Copa América: Com medo de ser presos, cartolas da Conmebol não vão ao Chile

CBF_Del_Nero01

Del Nero ainda está indeciso se viajará para o Chile. Foto de Rafael Ribeiro/CBF.

Em meio a investigações de corrupção, dirigentes do futebol ficam longe da Copa América, devido ao tratado de extradição assinado em 1902 entre Chile e EUA.

Marcus Vinicius Pinto, via Portal Terra em 25/6/2015

A desculpa é que há muito trabalho a ser feito. Por isso nem Juan Angel Napout, presidente da Conmebol, nem Marco Polo del Nero, presidente da CBF, nem qualquer outro dirigente sul-americano deram as caras no Chile para a Copa América 2015. Estranho, não? Ainda mais quando há um hotel oficial reservado, só à espera dos visitantes.

Mas por trás da justificativa oficial existe um tratado assinado entre Chile e Estados Unidos de 1902 que tira o sono dos dirigentes e pode ser o motivo principal da distância para o país vizinho. “O tratado vale apenas para acusados ou condenados por homicídio, incêndio, roubo, fraude”, diz o advogado Jorge Baraona, do escritório Larrain e Associados, de Santiago, uma das maiores autoridades em direito internacional do país.

Embora não tenha nada claro sobre lavagem de dinheiro, o item fraude pode incluir os dirigentes da Conmebol que ainda são investigados pelo FBI. “Já os chilenos não podem ser extraditados aos Estados Unidos, nem os estrangeiros cujos delitos estejam prescritos”, explica Baraona, dizendo que delitos com mais de dez anos entram nesse caso. “Também não entra no tratado delitos políticos”, adiciona.

O advogado não quis entrar no mérito, mas pelo que acompanhou pela imprensa do caso Fifa, não existem delitos investigados que tenham mais de dez anos. Portanto, um possível medo dos dirigentes sul-americanos de viajar ao Chile está explicado. Em caso de serem presos no Chile, eles ficariam em prisão especial até que a extradição fosse efetivada. “De maneira alguma ficariam junto a presos comuns”, disse.

Baraona comenta que, caso o FBI desencadeasse uma operação como a de Zurique, teria de ser em conjunto com PDI, a Polícia Federal chilena e a autorização de um juiz. Os detidos ficariam em média um ano presos até que se completassem os trâmites legais de envio aos Estados Unidos. “Tivemos um caso parecido, que foi o do ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori. Ele ficou detido no Chile por dois anos até ser enviado ao seu país”, lembra.

Não existe nenhuma acusação formal a outros dirigentes da Conmebol. Porém, a investigação do FBI continua em curso e o relatório divulgado identifica outros envolvidos por codinomes. O advogado explica que podem faltar provas robustas que impliquem pedido de prisão e que o FBI pode estar ganhando tempo até que possa deflagrar uma nova etapa de prisões.

Por enquanto Napout, Del Nero e nenhum outro presidente de federação nacional ou alto dirigente da Conmebol deram as caras por aqui. Nos jogos do Chile, a presidente Michelle Bachelet ficou sozinha na tribuna de honra. Questionada sobre a ausência de Napout, a Conmebol ainda não respondeu. Já Del Nero se diz indeciso sobre a viagem por outros motivos. Efetivamente sobre o tratado Chile e Estados Unidos, nunca houve nenhum tipo de ação que se pudesse colocar o tratado em prática. Mas para tudo há uma primeira vez.

Leia também:
Luiz Flávio Gomes: Corrupção no futebol e cleptocracia
A CPI da CBF só poderá ser levada a sério se Romário também investigar a Globo
Copa América esconde três empresas envolvidas em investigação na Fifa
Paulo Villaça: Na Câmara dos Deputados, quem barrou a CPI da Nike/CBF?
Entre gângsteres, esquerdistas e até roqueiros: O que motiva o FBI no caso Fifa?
Sérgio Moro, o justiceiro da Globo, foi patrocinado pela CBF
Fifa/CBF: Agora falta explicar por que quem pagou menos transmitiu de forma exclusiva o futebol
São Paulo fica no Brasil?
A corrupção é na Fifa, mas a notícia é contra o PT
Janio de Freitas: Havelange e Teixeira, parlashopping e 46 tucanos desmascarados de vez
Os mistérios de Ronaldo, além da final com a França
Rabo preso: Em 2008, Marin recebeu o Colar do Mérito Institucional do Ministério Público
O dia em que o JN se despediu do parceiro Ricardo Teixeira, o homem da propina de R$73 milhões
Rede Globo mentiu sobre envolvimento da mídia no escândalo da Fifa
O péssimo exemplo de Neymar Jr.
Nike deu US$30 milhões a Hawilla no acordo com Ricardo Teixeira
Andrew Jennings, uma pedra no sapato da Fifa
Rede Globo e Nike são citadas em inquérito sobre corrupção no futebol
Novas denúncias colocam a Alemanha no escândalo da Fifa
Corrupção é coisa de país do Terceiro Mundo. É mesmo?
Quanto vale a opinião de Ronaldo?
Em troca da Copa 2006, Alemanha cedeu armamentos e propina para vários países
O sigilo total sobre Ricardo Teixeira e Rossell, ex-Barça. A grana se foi, doutores do MP.
Em ação contra Ricardo Teixeira no STF, Joaquim Barbosa pulou fora
Luciano Martins Costa: Futebol e o ninho de ratazanas
Acordo com ditadura possibilitou eleição de Havelange à Fifa
A Receita Federal tem medo de falar na Globo?
Ricardo Teixeira é o homem-bomba que a Globo não quer ver denunciado
A CBF e a cara do Brasil
Paulo Moreira Leite: A síndrome de Pelé
Fifa: Saiba por que o silêncio de Ronaldo e Pelé está ligado a J.Hawilla e aos EUA
Como os editores escolhem a capa da Veja
Por uma lei que obrigue os candidatos a usarem a logomarca de seus patrocinadores
Globo silencia sobre a corrupção em seu quintal
De dono do futebol brasileiro a delator: A ascensão e queda de J.Hawilla
Por que a Polícia Federal se sentou em cima das fraudes da CBF nestes anos todos?
Corrupção na Fifa: Quais são os negócios do réu confesso com a Globo
Como o homem que tentou eleger Marina Silva virou escudo de Del Nero na CBF
Especialista de Harvard alerta sobre interesses dos EUA em crise na Fifa
Leão vai pra cima dos sonegadores do futebol
Fifa: Globo esconde que J.Hawilla é sócio de filho de João Roberto Marinho
Golpe imperialista: EUA pedem cancelamento da Copa na Rússia e o afastamento de Blatter
Será que tem alguém que ainda quer alguma coisa padrão Fifa?
Prender Dirceu e Genoíno é fácil. Difícil, no Brasil, é prender Marin
O escândalo da Fifa “é só o começo”, diz polícia norte-americana
Recordar é viver: Marin e Aécio Neves, uma tabelinha impagável
Vídeo: A prisão de José Maria Marin e a compra de resultados no futebol
Recordar é viver: Dilma quer Marin fora da CBF
O jornalista que expôs a corrupção da CBF
Jornalista que investigou Ricardo Teixeira é condenado sem conhecer acusação
É intolerável ver Marin na abertura da Copa 2014, diz filho de Herzog
Futebol e ditadura: Filho de Vladimir Herzog cria petição online para tirar Marin da CBF
Após denúncias, Marin, presidente da CBF, garante R$100 mil por mês a Teixeira
Comissão da Verdade pode citar José Maria Marin pela morte de Herzog
José Maria Marin foi o responsável pela prisão de Herzog
CBF: Alguém explique pra Globo a diferença entre comissão e propina
CBF: A Globo está envolvida no suborno de Havelange e Ricardo Teixeira
Tremei TV Globo: João Havelange e Ricardo Teixeira recebiam propina
Depois das denúncias vindas da Suíça, a Globo vai blindar Havelange e Teixeira?
Globo não revela seus codinomes no relatório da propina a Ricardo Teixeira
Allianz Parque: O dia em que a Globo e a CBF censuraram um estádio
O caso de sonegação da Globo e o escândalo HSBC
PF confirma abertura de inquérito contra sonegação da Globo
Rede Globo sonega milhões de reais em impostos
A Globo e a ditadura militar, segundo Walter Clark
Estarrecedor: Por sonegação, Receita Federal notificou a Globo 776 vezes em dois anos
Rede Globo tem os bens bloqueados pela Justiça
Ex-funcionária da Receita que sumiu com processos contra TV Globo é condenada à prisão
Leandro Fortes: O povo não é bobo
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 1ª parte: “Injusto é pagar imposto no Brasil.”
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 2ª parte: Como o processo sumiu da Receita e sobreviveu no submundo do crime
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 3ª parte: A história da funcionária da Receita que sumiu com o processo
Vídeo: O documentário sobre o escândalo de sonegação da Globo
Vazou tudo: Sonegação da Rede Globo está na web
A sonegação da Globo, o Ministério Público e a PEC 37
Saiba como funcionava a empresa de fachada das Organizações Globo nas Ilhas Virgens

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: