Tudo culpa da petralhada: Brasil atingiu meta do milênio em redução de pobreza e fome, diz ONU

Dilma_Brasil_sem_Miseria01

Segundo especialista do Pnud, grupos mais afetados pela pobreza extrema são as mulheres, os idosos, as pessoas com deficiências e as minorias étnicas.

Edgard Júnior, via Agência Brasil e Rádio ONU em 27/7/2015

A especialista do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) Renata Rubian afirmou que o Brasil conseguiu atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, ODMs, em relação à pobreza e à fome. Em Nova Iorque, Rubian disse em entrevista à Rádio ONU que o país buscou metas bem mais ambiciosas do que as determinadas pelas ODMs.

“Por exemplo, a meta de redução da pobreza no Brasil não é de 50%, a meta de redução do Brasil que o governo adotou é de reduzir a 25% a incidência da pobreza extrema. A meta de redução da fome no Brasil também não é de redução de incidência de 50%. É uma meta de erradicação da fome”, disse Rubian.

Em relação aos países de língua portuguesa, ela citou resultados mistos. Rubian falou sobre a situação em Angola, Moçambique, Cabo-Verde, Guiné-Bissau e Timor-Leste, que registrou avanços no setor de saúde.

“O Timor-Leste ainda não atingiu a meta de redução de pobreza, mas a genete vê que o Timor é um sucesso, na verdade, na redução da mortalidade infantil e na melhoria da saúde materna. No caso dos países africanos, é uma situação complexa. A gente vê, por exemplo, Angola e Moçambique que têm um crescimento econômico astronômico. Angola, a gente sabe muito bem de todas as riquezas naturais, como diamantes e petróleo. Mas infelizmente, no caso de Angola e Moçambique, esse crescimento econômico não se traduziu numa redução da pobreza.”

No caso da Guiné-Bissau, Rubian disse que o país enfrentou mais desafios devido a instabilidade política e acabou não registrando avanços na redução da pobreza.

No geral, a especialista do Pnud afirmou que o mundo conseguiu reduzir a taxa de pobreza de 36% em 1990, para 15% atualmente. Segundo ela, os grupos mais afetados pela pobreza extrema são as mulheres, os idosos, as pessoas com deficiências e as minorias étnicas.

Dados
Rubian disse que houve um avanço no plano global, em termos absolutos, mas quando analisados os dados agregados, os desafios continuam em várias áreas. No caso do objetivo 8, da parceria para o desenvolvimento global, Rubian explica que ele propõe mudanças em vários setores como o financeiro, principalmente no comércio internacional. Ainda na lista estão negociações para o perdão da dívida externa de países, acesso a medicamentos e à tecnologia.

“Em termos de tecnologia a gente pode dizer que essa é uma área de tremendo sucesso. A gente até compara… em vários países uma pessoa pobre tem acesso a um telefone celular mas não tem acesso a um banheiro, a um vaso sanitário. É um dado estatístico triste mas é a realidade. Em relação à telefonia celular foi um momento enorme e temos 95% da população, a gente calcula, com acesso a um telefone celular.”

Agenda Pós-2015
Renata Rubian falou também sobre como a luta contra a pobreza e a fome e os esforços para o desenvolvimento se encaixam na nova agenda sustentável pós-2015, que será aprovada em setembro.

A especialista do Pnud chamou a atenção para os princípios de sustentabilidade que vão estar incluídos no novo documento. Ela citou o princípio da integração entre os fatores sociais, econômicos e ambientais e também o da universalidade, que tem duas dimensões.

Rubian explicou que a agenda será aplicada a todos os países: desenvolvidos e em desenvolvimento e trará metas universais, como por exemplo, acabar mundialmente com a pobreza e a fome até 2030.

***

Outros resultados do Plano Brasil Sem Miséria estão sintetizados no quadro abaixo, que mostram como o plano superou todas as metas iniciais.

Dilma_Brasil_sem_Miseria02_Tabela

Leia também:
Uma em cada 5 crianças vive na pobreza nos EUA, diz pesquisa
Riqueza do 1% deve ultrapassar a dos outros 99% no mundo até 2016, diz ONG
American way of life: Brasil se torna o 4º maior credor dos EUA
Bolsa Família é modelo para programa que atende 5 mil famílias em Nova Iorque
Os EUA e os jornalistas com complexo de vira-lata
Vídeo: A desigualdade nos EUA
Miséria: 20% dos nova-iorquinos dependem de ajuda de terceiros para se alimentar
Luiz Aguiar: Falácias e mentiras nas relações entre o Brasil e o mundo
O Brasil no mundo: Um desenho para quem tem complexo de vira-lata entender
Cuba mantém recorde e registra uma das menores taxas de mortalidade infantil do mundo
Em 2016, 1% da população terá mais dinheiro que o restante do mundo
15,5% da população: Alemanha tem maior nível de pobreza desde a reunificação
Rico ostentação: Hotel de luxo simula favela para turistas “experimentarem” pobreza
Secretário-geral da ONU diz que vitória de Dilma mostra reconhecimento à redução da pobreza
Mundo: O abismo entre ricos e pobres cresce
EUA têm 80 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza
EUA têm mais de 1 milhão de crianças sem lar
Reino Unido têm 13 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza
Combate à pobreza: Brasil é destaque em relatório da ONU
Os 400 mais ricos do mundo aumentaram fortuna em US$92 bilhões em 2014
O Bolsa Família está sendo copiado no mundo inteiro
Ex-jurista do Banco Mundial revela como a elite domina o mundo
Noam Chomsky: Manter o público na ignorância é o nome do jogo para os EUA
O mundo sem os EUA
Mauro Santayana: Como os bancos lucram com a fome no mundo
Para Banco Mundial e ONU, o Brasil é exemplo a ser seguido pelo mundo
Moniz Bandeira: EUA promovem desestabilização na América Latina
Depois de destruir o nacionalismo árabe, EUA preparam o bote na América do Sul
11 de setembro: Morrem três jornalistas que investigavam a participação dos EUA no atentado
Queda do preço do petróleo provoca onda de demissões nos EUA
Pesadelo norte-americano: Conheça 10 fatos chocantes sobre os EUA
Reatamento diplomático Cuba-EUA: Geografia e estratégia
Noam Chomsky: “Os EUA são o maior estado terrorista do mundo e se orgulham disso.”
Usaid: EUA infiltram clandestinamente agente para desestabilizar Cuba
EUA: A corrupção nas Forças Armadas torna-se recorrente
Saúde nos EUA: Homem rouba para ser preso e ter assistência médica
Miami, o paraíso dos coxinhas, é a cidade mais miserável dos EUA
New York Times diz que os EUA são o maior estado terrorista do planeta
Mauro Santayana: Os 5 motivos para o declínio dos EUA
Minha Casa, Minha Vida é bem mais barato: EUA gastam US$2 bilhões por ano com habitação para sem-tetos
EUA manipulam os “protestos” em todo o mundo
EUA declaram guerra à democracia
Você sabia que os EUA têm um programa para fazer médicos cubanos desertarem?
EUA: Terra dos ladrões e lar dos escravos
EUA: Pesquisa em 68 países aponta o país como a maior ameaça à paz no mundo
EUA queriam invadir o Brasil, Jango não deixou
Noam Chomsky: EUA matavam quem praticava o que prega o Papa Francisco
Comunismo avança nos EUA como alternativa à crise capitalista mundial
Conheça 7 ataques químicos que os EUA se negam a comentar
Vídeo: OS EUA e a revolução delivery
EUA lutam contra seu próprio terrorismo
Bob Fernandes: Passo a passo de como os EUA espionaram o Brasil
Globo recebeu mensalão dos EUA
Os EUA são os maiores contrabandistas de armamento para regime antidemocráticos
As garras dos EUA na América Latina
Filme revela como os EUA deram golpe de 1964
Noam Chomsky: EUA, a maior ameaça à paz mundial
Margem de lucro das montadoras no Brasil é três vezes maior que nos EUA
Leonardo Sakamoto: E se os lucros das montadoras ficassem no Brasil?
Uma em cada três oficiais foi estuprada nas Forças Armadas dos EUA
Relatório da CIA mostra o declínio da influência dos EUA no mundo
De Santiago a Caracas, o golpismo de Washington
Conservadores dos EUA financiam a nova direita latino-americana
Analista alemã confirma: EUA manipulam “protestos” em todo mundo
Por que o mundo odeia tanto os Estados Unidos?
Puro fascismo: EUA declararam guerra à democracia
Por que os norte-americanos não podem viver sem guerra?
10 falsas justificativas para o ataque dos EUA à Síria
Conheça 7 ataques químicos que os EUA se negam a comentar
Pesquisa aponta os EUA como a maior ameaça à paz no mundo
Guerra do Iraque contabiliza 174 mil mortes em dez anos
Por que os EUA bombardearam Hiroshima se a guerra já estava ganha?
Tariq Ali: Às vésperas de uma guerra obscena
Uma breve história da guerra dos EUA contra a Síria: 2006-2014
Quem produz armas faz a guerra

3 Respostas to “Tudo culpa da petralhada: Brasil atingiu meta do milênio em redução de pobreza e fome, diz ONU”

  1. Rita Says:

    Assino embaixo.
    Essa petralhada!

  2. Giordano Says:

    Onde está sendo o velório dos coxinhas?

  3. Eneli Gutierrez Silva Says:

    É o q tenho defendido, a direita repulsiva e radical deste país tem feito d tudo p/voltar ao poder. Os dados aqui relatados n são divulgados p/gr mídia nacional, e portanto o povo fica diariamente vendo e ouvindo o q interessa apenas os poderosos, é preciso sim ficarmos alertas e sempre divulgar e alertar a população sobre estas questões, creio e acredito na mudança da situação economica do país e vamos c/certeza voltar a crescer. E desta forma calar os incrédulos.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: