Por que o mundo odeia tanto os Estados Unidos?

Estatua_Liberdade01_Terror

Nenhum país na história humana foi responsável por tantas agressões, diretas ou indiretas, contra outras nações.

Via La Jornada em 19/6/2015

Em reação ao massacre perpetrado na quarta-feira, dia 17/6, numa igreja de Charleston, Carolina do Sul, o presidente estadunidense Barack Obama voltou a se referir a uma das questões pendentes de sua administração: a necessidade de regular a venda de armas em seu país, onde a cada dia mais de 80 pessoas morrem por disparos de armas de fogo. O mandatário disse que teve de falar desse problema demasiadas vezes e lamentou a morte de gente inocente porque alguém com intenções dolosas teve fácil acesso a uma pistola ou a um rifle.

Mesmo se os assassinatos com armas de fogo são lamentavelmente comuns nos Estados Unidos, o massacre cometido contra a igreja africana metodista episcopal Emanuel teve a grave singularidade de um claríssimo crime de ódio, perpetrado por um branco contra uma congregação religiosa afro-estadunidense e com plena intenção de ferir os membros desta minoria.

Num ano marcado pelos protestos maciços contra os homicídios de jovens negros por policiais brancos, o crime daquela quarta-feira pode ser um sinal de fortalecimento de velhas ideologias de ódio, encobertas pelo politicamente correto, mas nunca erradicadas da mentalidade de muitos integrantes da maioria anglo-saxônica no país vizinho.

O fato é que, causados por distintas motivações, estes massacres se repetem periodicamente em jardins de infância, igrejas, centros comerciais, universidades e até instalações militares dos Estados Unidos. Perante esta realidade, Obama instou seus concidadãos a refletir por que essa violência em massa não ocorre com tão alarmante frequência em outros países desenvolvidos. Esta interrogante evoca e atualiza o que expressou seu antecessor no cargo, George W. Bush, depois dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001: Por que o mundo odeia tanto os Estados Unidos? No fundo, a pergunta formulada pelo político democrata é: por que os estadunidenses se odeiam tanto a si mesmos?

Há uma resposta que tanto Obama quanto Bush, bem como a classe político-empresarial e amplos setores da sociedade estadunidense, se negam a reconhecer: a superpotência é um Estado estruturalmente violento, onde o uso da força como mecanismo de resolução de diferenças é posto como exemplo para todos os cidadãos.

Nenhum país na história humana foi responsável de tantas agressões, diretas ou indiretas, contra outras nações: invasões militares, bombardeios, ocupações, patrocínio de atos terroristas, sabotagens, bloqueios, desestabilizações, assassinatos seletivos e sequestros extrajudiciais formam parte dos métodos com que os Estados Unidos impuseram seus interesses em dezenas de nações da África, da Ásia, da Europa e da América, incluído o México em várias ocasiões.

Leia também:
Puro fascismo: EUA declararam guerra à democracia
Por que os norte-americanos não podem viver sem guerra?
10 falsas justificativas para o ataque dos EUA à Síria
Conheça 7 ataques químicos que os EUA se negam a comentar
Pesquisa aponta os EUA como a maior ameaça à paz no mundo
Guerra do Iraque contabiliza 174 mil mortes em dez anos
Por que os EUA bombardearam Hiroshima se a guerra já estava ganha?
Tariq Ali: Às vésperas de uma guerra obscena
Uma breve história da guerra dos EUA contra a Síria: 2006-2014
Quem produz armas faz a guerra

3 Respostas to “Por que o mundo odeia tanto os Estados Unidos?”

  1. José Jésus Gomes de Araújo Says:

    Pois é. O presidente dos EUA querendo limitar a posse de armas de fogo e, no Brasil, projeto parlamentar para liberar a posse de armas de fogo. A ganância dos fabricantes de armas, defendida pelos também irresponsáveis parlamentares por eles financiados – a bancada da bala – não pensa nas consequências para a sociedade. Já tivemos um plebiscito sobre a questão, votei sim ao desarmamento (com muito orgulho e senso de humanidade) e fomos parte vencida.

  2. Marco Sousa Says:

    Ótima reflexão e “indicação de fatos”, parabéns!.

  3. Dayse Silva Says:

    Infelizmente esta é uma verdade.
    Existe a idéia de que os EE.UU. sentem-se como sucessores históricos dos romanos antigos, os quais foram tão violentos.
    A indústria de armas nos EE.UU. é fortíssima, sendo, por outro lado, frequentes as incursões bélicas do País em várias regiões deste Planeta e em vários momentos, ao longo do tempo, causando tantas mortes.
    Parece que há uma banalização do uso de armas naquele País. Tanto é que o pai deu de presente de aniversário ao seu filho de 21 anos uma arma de fogo.
    Por que ele não lhe deu, por exemplo, um bom livro?
    É possível que tudo isto influencie a mente de jovens como este, que se investiu contra a comunidade negra americana, evidenciando, além de crueldade, racismo.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: