Luiz Flávio Gomes: Os dez passos para colocar Eduardo Cunha na cadeia

Eduardo_Cunha_PMDB81_Cadeia_Pataxo

Thiago de Araújo, via Brasil Post em 21/7/2015

O jurista Luiz Flávio Gomes não tem dúvidas de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), está com sérios problemas quando o assunto é a Operação Lava-Jato, que investiga um esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e ex-diretores da Petrobras. Não é só: Gomes visualiza que o peemedebista pode sim acabar na prisão por seu suposto envolvimento.

O jurista, que é mestre em Direito Penal pela USP e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil, usou sua página oficial na internet para pontuar os dez passos que podem levar Cunha da presidência da Câmara para a prisão. A análise, segundo ele, não é política, mas sim levando em conta o que já se sabe até aqui, partindo da delação do lobista Júlio Camargo, que afirmou ter sido pressionado a pagar US$10 milhões ao peemedebista.

“Esses dez passos vão acontecer. A justiça brasileira está funcionando, ainda que de maneira lenta. Tudo está acontecendo, na velocidade da justiça, não se pode acelerar tudo sob pena de anular o que está se desenrolando nas investigações. Pode demorar um pouco, mas tudo o que eu listei vai acontecer, há provas boas para isso”, disse Gomes ao Brasil Post.

Confira o caminho que pode levar à derrocada de Cunha, segundo o jurista:

1) Júlio Camargo [lobista das empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras], em delação premiada, diz que pagou US$5 milhões de propina ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Fernando Baiano teria levado outros US$5 milhões. O doleiro Alberto Youssef já tinha mencionado o deputado como beneficiário de corrupção.

2) A delação só se converte em prova válida quando confirmada por outras provas. A palavra isolada do delator não permite nenhuma condenação. Se tudo for confirmado em juízo [de acordo com o direito vigente], Eduardo Cunha [certamente] irá para a prisão [por muito menos vários deputados petistas passaram pela chamada universidade do crime]. A questão é saber quanto tempo isso vai demorar [com a Justiça morosa que temos].

3) Mas não cabe prisão preventiva contra deputados e senadores, desde a expedição do diploma respectivo [CF, art. 53, § 2º]. Só podem ser presos em flagrante, em crime inafiançável. Fora do flagrante, nenhuma outra prisão cautelar [antes da sentença final] cabe contra deputado ou senador, os quais compõem uma das castas mais protegidas do país. São (quase) intocáveis.

4) E se Eduardo Cunha [ou qualquer outro parlamentar] ameaçar testemunhas ou delatores ou tentar ocultar provas? Esses são os principais motivos constitucionais para se decretar a prisão preventiva de qualquer mortal, salvo de alguns acusados privilegiados, como os parlamentares [que são tratados como cidadãos distinguidos – trata-se do direito penal “muy amigo”].

5) O que cabe imediatamente contra Eduardo Cunha que estaria se valendo do seu poder (do seu cargo) para coagir testemunhas ou seus familiares e ocultar provas? A polêmica é grande, mas não há dúvida que ele poderia ser afastado da presidência da Câmara, nos termos do art. 319, VI, do CPP [a medida só poderia ser decretada pelo STF, a pedido do procurador-geral da República; o justo receio do uso do cargo para a prática de infrações penais seria o fundamento].

6) Em nenhum país do mundo menos corrupto [os dez melhores colocados no ranking da Transparência Internacional], a presidência da Câmara dos Deputados seria ocupada por alguém acusado [com provas mínimas válidas] de ter recebido US$5 milhões de propina. A cultura desses países [do império da lei e da certeza do castigo] é totalmente distinta da permissividade que vigora nos países plutocratas, oligarcas e ‘cleptocratas’ como o Brasil [onde está difundida a ideia e a ideologia de que os privilegiados estão acima da lei].

7) A prisão de Eduardo Cunha [se todas as acusações ficarem provadas] só deverá ocorrer depois de condenação criminal com trânsito em julgado. Antes disso, tem que acontecer uma acusação formal [denúncia] do Ministério Público. A denúncia deve ser formalmente recebida pelo Pleno do STF. Enquanto os deputados e senadores são julgados pelas Turmas da Corte Máxima [1ª ou 2ª: o caso Petrobras está na 2ª], o presidente do Senado ou da Câmara é julgado pelo Pleno [11 ministros].

8) Ninguém pode ser condenado criminalmente sem provas válidas. As provas são produzidas dentro do devido processo legal. Depois da condenação penal definitiva cabe à Câmara decidir sobre a perda do mandato parlamentar [CF, art. 55, § 2º].

9) Na condenação o STF define o tempo de duração da pena de prisão assim como o regime cabível [fechado, semiaberto ou aberto].

10) Logo após o trânsito em julgado a Corte Suprema emite a carta de guia e o condenado começa a cumprir sua pena, em estabelecimento penal compatível com o regime fixado.

“Desrespeito às instituições”
Luiz Flávio Gomes vê como “desespero” a forma com que Eduardo Cunha rompeu com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), com direito a ataques contra o juiz Sérgio Moro e contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Para o jurista, trata-se de um “total desrespeito às instituições”, algo que pouco ajuda na própria defesa do parlamentar.

“Essa atitude dele [Cunha] desmonta o Brasil. Não é por esse caminho. Ele tem direito à defesa, mas não é atacando as instituições que se faz isso. A justiça tem o seu tempo, tudo tem de ser construído com provas, e é a existência dessas provas que nos traz ao atual momento […]. A estratégia dele é um pouco de desespero, atacando todo mundo. Se o PT interferisse na Lava-Jato, o interesse seria livrar a pele do partido”, comentou.

Gomes ainda exaltou o recurso da delação premiada para a aplicação da justiça no Brasil. “Foi uma revolução. Antes era muito difícil provar, havia uma lei do silêncio entre os criminosos. Era um tempo no qual a justiça tinha que correr atrás de tudo. Agora, o delator dá todas as pistas, facilita 99% do trabalho da polícia e da justiça. É uma questão de cruzamento de dados, comprovando o que de fato aconteceu”.

A reportagem insistiu em saber do jurista os motivos de ele estar tão confiante na queda de Cunha. Ele assim respondeu: “A chance de condenação [de Cunha] é muito grande. A polícia vai chegar e descobrir provas e ele será condenado. Antes disso, é preciso ter em mente a necessidade da saída dele da presidência da Câmara. É perigoso para o País ele lá permanecer”, disse.

Segundo várias matérias publicadas nos últimos dias (aqui e aqui), há uma expectativa de que Rodrigo Janot ofereça denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra Cunha – o que não aconteceu até o momento. De sua parte, o peemedebista negou todas as alegações de Júlio Camargo e disse “nada temer” quando o assunto é a Operação Lava-Jato.

Leia também:
STF pede informações a Moro sobre citação de Eduardo Cunha
Provas contra Eduardo Cunha envolvem contas na Suíça
A CBN/Globo lança Eduardo Cunha para a Presidência da República
Antonio Lassance: Acuado e aloprado, Cunha tenta um golpe em causa própria
João Paulo e Eduardo: Dois pesos e duas medidas para os dois Cunha de dois partidos diferentes
As novas eleições presidenciais já estão marcadas
PSDB se cala sobre Cunha e #CadeAecio bomba no Twitter
Fascistas digitais elegem Eduardo Cunha seu mais novo herói
Hipocrisia da mídia: Dono da Globo também estava em jantar de Lula com Odebrecht
O ferro será malhado ainda quente em Eduardo Cunha
Tropa de choque de Eduardo Cunha está em vários partidos, estados, na oposição e na situação
Janio de Freitas: Na moda de collorir
O fim da vergonhosa era Eduardo Cunha
Reunião de Cunha, Mendes e Paulinho: Conspiração não entra em recesso
Repórter da Globo resolve ser sincera: “A ordem é ouvir só o Paulinho da Força.”
Vídeo: Deputado Sílvio Costa aponta bipolaridade dos golpistas da oposição
Jornal Nacional atua como assessor de imprensa de Eduardo Cunha
O investigado que intimida
Leandro Fortes: Asteroide atingiu o Brasil e matou todos os eleitores de Collor
Bob Fernandes: Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Luis Fernando Verissimo: Quando vamos acordar para a barbárie golpista que ameaça o Brasil?
Em 2014, Lauro Jardim, “colonista” da Veja, já achava que Eduardo Cunha era meio esquecido
Recordar é viver: Furnas pagou R$73 milhões a mais por ações vendidas a empresários ligados a Eduardo Cunha
Lobista descreveu o caminho do dinheiro até Eduardo Cunha
Deputado pede afastamento imediato de Cunha: “Não tem condições morais.”
Sob “barulhaço”, Eduardo Cunha vai a tevê exaltar “independência” e não cita corrupção
Eduardo Cunha é como cão bravo: Sob pressão, parte para o ataque
Em defesa do banditismo, da corrupção e da família cristã tradicional
Chega ao fim a presidência de Eduardo Cunha
Vídeo mostra como Eduardo Cunha exigiu os US$5 milhões
Eduardo Cunha e os Três Poderes
Emenda de Eduardo Cunha livra Soares e Malafaia de dívida milionária
O que Eduardo Cunha quer com sua proposta de parlamentarismo?
O Globo começa a “apertar” Cunha. E a lembrá-lo que seu papel é de coadjuvante, não de líder
Guilherme Boulos: Assim dissolve-se a democracia brasileira
“Padrão Fifa” elegeu Congresso “padrão Blatter”. Não eram só R$0,20. Era o pré-sal…
Jornal O Globo acusa Eduardo Cunha de corrupção
Eduardo Cunha diz que OAB é cartel e não tem credibilidade
Cada preso é um cliente: O que se esconde por detrás da redução da maioridade penal
Quando vão bater panelas contra Eduardo Cunha?
Luciano Martins Costa: O que há por trás desse empenho em aprovar a redução da maioridade penal?
Gilson Caroni Filho: Além de reduzir a maioridade penal, Cunha reduziu a democracia
As máquinas de vender intolerância e preconceito
Maioridade penal: A lista de deputados vira-casacas
#CunhaGolpista: Em menos de 24 horas, 20 deputados mudam voto e redução da maioridade é aprovada
Derrota de Eduardo Cunha: Câmara rejeita redução da maioridade penal
Financiamento público: Deputados são office-boys de empresas na hora de apresentar emenda parlamentar
Brizola previu: O aparelhamento do estado pelos evangélicos e a ascensão de Cunha
As falcatruas de Eduardo Cunha na Telerj e na Cehab/RJ
O Congresso Nacional tem dono. E, definitivamente, não é o povo
Reforma política do Eduardo Cunha é um deboche com o povo brasileiro
Eduardo Cunha desengaveta projeto que legaliza o jogo do bicho
A reforma política de Eduardo Cunha
A dobradinha Gilmar Mendes-Eduardo Cunha
Paulo Moreira Leite: A síndrome de Pelé
Paulo Moreira Leite: Marco Aurélio Mello deu uma aula de Constituição e democracia
Fifa: Saiba por que o silêncio de Ronaldo e Pelé está ligado a J.Hawilla e aos EUA
Financiamento privado: Um caso claro de violação da Constituição
“Assisti, mas deletei”, diz deputado que viu vídeo pornô no plenário da Câmara
Shopping do Eduardo Cunha: Saiba o nome dos deputados que foram comprados para aprovar financiamento empresarial
Golpe: Eduardo Cunha consegue a aprovação do financiamento privado
Financiamento de campanha e distritão: Numa só noite, Eduardo Cunha teve duas derrotas
A trama de Eduardo Cunha para privatizar o SUS
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha, o falsificador
A ficha de Eduardo Cunha, o homem que falta para “moralizar a política”
Cavalo não desce escada: PMDB não sai do governo
A rica biografia de Eduardo Cunha, o herói da oposição
“Se presidir a Câmara, engaveto a regulação da mídia”, diz o “aliado” Eduardo Cunha
Eduardo Cunha, o sabotador da República
Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Entenda como funciona a oposição “extraoficial” de Eduardo Cunha
Presidência da Câmara: As diferenças entre Arlindo Chinaglia e Eduardo Cunha
Chinaglia avança após novo indício de cumplicidade entre Eduardo Cunha e doleiro
Cinismo não tem limite: Eduardo Cunha e Antônio Anastasia se queixam de vazamentos sem provas
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha vendeu aos empresários o compromisso de aprovar a terceirização
Terceirização: Como ficará seu emprego se Eduardo Cunha cumprir a promessa que fez aos empresários
STF autoriza buscas em gabinete de Eduardo Cunha
Mesmo envolvido no escândalo da Petrobras, Cunha continuará o queridinho da mídia?
Depoimento de ex-diretor complica ainda mais a situação de Eduardo Cunha
Doleiro diz que Eduardo Cunha era “destinatário final” de propina
Eduardo Cunha e Renan Calheiros são a cara do Brasil
Eduardo Cunha, o senhor do caos
R$1 bilhão: Eduardo Cunha consegue a aprovação de shopping para deputados
Quem se atreverá a dar um “rolezinho” no shopping de Eduardo Cunha?
A democracia, o financiamento empresarial e a corrupção
Financiamento público de campanha: #PanelaçoGilmarDevolva
Operação Lava-Jato confirma que financiamento privado nas eleições faz mal à democracia
Miguel Rossetto: “Financiamento empresarial corrói a transparência dos partidos.”
“O financiamento privado de campanha nada mais é que um empréstimo, pago depois com dinheiro público.”
Gilmar Mendes justifica por que engavetou ação do financiamento de campanha
O engavetador tucano Gilmar Mendes acusa OAB de ser laranja do PT

4 Respostas to “Luiz Flávio Gomes: Os dez passos para colocar Eduardo Cunha na cadeia”

  1. pintobasto Says:

    Já devia ter sido afastado da presidência da câmara dos deputados! Qual a razão de não ter acontecido isso? Sua atividade atual é intimidar as famílias dos delatores através de seus capangas de confiança, muitos deles deputados federais. O procedimento correto é prendê-lo em presído de segurnça máxima. Cunha é um indivíduo muito perigoso, todos que o conhecem melhor, são unânimes em declarar seu pérfido comportamento.

  2. Jackson Roberto Says:

    Correto, se descreve o crápula dessa forma, cheio de bravatas (cunha) seguindo a “linha” do “malafaia”, “feliciana” e “magno” (Nelson Ned não morreu) !!!

  3. José Jésus Gomes de Araújo Says:

    O arrazoado do jurista Luís Flavio Gomes, acentuando a intocabilidade dos parlamentares (afinal, são eles que fazem as leis!), trouxe-me à lembrança um livro antigo, creio que da década de 60: Como São Feitas as Leis no Brasil, do juiz Osni Pereira Duarte. Aliás, estou atrás dessa obra (perdi meu exemplar) e não encontro.

  4. Marcos Pinto Basto Says:

    Esse bandido do Eduardo Cunha com os antecedentes que tem só pode ser condenado. Já se livrou de condenações por ter falsificado sentenças, vejam só o calibre deste pilantra. Têm que investigar a vida deste bandidão armado em valentão!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: