Sucesso: Em dois anos de existência, Programa Mais Médicos atende 63 milhões de pessoas

Mais_Medicos03_Resultados

O programa garantiu assistência à saúde de 63 milhões de pessoas em 72,8% dos municípios brasileiros e em 34 distritos indígenas.

Via Portal Brasil em 8/7/2015

Há exatos dois anos era assinada pela presidenta Dilma Rousseff a Medida Provisória 621, que institui o Programa Mais Médicos. Criado para enfrentar o problema histórico da falta de médicos no Brasil e principalmente nas regiões mais carentes, o programa atualmente garante assistência à saúde de 63 milhões de pessoas. No total, são 18.240 médicos em 4.058 municípios (72,8% das cidades brasileiras) e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI).

Além de levar médicos para Unidades Básicas de Saúde (UBS) do interior e periferias das grandes cidades, o programa também desenvolve medidas de caráter permanente, em conjunto com o Ministério da Educação, para ampliar a oferta de vagas de graduação em Medicina e universalizar a residência médica, que vai garantir, gradualmente, cada vez mais médicos e especialistas atuando no País. O governo federal quer criar, até 2017, 11,5 mil novas vagas de graduação em Medicina e 12,4 mil de residência médica até 2018. Já foram autorizadas 4.680 novas vagas de graduação, sendo 1.343 em universidades públicas e 3.337 vagas em instituições privadas.

A meta do Ministério da Saúde é atingir em 2026 o índice de 2,7 médicos por mil habitantes, o mesmo número do Reino Unido que, depois do Brasil, tem o maior sistema de saúde público de caráter universal.

O Mais Médicos é uma das ações do Ministério da Saúde para promover a melhoria do atendimento da Atenção Básica, na qual estão inseridos os postos de saúde e as equipes da saúde da família. De acordo com o ministério, a Atenção Básica é capaz de resolver 80% dos problemas de saúde da população sem necessidade de encaminhamento a hospitais.

Uma pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde apontou que 93% dos médicos brasileiros estão satisfeitos ou muito satisfeitos com a participação no programa. O levantamento foi feito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Ao todo, foram realizadas 391 entrevistas nas cinco regiões do País com médicos do programa, no período de 17 a 23 de novembro de 2014.

Pela pesquisa, 90% dos profissionais com CRM Brasil responderam que indicariam a participação para outros médicos. O contentamento com a supervisão também foi alto. Os médicos deram, em média, nota 9,3 para seu relacionamento com o supervisor. O interesse desses profissionais se refletiu na seleção para o programa este ano.

Do total de 4.139 oportunidades apresentadas nos editais de 2015 (em 1.289 municípios e 12 DSEI), 3.752 foram ocupadas por médicos com CRM Brasil. Para ocupar as vagas restantes, foram selecionados outros 387 médicos brasileiros que se formaram no Exterior. Eles já começaram a trabalhar em 238 municípios e 10 distritos indígenas esta semana.

Satisfação da população
Para a população beneficiada pelo Mais Médicos, o programa melhorou o atendimento e o acesso à saúde. Pela pesquisa feita pela UFMG e Ipespe, 85% disseram que a qualidade do atendimento médico está melhor ou muito melhor após a chegada dos profissionais do programa. Para 87%, a atenção do profissional durante a consulta melhorou e 82% afirmaram que as consultas passaram a resolver melhor os seus problemas de saúde. Foram entrevistados 14 mil pessoas entre novembro e dezembro de 2014 em 699 municípios atendidos pela iniciativa.

Ao avaliar os serviços de saúde, as pessoas entrevistadas apontaram, de forma espontânea, que o número de consultas (41%), o fato dos médicos estarem mais atenciosos (35%) e o tempo maior de consulta (8%) foram os fatores que contribuíram para a melhoria no serviço. Já sobre os pontos positivos promovidos pelo programa, 60% destacaram a presença constante do médico e o cumprimento da carga horária e 46% disseram que o acesso às consultas melhorou.

A pesquisa também mostrou os pontos que a população considera que deverão ser aperfeiçoados: falta de especialistas (63% destacaram este ponto) e acesso mais rápido aos exames (45%). Ao atribuir uma nota ao programa, a população apontou 9,0. Já os gestores classificaram com a nota 8,7 e os próprios médicos, 9,1.

Leia também:
Mais Médicos: Mortalidade infantil é a menor em dez anos em bairro da periferia de São Paulo
Fora Dilma: Os médicos brasileiros e sua “ética”
Mais Médicos: 93% dos profissionais estão satisfeitos com o programa
Mais Médicos: Alheias ao embate ideológico, pequenas cidades comemoram vinda de médicos cubanos
Mais Médicos: Para 85% da população atendida a qualidade da assistência melhorou
Atualmente, para ser médico basta pagar R$6 mil por mês, diz Cremesp
“Médicos padrão Fifa”: Em São Paulo, mais da metade dos recém-formados em medicina é reprovada na prova do CRM
Para o Conselho de Medicina ler: Reino Unido contrata 3 mil médicos estrangeiros
Governo federal anuncia ampliação do Mais Médicos
Mais Médicos tem apenas 1,2% de desistências em seu primeiro ano de atendimento
Banditismo: Máfia de médicos desvia milhões de reais do SUS
Onde está a gritaria das associações de médicos contra a “máfia das próteses”?
Médicos brasileiros estão revoltados com estímulo ao parto normal?
Dilma Rousseff: Mais Médicos leva saúde a 46 milhões de pessoas
Mais Médicos supera meta e garante atendimento a mais de 51 milhões de brasileiros
Justiça nega liminar à desertora do Programa Mais Médicos
Boato coxinha: Tornozeleira de preso não será usada em médicos cubanos, mas sim em médicos de Minas
Quem vê cubanos como escravos nunca se indignou com escravos de verdade
Em Cuba, Dilma agradece por Mais Médicos e diz que bloqueio é injusto
Embaixada dos EUA ajudou cubanos a deixar o Mais Médicos
Mais Médicos: Evasão de brasileiros é 20 vezes maior que a de cubanos
CFM quer que cubanos “escravos” não atendam doentes e sirvam cafezinho
Você sabia que os EUA têm um programa para fazer médicos cubanos desertarem?
Caiu a máscara: Médica cubana montou farsa para encontrar namorado em Miami
Cubana usa Caiado para ir morar em Miami com o namorado
Máfia de branco cria site contra Mais Médicos
O salto no IDH das cidades e o Programa Mais Médicos
Em 2013, Mais Médicos atendeu 2.177 municípios em todas as unidades da federação
Porque o médico Juan Delgado é o homem do ano de 2013
Se ainda tinha algum, Veja perde o pudor e prega vaia contra cubanos
Dilma: Mais 23 milhões de brasileiros terão acesso ao Programa Mais Médicos
Marajás de jaleco: Por isso eles são contra o Mais Médicos
Por que os médicos cubanos são tão queridos?
Mais Médicos: Padilha peita presidente do Conselho Federal de Medicina
Quem não está acostumado, estranha: Pacientes se assustam com visita de médico cubano em casa
Primeiro médico cubano chegou em 1995 no interior de São Paulo
Coxinha preso por só bater ponto fazia campanha contra o Mais Médicos
Dilma sanciona Mais Médicos e entrega registro a médico cubano
Dilma pede desculpas em nosso nome, doutor Juan
Pesquisa CNT: 74% da população é favorável a vinda de médicos estrangeiros
Entenda por que os médicos cubanos não são escravos
Médicos cubanos recebem flores um dia após as agressões
Paulo Moreira Leite: Quando os corvos vestem branco
Médicos cubanos: Quem são os responsáveis pelo corredor polonês em Fortaleza?
Quem são e o que pensam os médicos cubanos
Janio de Freitas: A reação aos médicos cubanos é doentia
Preconceito: Jornalista diz que médicas cubanas parecem “empregadas domésticas”
Vídeo: O dia que os médicos brasileiros envergonharam o País
Dez informações sobre a saúde e a medicina em Cuba
Médicos cubanos: Como se desmonta uma farsa de jaleco
Vinda de médicos cubanos reforça ódio ideológico ao PT
Mais de 70% dos médicos cubanos vão para o Norte e Nordeste
Mais Médicos: Alheias ao embate ideológico, pequenas cidades comemoram vinda de médicos cubanos
Paulo Moreira Leite: O extremismo dos doutores
Eliane Brum: Ser doutor é mais fácil do que se tornar médico
Médico que diz que estrangeiros são enganação tem dois filhos “importados” de Cuba
Programa Mais Médicos, o Bolsa Família da saúde
Queremos médicos suecos!
Médicos brasileiros, o orgulho branco da nação
Recordar é viver: Quando FHC trouxe cubanos, Veja aplaudiu
Médicos cubanos: Avança a integração da América Latina
Coxinhas de branco: A vergonha da nação
Conheça o médico cearense que liderou os xingamentos contra os cubanos

Uma resposta to “Sucesso: Em dois anos de existência, Programa Mais Médicos atende 63 milhões de pessoas”

  1. Dayse Silva Says:

    Pois é, a despeito do acerto desta política do Governo Brasileiro, pouco se comenta sobre isto.
    Calam-se os grandes jornais, calam-se certos políticos, calam-se certas camadas sociais…
    Que País é este?

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: