpar.

O eventual retorno do líder petista nas eleições de 2018 é uma hipótese contra a qual trabalha a família Marinho, dona da Globo, e seus sócios políticos locais. Esse bloco contrário ao eventual regresso de Lula em 2018 possivelmente conta com o aval de grupos de interesses estrangeiros, “provavelmente norte-americanos”, comprometidos com a restauração de um projeto de livre mercado hemisférico, comentou com este jornal o chefe da bancada de deputados do PT, Sibá Machado.

Leia também:
Celso Amorim: “Acusar Lula de fazer lobby é absurdo.”
Não passarão: Instituto Lula é alvo de atentado terrorista
Repórteres da Veja saem do Facebook após serem desmascarados por Romário
Lula processa Veja por capa criminosa
Globo 1989-2015: 26 anos de campanhas sujas contra Lula
Novo premiê sueco: “Lula é, sem dúvida, uma de minhas maiores inspirações.”
Reagan pode, Lula não
Folha repete 2007: Agora usa até morte trágica de adolescente para atacar legado de Lula
Lula sobre os golpistas: “Agem como nazistas.”
As cinco piores mentiras de O Globo contra Lula em 2015
Ah, se fosse Lula: Obama faz jantar para 70 empresários que fazem lobby pelo fim do bloqueio a Cuba
Paulo Moreira Leite: Conselho Nacional do Ministério Público deve colocar ordem na casa
Paulo Moreira Leite: Para perseguir Lula, basta uma simples dúvida
Dalmo Dallari: “Não vai haver golpe nem impeachment.”
Procurador anti-Lula será investigado pelo Conselho Nacional do Ministério Público
Em alto nível, Lula faz a lista do “compare e comprove” com a gestão FHC
Espalhe a verdade: Mitos sobre Lula
Stanley Burburinho sabe quem pôs a tarja preta em Serra
Polícia do ministro Cardozo esconde o nome de Serra no celular de Marcelo Odebrecht
A guerra da Veja contra o retorno de Lula
Jornal O Globo omite informações para atacar Lula
Lula defende o Bolsa Família e esculacha os hipócritas que foram contra o programa
Hipocrisia da mídia: Dono da Globo também estava em jantar de Lula com Odebrecht
Franklin Martins: “Se Lula não tivesse sido eleito em 2002, o Brasil tinha explodido.”
Dilma chamou golpistas pra briga. Vão encarar?
Um grupo de criminosos, chefiado por um advogado, pede a morte de Lula no Facebook
A cobra vai fumar: Lula entra com queixa-crime contra o Ronaldo Caiado
Crise grega: Sardenberg merece ganhar o prêmio IgNobel de Economia
Lula: Quem quebrou o país foram os governos tucanos
Vídeo: Não somos nazistas!
A fortuna de Lula e os setores masoquistas da classe média brasileira
#OsAntiPira: Relação completa de prêmios recebidos por Lula após deixar a Presidência
Lula defende a Petrobras e convoca petroleiros a preservar maior empresa do Brasil
Ecce homo ou esse é o cara
Habeas corpus: Ombudsman da Folha esculacha a Folha
Instituto Lula à Época: É a última vez que perderemos tempo. Agora terá o mesmo tratamento de Veja
Financial Times: O patrimônio de Lula
Diretor de Veja revela “acordo” com Valério e farsa contra Lula
Forbes publica texto ridicularizando coxinhas anti-Lula
Descobriram a pólvora: Lula não está entre os bilionários da Forbes
Em sua capa, Veja desenha golpe contra Lula e Dilma
Quem vai dar o golpe no Brasil?
Novas denúncias ferem a credibilidade da Ação Penal 470 e da mídia conservadora
Veja confessa: Não há entrevista
Advogado de Valério nega entrevista de seu cliente à Veja
Instituto Lula: “Se Lula quisesse falar com a Folha de S.Paulo, falaria com a Folha de S.Paulo.”
Na ânsia de atingir Lula, Folha esqueceu de ler o hilário habeas corpus que ataca Moro
Luciano Martins Costa: A “barriga” intencional da Folha
Hildegard Angel: Lula, o que você faria se só lhe restasse um dia?
Histeria contra Lula expõe baixarias de Caiado
Janio de Freitas: O que Lula mostrou? Que ele está se movendo e chamando para mudar
Instituto Lula: “A Folha passou agora de qualquer limite.”
Habeas corpus: Folha espalha notícia falsa e depois, singelamente, diz “erramos”
Autor de habeas corpus em favor de Lula tem mais de 140 ações no STF
Para Dalmo Dallari, direita “intolerante, vingativa e feroz” quer atingir Lula
Prender Lula? Terão esta coragem?
Em nota, senadores do PT denunciam “sórdida campanha” contra Lula
É hora de reagir em defesa de Lula
A criminalização da diplomacia comercial brasileira
Quem quer prender Lula?
Odebrecht descarta delação e faz manifesto
Agora é Lula quem está na mira de Sérgio Moro
A ficha suja dos defensores do impeachment de Dilma
O tamanho do ódio por Lula, Dilma e PT
Não sobrou pedra sobre pedra: A resposta de Lula à Época
Diego Escosteguy é o Kim Kataguiri do jornalismo
Espumando, FHC adverte os golpistas divididos: “O alvo é Lula”.
O terceirizado que jogou o Ministério Público no show bizz
MPF arrasa revista Época: Não há provas contra Lula
Denúncia da revista Época contra Lula mancha Ministério Público Federal
A prova da mentira de Época contra Lula
Lula deu uma surra no panelaço
Mujica, O Globo e o “chupa petralhas!”
Tremei, paneleiros. Lula está de volta às ruas!
Revista Época questiona Lula por contrato do governo de FHC
“Confissão” de Lula a Mujica é mais um crime de imprensa
Depois de Dilma, Lula novamente
Época não consegue inovar e repete a farsa
Mujica deveria aceitar o convite sem-noção de Caiado para falar no Brasil
Carta aberta a Mujica: “Perdão pela mídia canalha brasileira, dom Pepe.”
Réquiem para o jornalismo
Lula é odiado porque deveria ter dado errado
Corra, Lula, corra
Como funciona a fábrica de infâmias contra Lula na internet
Lula ironiza pastores evangélicos em palestra: “Jogam a culpa em cima do diabo.”
Vai pro pau: Lula topa a polêmica que FHC pediu na tevê
Chico Buarque: “O alvo não é a Dilma, mas o Lula.”
Na Itália, Lula fala sobre importância do combate à fome
Histórico plano de investimento prevê R$198,4 bilhões para promover crescimento no Brasil
Mentiras e omissões sobre o pacote de concessões
Sorry, coxinhas! Lula é aplaudido na ONU
Lula recebe homenagem da Prefeitura de Roma
Paulo Moreira Leite: Apesar do massacre, memória de Lula persiste
Doações: com Lula é “imoral”, com FHC é “cultural”. A hipocrisia da mídia e o sapato do Brizola
Líder do Retardados Online quer “pegar Lula” na Bahia
Lula se antecipa a nova armação da Veja
Lula: “O PT continuará vivo enquanto os trabalhadores sonharem com uma vida melhor.”
Por que o MCCE parou de fazer ranking da corrupção por partido?
1994-2014: A inflação dos períodos FHC e Lula/Dilma
Lula mostrou o Darf. Quem falta mostrar?
Manchetômetro: Noticiário das Organizações Globo massacra Dilma
Gilmar Mendes suspende decreto de Lula que dava posse de terras aos índios Guarani-Kaiowá
IDH: Comparação entre os governos do PT e PSDB
Salário mínimo: As diferenças entre os governos FHC e Lula/Dilma
Era Lula cria mais empregos que FHC, Itamar, Collor e Sarney juntos
Desigualdade caiu 1,89 com FHC e 9,22 com Lula
Inflação anual de Dilma é próxima à do Lula e inferior à de FHC

Uma resposta to “Jornal argentino repercute “campanha suja” contra Lula”

  1. Bene Bugrao Says:

    O LULA PARA E PAGA CARÍSSIMO! POR NÃO TER AGIDO NA HORA CERTA, PARA REGULAMENTAR ESSA IMUNDÍCIE DE IMPRENSA BRASILEIRA… QUE ME PERDOE A “MEIA DÚZIA” DE PESSOAS QUE TENTAM FAZER IMPRENSA SÉRIA NO BRASIL… SÃO VERDADEIROS HERÓIS!!!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: