As novas eleições presidenciais já estão marcadas

Lula_Dilma_Faixa01

Vamos torcer para a faixa voltar para as mãos de quem as entregou para Dilma.

Henrique Fontana, via Sul21 em 18/7/2015

Serão no domingo, dia 7 de outubro de 2018. A tentativa de retirar uma presidenta, legitimamente eleita, com um mandato conquistado nas urnas, antes desta data atenta contra a democracia brasileira. E não bastará aos defensores da quebra das normas constitucionais envolverem suas manobras para um golpe institucional em um “verniz” legalista.

Os argumentos para colocar em marcha o impeachment da presidenta Dilma Rousseff apresentados pela oposição são tão duvidosos quanto frágeis. Desde a reeleição da presidenta a oposição, especialmente tucana, vem promovendo formas de interromper o seu mandato com pedidos de recontagem de votos, de rejeição das contas de campanha no Tribunal Superior Eleitoral ou do governo no Tribunal de Contas da União, ou de pedido de impeachment por conta da Operação Lava-Jato.

As supostas “pedaladas fiscais” nas contas do governo federal de 2014, mecanismo até este momento considerado legal pelo TCU na gestão do Orçamento, inclusive utilizado durante o governo do PSDB; e a contribuição de um empresário delator da Operação Lava-Jato para a campanha presidencial de Dilma em 2014 em valor menor ao doado a seu adversário direto, Aécio Neves, todos registrados dentro das regras eleitorais, nenhum desses expedientes nem de longe podem justificar a quebra da ordem democrática do país.

Mesmo que o senador Aécio queira, contraditoriamente, fazer crer que o valor maior recebido por ele do mesmo empresário, na mesma campanha, seja lícito, e o de Dilma não. Todos nós somos contra a corrupção e vamos trabalhar duramente para erradicá-la de nosso meio, onde estiver. De outro lado, a política nacional não deve ser pautada pelo revanchismo eleitoral ou pelos humores do mercado e da economia. Reagir e buscar saídas para a crise econômica não são motivos para um golpe contra a democracia.

Concorde ou não, tenha votado ou não, apoie ou não o governo da presidenta Dilma, terá ele acertos e erros, é papel de cada cidadão e cidadã brasileira garantir à presidenta o direito de exercer seu mandato e colocar em prática as políticas nas quais acredita para fazer o Brasil crescer. É tarefa de toda a sociedade defender a estabilidade, as instituições e a legalidade democrática, duramente conquistada após mais de 20 anos de ditadura. Particularmente, não quero acreditar que o ex-presidente Fernando Henrique autorize, por ação ou omissão, que seu partido, o PSDB, juntamente com outras forças de oposição, dê curso a um golpe institucional contra a presidenta Dilma. Seria isto uma mancha profunda em sua biografia.

Nenhum jogo acaba, ou mesmo o juiz expulsa todo um time, aos dez minutos do primeiro tempo, porque não está gostando da partida. A democracia não é brincadeira e a política não pode ser um jogo onde vale tudo. A maioria do povo brasileiro não torce pelo “quanto pior, melhor”. Vamos trabalhar pelo Brasil, defender a democracia e ajudar a presidenta Dilma a fazer um bom governo para todos e todas.

Henrique Fontana é deputado federal (PT/RS).

Leia também:
PSDB se cala sobre Cunha e #CadeAecio bomba no Twitter
Fascistas digitais elegem Eduardo Cunha seu mais novo herói
Hipocrisia da mídia: Dono da Globo também estava em jantar de Lula com Odebrecht
O ferro será malhado ainda quente em Eduardo Cunha
Tropa de choque de Eduardo Cunha está em vários partidos, estados, na oposição e na situação
Janio de Freitas: Na moda de collorir
O fim da vergonhosa era Eduardo Cunha
Reunião de Cunha, Mendes e Paulinho: Conspiração não entra em recesso
Repórter da Globo resolve ser sincera: “A ordem é ouvir só o Paulinho da Força.”
Vídeo: Deputado Sílvio Costa aponta bipolaridade dos golpistas da oposição
Jornal Nacional atua como assessor de imprensa de Eduardo Cunha
O investigado que intimida
Leandro Fortes: Asteroide atingiu o Brasil e matou todos os eleitores de Collor
Bob Fernandes: Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Luis Fernando Verissimo: Quando vamos acordar para a barbárie golpista que ameaça o Brasil?
Em 2014, Lauro Jardim, “colonista” da Veja, já achava que Eduardo Cunha era meio esquecido
Recordar é viver: Furnas pagou R$73 milhões a mais por ações vendidas a empresários ligados a Eduardo Cunha
Lobista descreveu o caminho do dinheiro até Eduardo Cunha
Deputado pede afastamento imediato de Cunha: “Não tem condições morais.”
Sob “barulhaço”, Eduardo Cunha vai a tevê exaltar “independência” e não cita corrupção
Eduardo Cunha é como cão bravo: Sob pressão, parte para o ataque
Em defesa do banditismo, da corrupção e da família cristã tradicional
Chega ao fim a presidência de Eduardo Cunha
Vídeo mostra como Eduardo Cunha exigiu os US$5 milhões
Eduardo Cunha e os Três Poderes
Emenda de Eduardo Cunha livra Soares e Malafaia de dívida milionária
O que Eduardo Cunha quer com sua proposta de parlamentarismo?
O Globo começa a “apertar” Cunha. E a lembrá-lo que seu papel é de coadjuvante, não de líder
Guilherme Boulos: Assim dissolve-se a democracia brasileira
“Padrão Fifa” elegeu Congresso “padrão Blatter”. Não eram só R$0,20. Era o pré-sal…
Jornal O Globo acusa Eduardo Cunha de corrupção
Eduardo Cunha diz que OAB é cartel e não tem credibilidade
Cada preso é um cliente: O que se esconde por detrás da redução da maioridade penal
Quando vão bater panelas contra Eduardo Cunha?
Luciano Martins Costa: O que há por trás desse empenho em aprovar a redução da maioridade penal?
Gilson Caroni Filho: Além de reduzir a maioridade penal, Cunha reduziu a democracia
As máquinas de vender intolerância e preconceito
Maioridade penal: A lista de deputados vira-casacas
#CunhaGolpista: Em menos de 24 horas, 20 deputados mudam voto e redução da maioridade é aprovada
Derrota de Eduardo Cunha: Câmara rejeita redução da maioridade penal
Financiamento público: Deputados são office-boys de empresas na hora de apresentar emenda parlamentar
Brizola previu: O aparelhamento do estado pelos evangélicos e a ascensão de Cunha
As falcatruas de Eduardo Cunha na Telerj e na Cehab/RJ
O Congresso Nacional tem dono. E, definitivamente, não é o povo
Reforma política do Eduardo Cunha é um deboche com o povo brasileiro
Eduardo Cunha desengaveta projeto que legaliza o jogo do bicho
A reforma política de Eduardo Cunha
A dobradinha Gilmar Mendes-Eduardo Cunha
Paulo Moreira Leite: A síndrome de Pelé
Paulo Moreira Leite: Marco Aurélio Mello deu uma aula de Constituição e democracia
Fifa: Saiba por que o silêncio de Ronaldo e Pelé está ligado a J.Hawilla e aos EUA
Financiamento privado: Um caso claro de violação da Constituição
“Assisti, mas deletei”, diz deputado que viu vídeo pornô no plenário da Câmara
Shopping do Eduardo Cunha: Saiba o nome dos deputados que foram comprados para aprovar financiamento empresarial
Golpe: Eduardo Cunha consegue a aprovação do financiamento privado
Financiamento de campanha e distritão: Numa só noite, Eduardo Cunha teve duas derrotas
A trama de Eduardo Cunha para privatizar o SUS
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha, o falsificador
A ficha de Eduardo Cunha, o homem que falta para “moralizar a política”
Cavalo não desce escada: PMDB não sai do governo
A rica biografia de Eduardo Cunha, o herói da oposição
“Se presidir a Câmara, engaveto a regulação da mídia”, diz o “aliado” Eduardo Cunha
Eduardo Cunha, o sabotador da República
Na lata do lixo da História, há um lugar especial para o PMDB atual
Entenda como funciona a oposição “extraoficial” de Eduardo Cunha
Presidência da Câmara: As diferenças entre Arlindo Chinaglia e Eduardo Cunha
Chinaglia avança após novo indício de cumplicidade entre Eduardo Cunha e doleiro
Cinismo não tem limite: Eduardo Cunha e Antônio Anastasia se queixam de vazamentos sem provas
Terceirizada, mulher de Eduardo Cunha ganhou ação contra Globo e foi contratada
Eduardo Cunha vendeu aos empresários o compromisso de aprovar a terceirização
Terceirização: Como ficará seu emprego se Eduardo Cunha cumprir a promessa que fez aos empresários
STF autoriza buscas em gabinete de Eduardo Cunha
Mesmo envolvido no escândalo da Petrobras, Cunha continuará o queridinho da mídia?
Depoimento de ex-diretor complica ainda mais a situação de Eduardo Cunha
Doleiro diz que Eduardo Cunha era “destinatário final” de propina
Eduardo Cunha e Renan Calheiros são a cara do Brasil
Eduardo Cunha, o senhor do caos
R$1 bilhão: Eduardo Cunha consegue a aprovação de shopping para deputados
Quem se atreverá a dar um “rolezinho” no shopping de Eduardo Cunha?
A democracia, o financiamento empresarial e a corrupção
Financiamento público de campanha: #PanelaçoGilmarDevolva
Operação Lava-Jato confirma que financiamento privado nas eleições faz mal à democracia
Miguel Rossetto: “Financiamento empresarial corrói a transparência dos partidos.”
“O financiamento privado de campanha nada mais é que um empréstimo, pago depois com dinheiro público.”
Gilmar Mendes justifica por que engavetou ação do financiamento de campanha
O engavetador tucano Gilmar Mendes acusa OAB de ser laranja do PT

3 Respostas to “As novas eleições presidenciais já estão marcadas”

  1. Rita Says:

    Concordo.

  2. José Jésus Gomes de Araújo Says:

    Torcer não; trabalhar. E, até lá, espero que os trogloditas não consigam transformar meu país em uma republiqueta africana (sem ofensa aos povos africanos, pois seus males, lá também, vêm das elites que possuem, comprometidas com interesses espúrios, estrangeiros).

  3. pintobasto Says:

    Governar com plebiscitos acaba com as fofocas e pretensões golpistas.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: