Pablo Villaça: “Apesar da crise”, procure isso no Google

Globo_Manipulacao01

Pablo Villaça, via Facebook em 18/7/2015

Eu fico realmente impressionado ao perceber como os colunistas políticos da grande mídia sentem prazer em pintar o país em cores sombrias: tudo está sempre “terrível”, “desesperador”, “desalentador”. Nunca estivemos “tão mal” ou numa crise “tão grande”.

Em primeiro lugar, é preciso perguntar: estes colunistas não viveram os anos 90?! Mas, mesmo que não tenham vivido e realmente acreditem que “crise” é o que o Brasil enfrenta hoje, outra indagação se faz necessária: não leem as informações que seus próprios jornais publicam, mesmo que escondidas em pequenas notas no meio dos cadernos?

Vejamos: a safra agrícola é recordista, o setor automobilístico tem imensas filas de espera por produtos, os supermercados seguem aumentando lucros, a estimativa de ganhos da Ambev para 2015 é 14,5% maior do que o de 2014, os aeroportos estão lotados e as cidades turísticas têm atraído número colossal de visitantes. Passem diante dos melhores bares e restaurantes de sua cidade no fim de semana e perceberá que seguem lotados.

Aliás, isto é sintomático: quando um país se encontra realmente em crise econômica, as primeiras indústrias que sofrem são as de entretenimento. Sempre. Famílias com o bolso vazio não gastam com supérfluos – e o entretenimento não consegue competir com a necessidade de economizar para gastos em supermercado, escola, saúde, água, luz etc.

Portanto, é revelador notar, por exemplo, como os cinemas brasileiros estão tendo seu melhor ano desde 2011. Público recorde. “Apesar da crise”. A venda de livros aumentou 7% no primeiro semestre. “Apesar da crise”.

Uma “crise” que, no entanto, não dissuadiu a China de anunciar investimentos de mais de US$60 bilhões no mercado brasileiro – porque, claro, os chineses são conhecidos por investir em maus negócios, certo? Foi isto que os tornou uma potência econômica, afinal de contas. Não?

Se banissem a expressão “apesar da crise” do jornalismo brasileiro, a mídia não teria mais o que publicar. Faça uma rápida pesquisa no Google pela expressão “apesar da crise”: quase 400 mil resultados.

● “Apesar da crise, cenário de investimentos no Brasil é promissor para 2015.”
● “Cinemas do país têm maior crescimento em 4 anos apesar da crise.”
● “Apesar da crise, organização da Flip soube driblar os contratempos: mesas estiveram sempre lotadas.”
● “Apesar da crise, produção de batatas atrai investimentos em Minas.”
● “Apesar da crise, vendas da Toyota crescem 3% no primeiro semestre.”
● “Apesar da crise, Riachuelo vai inaugurar mais 40 lojas em 2015.”
● “Apesar da crise, fabricantes de máquinas agrícolas estão otimistas para 2015”
● “Apesar da crise, Rock in Rio conseguiu licenciar 643 produtos – o recorde histórico do festival.”
● “Honda tem fila de espera por carros e paga hora extra para produzir mais apesar da crise.”
● “16ª ExpoSerra: Apesar da crise, hotéis estão lotados.”
● “Apesar da crise, brasileiros pretendem fazer mais viagens internacionais.”
● “Apesar da crise, Piauí registra crescimento na abertura de empresas.”

Apesar da crise. Apesar da crise. Apesar da crise.

A crise que nós vivemos no país é a de falta de caráter do jornalismo brasileiro.

Uma coisa é dizer que o país está em situação maravilhosa, pois não está; outra é inventar um caos que não corresponde à realidade. A verdade, como de hábito, reside no meio do caminho: o país enfrenta problemas sérios, mas está longe de viver “em crise”. E certamente teria mais facilidade para evitá-la caso a mídia em peso não insistisse em semear o pânico na mente da população – o que, aí, sim, tem potencial de provocar uma crise real.

Que é, afinal, o que eles querem. Porque nos momentos de verdadeira crise econômica, os mais abastados permanecem confortáveis – no máximo cortam uma viagem extra à Europa. Já da classe média para baixo, as consequências são devastadoras, criando um quadro no qual, em desespero, a população poderá tender a acreditar que a solução será devolver ao poder aqueles mesmos que encabeçaram a verdadeira crise dos anos 90. Uma “crise” neoliberal que sufocou os miseráveis, mas enriqueceu ainda mais os poderosos.

E quando nos damos conta disso, percebemos por que os colunistas políticos insistem tanto em pintar um retrato tão sombrio do país. Porque estão escrevendo as palavras desejadas pelas corporações que os empregam.

Como eu disse, a crise é de caráter. E, infelizmente, este não é vendido nas prateleiras dos supermercados.

Clique aqui para saber o que o Google diz da expressão “apesar da crise”.

Leia também:
“Crise de pessimismo é crime contra o país”, diz presidente da Anfavea
É a crise: Brasil é o terceiro país mais atrativo para investimentos estrangeiros
Por que é importante comprar no mercadinho da esquina
É a crise: Brasileiros compram 60% de condomínio de luxo com garagem de iate em Miami
Vídeo: Apesar da crise e apesar de você
Tudo culpa da petralhada: Brasil atingiu meta do milênio em redução de pobreza e fome, diz ONU
É a crise: Embraer bate novo recorde e encomendas atingem R$87 bilhões
Dívida pública: A verdadeira pedalada fiscal não aparece nos jornais
Antonio Lassance: Governo federal financia mídia cartelizada para falar dele mesmo
O “drama” de quem ganha R$8 mil por mês
O controle do que vemos, ouvimos e lemos
As máquinas de vender intolerância e preconceito
Comparando as crises de 1998 e 2015
Crise alimentada pela oposição pode se voltar também contra ela
Luis Fernando Verissimo: Estranho, os brasileiros lotam a Broadway. Cadê a crise?
Dilma: “Muito do que chamam de crise ocorre sistematicamente.”
Quando a criação de 1,1 milhão de empregos é crise: O governo invisível não quer Dilma
Natal: Como a “grande mídia” transformou em crise 5% de crescimento nas vendas
Norte-americanos “não estão nem aí” para crise, diz assessor da Petrobras
O tamanho da crise da Petrobras
Um recorde após outro: E a Petrobras está em crise?
Mídia golpista: A disputa entre Davi e Golias pela narrativa da crise
Danuza é o emblema da crise estrutura da “grande mídia”
A crise e as receitas do PSDB para o Brasil
Emir Sader: A crise de credibilidade da velha mídia
Mídia golpista escondeu o lado obscuro dos protestos
Suiçalão: A mídia golpista está envolvida até o pescoço
Mídia golpista: A disputa entre Davi e Golias pela narrativa da crise
Com medo de 2018, Lula vira alvo número 1 da mídia golpista
Por que a criminalização da política interessa à mídia golpista?
Luciano Martins Costa: A mídia golpista está atirando para todos os lados
Mídia golpista prepara o bote
Stanley Burburinho: Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobras
Mídia golpista: O inútil esforço para destruir um mito
“Grande imprensa” não sabe a diferença entre privatização e concessão
Vídeo: Lula diz que “grande imprensa” tenta incriminá-lo, mas ele é bom de briga
A maior perdedora de 2014 foi a “grande imprensa”
“Grande imprensa” × governo Dilma: Por que tanta má vontade?
Lula: “A internet pode furar bloqueio da grande imprensa à esquerda.”
Lista de Furnas: O caso de corrupção que a mídia mais esconde
Dilma paga pelo golpe: Globo, Veja e UOL lideram fatias da publicidade do governo federal
Leandro Fortes: Publicidade governamental, um caso de crime de responsabilidade?
A liberdade e a proteção de usuários da internet estão no Marco Civil
As agências de publicidade e o modelo de financiamento à informação
Regula Dilma: 72% da publicidade do governo federal na web vai pro PIG
Se não for regulada, a mídia privada corrompida destruirá o Brasil
Regulação da mídia não é censura, dizem especialistas
Como será a regulamentação da mídia
Franklin Martins: No Brasil, tentam demonizar a regulação da mídia e interditar o debate
Como funciona a regulação de mídia em outros países
FHC sobre regulação da mídia: “Não vou falar mal de meus amigos.”
“Se presidir a Câmara, engaveto a regulação da mídia”, diz o “aliado” Eduardo Cunha
Venício Lima: Marco regulatório é a gota d’água
Reforma política e marco regulatório da mídia ganham destaque na pauta de Dilma
Venício Lima: Os donos da mídia expuseram-se. E agora?
Magoado, Joaquim Barbosa adere à regulação da mídia
Franklin Martins: “Todas as concessões são reguladas. Só rádio e televisão não.”
Inglaterra aprova novo sistema regulador da imprensa
O temor dos donos da mídia e a “regulação” defendida pelo Globo
Mídia: A autorregulamentação fracassou espetacularmente no Brasil
Regula Dilma: Inglaterra aprova novo marco regulatório da imprensa
Regula Dilma: 72% da publicidade do governo federal na web vai pro PIG
PT pede ao governo reforma do marco regulatório da comunicação
João Brant: A mídia como exército regular
Beto Almeida: A regulamentação da mídia e o golpismo
Marco regulatório da mídia no Reino Unido pressiona a discussão no Brasil
Regulação da mídia: A síndrome Jango, aos 50

6 Respostas to “Pablo Villaça: “Apesar da crise”, procure isso no Google”

  1. Oscar Ricardo Goulart Says:

    que=quem

  2. Oscar Ricardo Goulart Says:

    Quem pertence a CLASSE MÉDIA, tem renda de 8 a 15 mil? E, que CLASSE pertence, que tem renda de 15, à milhões de reais?

  3. Gustavo Says:

    Toyota cresceu 3% mas o mercado todo caiu quase 20% esse ano já. Toyota cresceu em cima de uma base baixa. Esses 3% da Toyota não cobre os 20% das outras montadoras. Para de Passat notícia tendenciosa.

  4. LUIS BRAS SANTOS Says:

    ● “Apesar da crise, cenário de investimentos no Brasil é promissor para 2015.”
    ● “Cinemas do país têm maior crescimento em 4 anos apesar da crise.”
    ● “Apesar da crise, organização da Flip soube driblar os contratempos: mesas estiveram sempre lotadas.”
    ● “Apesar da crise, produção de batatas atrai investimentos em Minas.”
    ● “Apesar da crise, vendas da Toyota crescem 3% no primeiro semestre.”
    ● “Apesar da crise, Riachuelo vai inaugurar mais 40 lojas em 2015.”
    ● “Apesar da crise, fabricantes de máquinas agrícolas estão otimistas para 2015”
    ● “Apesar da crise, Rock in Rio conseguiu licenciar 643 produtos – o recorde histórico do festival.”
    ● “Honda tem fila de espera por carros e paga hora extra para produzir mais apesar da crise.”
    ● “16ª ExpoSerra: Apesar da crise, hotéis estão lotados.”
    ● “Apesar da crise, brasileiros pretendem fazer mais viagens internacionais.”
    ● “Apesar da crise, Piauí registra crescimento na abertura de empresas.”

    Apesar da crise. Apesar da crise. Apesar da crise.

    A crise que nós vivemos no país é a de falta de caráter do jornalismo brasileiro.#BOMDILMAIS13 VALEU VIU!!!

  5. Marco Sousa (@Carcarancho) Says:

    Concordo com TODAS AS LETRAS!.

  6. Rita Says:

    Nossa faxineira me disse outro dia: só de me lembrar o que passei na época do fhc, fico com arrepios. Minha vida melhorou demais. Por que o Faustão fica falando que o Brasil é o país da desesperança? Eu disse a ela: querida, vá passear, mas não ligue sua TV na globo. Faz mal à saúde.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: