Fracassa a missão de Aécio Neves para “salvar” Venezuela

Aecio_Venezuela01Via Brasil 247 em 18/6/2015

Os senadores brasileiros, liderados por Aécio Neves (PSDB), decidiram retornar ao Brasil, na noite de quinta-feira, dia 18/6, após ver fracassar a tentativa de visitar, em Caracas, na Venezuela, a pretexto de uma “missão política e diplomática”, o líder da oposição naquele país, Leopoldo Lopez, que está preso. Pelo Twitter, Aécio disse que a comissão tentou, mais de uma vez, se dirigir ao presídio, mas “o trânsito, sob influência dos bloqueios”, tornou a iniciativa “impossível”. Em seguida, ele publicou que o grupo voltou ao aeroporto e deve retornar ao Brasil. O também tucano Aloysio Nunes confirmou que o grupo desistiu da missão.

“O que aconteceu em Caracas foi uma coisa vergonhosa. Esse governo venezuelano, Nicolás Maduro, enlouqueceu. Ele criou uma enorme confusão no trânsito na cidade, mobilizou um grupo de 200 pessoas para nos cercarem, nos agredirem, jogarem pedras. O governo brasileiro tem o dever de falar alto e grosso contra esses assassinos. Queremos a paz na Venezuela”, afirmou Aloysio, em áudio divulgado em suas redes sociais.

No Twitter, o fato está sendo encarado como um “mico internacional”. A hashtag #AecioMicoInternacional tem sido replicada por centenas de internautas [na noite de quinta-feira, dia 18/6, ela ficou entre os dez assuntos mais comentados no Brasil], que ironizam a tentativa do senador tucano de visitar a Venezuela.

A Câmara dos Deputados aprovou uma moção de repúdio aos atos de protesto contra a delegação brasileira de senadores que foi à Venezuela para verificar as condições dos opositores ao governo venezuelano presos naquele país.

O deputado Vanderlei Macris (PSDB/SP) disse que o episódio ocorrido na Venezuela confirma que houve um movimento organizado e contrário aos senadores líderes de oposição brasileiros em missão naquele país. “Esse Parlamento dá uma demonstração clara de repúdio contra agressões sofridas por brasileiros na Venezuela”, disse ele, ao defender a moção de repúdio por conta da intimidação sofrida por senadores brasileiros. A moção foi apresentada pelo deputado Nilson Leitão (PSDB/MT).

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, relatou a conversa que teve por telefone com o chanceler brasileiro, Mauro Vieira, que foi acionado pela presidente Dilma Rousseff para atuar no incidente.

“Ele alega que o governo brasileiro autorizou o transporte da delegação em avião da Força Aérea Brasileira. Lá chegando, com proteção policial, houve o deslocamento até o local da visita, feito com o embaixador [brasileiro] seguindo em carro próprio e a delegação em um micro-ônibus. No caminho, militantes tentaram agredir o ônibus, mas a proteção policial funcionou para impedir qualquer desdobramento de natureza mais grave”, informou Cunha ao Plenário.

“É claro que o episódio provoca uma tensão, e a delegação decidiu retornar ao aeroporto e ao Brasil, com proteção policial aumentada. Essa é a versão do ministro”, completou o presidente da Câmara, que cobrou uma posição oficial do governo brasileiro sobre o episódio e a garantia da integridade da comitiva de senadores.

Para o deputado Glauber Braga (PSB/RJ), no entanto, as informações relatadas não eram suficientes para que a Câmara aprovasse a moção. “Por enquanto, só tenho o relato de vossa excelência [Eduardo Cunha] e o Twitter do senador Ronaldo Caiado [DEM/GO], com todo o respeito que tenho por ele e sabendo de suas posições ideológicas, que são claras”, disse Braga.

Já o líder do PSOL, deputado Chico Alencar (RJ), disse que a moção não é nenhuma afronta ao governo venezuelano. “Essa moção do Parlamento está enxuta, não acusa governos e fala do devido respeito a uma comitiva parlamentar”, disse Alencar.

Posição do governo
O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT/CE), disse que o governo brasileiro, por meio do Ministério das Relações Exteriores, já está em contato com o governo venezuelano e tomando providências. “É fato que houve o episódio. O Itamaraty já está acionado. O governo está tomando todas as providências: primeiro, para garantir a integridade física e o direito de ir e vir da delegação brasileira”, explicou Guimarães.

“A presidente Dilma Rousseff já está acionando o governo da Venezuela, e o nosso governo não vai aceitar qualquer ação do governo venezuelano que comprometa o direito de ir e vir de líderes da oposição do Brasil”, completou.

Mercosul
O deputado Celso Russomanno (PRB/SP), por sua vez, lembrou que a entrada da Venezuela no Mercosul foi condicionada à autorização para que os países membros pudessem fiscalizar o exercício da democracia naquele país.

“A garantia de parlamentares brasileiros é o mínimo que se pode exigir. Por lá, as coisas acontecem de maneira orquestrada. Certamente para que os parlamentares não tivessem êxito no que foram fazer lá”, disse.

A líder do PCdoB, deputada Jandira Feghali (RJ), destacou que é clara a luta político-ideológica que está estabelecida no Plenário. “A informação sobre esse caso ainda está nebulosa. Não sei se foi marcada ou se não foi marcada [a viagem]. Se a Venezuela sabia da visita. Não sei como o processo se deu. Não devemos nos meter no processo de luta política que está lá. Queria ver como seria a visita a uma cadeia norte-americana sem avisar”, indagou.

“Como se trata de parlamentares brasileiros, nós concordamos em votar a moção, mas isso não retira de nós a demarcação clara de defesa da autonomia da Venezuela”, disse a deputada.

O deputado Rubens Bueno (PPS/PR) leu uma nota publicada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, sobre o ocorrido na Venezuela. “As democracias verdadeiras não admitem conviver com as manifestações incivilizadas e medievais. Elas precisam ser combatidas energicamente para que não se reproduzam”, diz a nota.

A comitiva de senadores de oposição do Brasil estava a caminho do presídio em que está Leopoldo Lopez, preso por atuar como líder oposicionista ao governo de Nicolás Maduro. Participam da missão três senadores do PSDB – Aécio Neves (MG), Aloysio Nunes Ferreira (SP) e Cássio Cunha Lima (PB) –, dois senadores do DEM – Ronaldo Caiado (GO) e José Agripino (RN) – e Sérgio Petecão (PSD/AC).

Aecio_Venezuela03

Leia também:
Aécio e mais três patetas pagam o mico do milênio
Outro factoide do PSDB: Foi engarrafamento normal
O coxinha Leopoldo Lopez, pau-mandado do EUA, quer dar golpe na Venezuela
Quem está por trás dos protestos na Venezuela?
Venezuela: Pesquisas desmascaram golpistas
Analista alemã confirma: EUA manipulam “protestos” em todo mundo
Por que a Globo é contra o governo venezuelano
Passo a passo: O plano da Usaid para acabar com o governo de Hugo Chavez
Uma aula de Venezuela e uma dura na Globo, em plena Globo
EUA comandam protestos contra Nicolas Maduro
O que querem os EUA numa Venezuela em transe?
50 verdades sobre Henrique Capriles
Por que a Globo é contra os venezuelanos
A morte de Chavez e o ódio do senador Aloysio
WikiLeaks: O plano da Usaid para acabar com o governo de Chavez

4 Respostas to “Fracassa a missão de Aécio Neves para “salvar” Venezuela”

  1. Bene Nadal Says:

    É natural que pessoas “não muito equilibradas”, sejam eleitas “acidentalmente”, vez ou outra! No entanto o que acontece no Brasil, é estarrecedor! Não há muito, os paulistas elegeram um palhaço para deputado… Parte da imprensa brasileira escrachou, elementos do Judiciário se manifestaram veementemente contra… No entanto(sem levar em conta o caráter do eleito), “palhaço”; é uma profissão, que não enegrece o caráter, muito pelo contrário, o Brasil precisa de palhaços para fazer seu povo ter menos estresse! Todavia os “elementos” que a nossa sociedade elegeu para a Câmara Federal e o Senado, neste último pleito, é no mínimo lamentável, é de “tirar o chão”!
    Elementos como o presidente da Câmara, o presidente do Senado, deputados homofóbicos e preconceituosos como Feliciano, senadores que envergonham até as pessoas menos instruídas, como; Aécio, Aluízio, Caiado… Nos faz imaginar que voltamos à idade média, pra não dizer à idade da pedra… E isso deixa bem claro, a capacidade da mídia; escrita, falada e televisionada; de promover a lavagem cerebral, alienando, distorcendo a mente, idiotizando pessoas de todas as camadas sócio econômicas…

  2. Rita Says:

    Gostei do comentário da Dayse. Preciso.
    Agora, imaginem este senhor como presidente do Brasil…

  3. Dayse do N. Silva Says:

    Fiquei estarrecida com o que li neste reportagem.
    Como pode, um grupo de políticos saírem de seu País, para interferir na política de outro País? E, ainda, usando o artifício de ato humanitário em favor de um político prisioneiro.
    Que teatro ridículo. Que vexame.
    A reação de cidadãos Venezuelanos foi clara: não aceitamos interferência de políticos estrangeiros em nosso País.
    O recado está claramente dado.
    Espera-se, no mínimo, que tal vexame não se repita, envergonhando o Povo Brasileiro.

  4. Marco Sousa Says:

    Queiram LEMBRAR ao Sr. Renan Calheiros que suas palavras (recomendações): “O deputado Rubens Bueno (PPS/PR) leu uma nota publicada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, sobre o ocorrido na Venezuela. “As democracias verdadeiras não admitem conviver com as manifestações incivilizadas e medievais. Elas precisam ser combatidas energicamente para que não se reproduzam”, diz a nota.” devem ser observadas pelas manifestações interna (aqui no Brasil) pela oposição PSDB + DEM + PPS + Coxinhas + Revoltados Online + Paneleiros(as) e demais senhores que se sintam incomodados pelos resultados gerais e democráticos das eleições passadas que elegeram “Dilma” Presidente do Brasil e, não apenas, pela Venezuela. Veja então, o Sr. Presidente do Senado + Sr. Presidente da Câmara dos Deputados que (penalidades) aplicar nessas últimas e futuras manifestações dessa “gente”, a República é Democrática e não terreno particular (quintal) da oposição. Portanto, Srs. Presidentes da duas Casas legislativas, cumpram antes, aqui dentro as recomendações de (direito e democracia) para só então exigir dos países vizinhos.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: