SUS: Governo federal destina R$143,2 milhões para a realização de cirurgias eletivas

SUS09_Cirurgias

Valor liberado para estados, municípios e DF prevê investimento em cirurgias prioritárias com o objetivo de reduzir o tempo de espera.

Via Agência Brasil em 23/7/2015

Para reduzir as filas no Sistema Único de Saúde (SUS) e contribuir para o crescimento do número de cirurgias eletivas realizadas no Brasil, o Ministério da Saúde liberou R$143,2 milhões aos estados e municípios. A Portaria 1.034/2015, que destina esses recursos, também redefine a estratégia para ampliação do acesso aos procedimentos cirúrgicos eletivos de média complexidade, como cirurgias de varizes, ortopédicas, de urologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas.

Os recursos fazem parte de uma estratégia do Ministério da Saúde para garantir o acesso da população aos procedimentos disponibilizados no SUS. A portaria prevê o fim do repasse por componentes. Pelas regras anteriores, o gestor local só poderia receber novos recursos para cirurgias eletivas se tivesse gastado todo o montante passado para cada um deles. Ou seja, se usasse todo o dinheiro do componente II (Especialidades e Procedimentos Prioritários), não poderia receber mais incentivos financeiros sem que utilizasse o valor dos componentes I (Cirurgias de Catarata) e III (Procedimentos Cirúrgicos Eletivos de média complexidade, considerados relevantes para ampliação do acesso no contexto loco-regional).

Agora, além de agilizar o processo, a nova portaria permitirá aos gestores locais remunerar de forma diferenciada os seus prestadores para estimular a realização de cirurgias eletivas. A medida possibilita a ampliação da oferta de procedimentos reduzindo as filas de espera e beneficiado um número muito maior de pessoas de maneira permanente.

Definição dos valores
Os valores disponibilizados foram definidos com base em estudo comparativo da frequência de cirurgias eletivas feitas em anos anteriores pelos estados, Distrito Federal e municípios. A transferência dos recursos se dará após a realização dos procedimentos cirúrgicos nos hospitais.

Além do repasse previsto na Portaria 1.034/2015, os gestores locais contam com o limite financeiro de média e alta complexidade (Teto MAC), dinheiro enviado mensalmente pelo Ministério da Saúde aos estados e municípios que pode ser usado para cirurgias eletivas. Existe ainda a possibilidade de os governos estaduais e municipais usarem recursos próprios para essa finalidade.

Outros R$143,3 milhões foram liberados anteriormente
No início deste mês, o Ministério da Saúde liberou outros R$143,3 milhões para custear as cirurgias eletivas em dez estados, que realizaram uma alta quantidade de procedimentos até fevereiro deste ano. O objetivo da pasta, que destinou na ocasião um recurso extra – além do que já havia sido repassado anteriormente –, é possibilitar que os estados e municípios continuem a aumentar a realização desses procedimentos.

O número de cirurgias eletivas no Brasil cresceu 11,7% em dois anos, passando de 2.120.580 em 2012 para 2.370.039 em 2014. No mesmo período, o investimento do Ministério da Saúde saltou de R$1,04 bilhão para R$1,33 bilhão (crescimento de 27,2%).

SUS08_Operacoes

Leia também:
O direito à saúde e os médicos: Uma questão de interesses
SUS passa a oferecer transplante de medula óssea
Na Alemanha não existe saúde gratuita, além disso ter um plano é obrigatório, caro e ruim
Cada vez mais, mulheres recorrem ao SUS para ter parto normal
“Mundo pode aprender com experiência do SUS”, diz jornal britânico
Programa Mais Médicos, o Bolsa Família da saúde
Em 2014, SUS registrou 1,4 bilhão de consultas médicas
Por que o Brasil forma médicos para elite
Médicos fantasmas: Brasil descobre por que o SUS não funciona
Mídia ignora operação da PF que prendeu “doutores” ladrões do SUS
Médicos simulavam cirurgia cardíaca sem necessidade para desviar recursos do SUS
A quem interessa desmoralizar o SUS? E quem ganha dinheiro com isso, e muito?
Médicos que fraudaram SUS abriram empresas para sonegar Imposto de Renda
Deputados financiados por planos de saúde declaram guerra ao SUS
A trama de Eduardo Cunha para privatizar o SUS
Banditismo: Máfia de médicos desvia milhões de reais do SUS
As estratégias de destruir o SUS para mercantilizar a saúde
Mais Médicos promove humanização da atenção básica no SUS
Conselho Federal de Medicina condena campanha do SUS contra racismo
Fantástico mostra hospital com atendimento em nível de excelência, mas omite que é 100% SUS
SUS, um direito a ser defendido
Período de formação no SUS aproximará médico da população
José Gomes Temporão: SUS, entre a hegemonia e a americanização
Leandro Fortes: Petralha usa SUS para fazer operação cardíaca
Recordar é viver: MP manda Serra tirar dinheiro do SUS do mercado financeiro e aplicar na saúde

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: