Seis motivos para manter a Petrobras como operadora única do pré-sal

Serra_JN

José Serra e seus amigos estão fazendo de tudo para entregar a Petrobras para os gringos.

Não podemos aceitar o entreguismo do projeto de lei de José Serra. A Petrobras operadora única no pré-sal é uma conquista histórica do povo brasileiro.

Via Carta Maior em 16/6/2015

1) Para avançar com soberania energética e ambiental: controlando a produção, garantido o abastecimento nacional, evitando a extração predatória, os riscos de acidentes e maiores custos econômicos no futuro.
A operação única pela Petrobras no pré-sal brasileiro garante ao Estado nacional, que detém a maioria do capital votante da empresa, o planejamento da produção, escapando da armadilha da produção rápida e predatória, que compromete os reservatórios e traz inúmeros riscos ambientais como o ocorrido no acidente no campo de frade no litoral do Rio de Janeiro em novembro 2011 operado pela estadunidense Chevron.

O petróleo por muitos anos será estratégico como energético (responsável por mais de 50% da matriz mundial) e como matéria-prima (presente em mais de 3 mil produtos). Garantir, sua exploração e uso adequado na atualidade, e que não faltará este recurso para as futuras gerações de brasileiros é obrigação de todos.

São inúmeros os exemplos de nações que submeteram a produção a multinacionais que operam sobre a lógica meramente econômica e hoje se encontram em maus lençóis. As situações vividas por nossos vizinhos argentinos onde após a privatização exportaram petróleo a US$40,00 o barril e mais tarde tiveram de importar a mais de US$100,00, ou da Indonésia, que exportou petróleo a US$10,00 o barril e hoje drena seus recursos pagando pelo mesmo barril de petróleo US$60,00, são procedimentos que não devemos repetir em nosso país.

2) Para preservar e ampliar o conhecimento, bem que vale mais do que o dinheiro.
Ter a Petrobras como operadora única é essencial para garantir o domínio e a continuação do desenvolvimento tecnológico. O nível tecnológico atingido pelos trabalhadores da Petrobras é fruto de muito trabalho e desenvolvimento científico. Ceder a condição de operadora única dificulta esta vantagem estratégica, expõe nossa capacidade de vanguarda a potenciais competidores e desperdiça oportunidades de aprendizado.

A Petrobras recebeu em maio de 2015 o prêmio da OTC (Offshore Technology Conference) considerado o Nobel da indústria petroleira. Este prêmio foi graças a nossa produção no pré-sal. Chegar a essa condição custou sangue, suor e lágrimas a gerações de brasileiros. As três coisas mais importantes para uma empresa de energia são: mercado, reservas e conhecimento tecnológico. O Brasil através da Petrobras detém os três sendo o conhecimento o mais difícil de ser alcançado.

Não temos nenhuma dúvida que a história vitoriosa da Petrobras, e seu extraordinário potencial indica plena capacidade de ser a operadora única no pré-sal. Mesmo vivenciando dificuldades momentâneas em relação a sua capacidade financeira, fato que já está sendo superado com uma política adequada de preços, a Petrobras conseguiu em apenas 8 anos após a descoberta do pré-sal, uma produção de cerca de 800 mil barris por dia, fato inédito na indústria do petróleo.

3) Para garantir que o petróleo produzido e os royalties recolhidos sirvam aos interesses do povo brasileiro.
A operadora é responsável por medir o petróleo produzido e submeter a informação às instituições de controle e regulação.

A produção sobre as condições do pré-sal, a quilômetros de distância da costa dificulta e muito a fiscalização. Seguramente a melhor forma de acompanhamento pelo povo, e por nossas instituições nacionais dessa importante questão é estar sob controle da Petrobras. Ter a Petrobras como operadora única, com o adequado controle público, é maior garantia na destinação dos Royalties para educação e para a saúde.

Além do mais, a propriedade do petróleo da às nações vantagens geopolíticas, na medida em que, o Estado pode administrar uma base natural rara, não renovável, desigualmente distribuído no planeta e sobretudo essencial para a sobrevivência a segurança e o bem-estar de todos os Estados.

4) Para alavancar o desenvolvimento, com o conteúdo local, gerando mais e melhores empregos.
A Petrobras como operadora única tem plenas condições de dirigir os empreendimentos. Incentivando de forma organizada o desenvolvimento da indústria de bens e serviços. Essa condição é essencial para a política industrial brasileira, maximizando o conteúdo local, em bases competitivas, e garantindo o desenvolvimento integrado a nível nacional.

Segundo dados do Sinaval (Sindicato da Construção Naval) apesar da existência de inúmeras operadoras privadas e estrangeiras no Brasil apenas a Petrobras tem encomendas de navios e plataformas aos nossos estaleiros, portanto, a prática nos conduz a convicção, que sem a Petrobras, a política do conteúdo local tão importante para impulsionar o desenvolvimento nacional ficará só no papel.

A operação e a condução dos empreendimentos pela Petrobras possibilitam que mais e melhores empregos sejam criados no Brasil. Este fator estimula o estudo, a pesquisa e o conhecimento, potencializando a inteligência local, garantindo as condições para o intercâmbio de experiência com o conhecimento produzido a nível mundial.

5) Para manter a integralidade da Lei da Partilha.
A Lei da Partilha 12.351/2010 aprovada pelo Congresso Nacional representou um salto de qualidade para a produção de petróleo no Brasil. Esta lei possibilita a estruturação de uma grande nação alavancando o desenvolvimento nacional, garantindo soberania energética e dando destino social ao retorno econômico, resolvendo assim nossos ainda graves problemas sociais.

A Petrobras, como operadora única do pré-sal, é parte fundamental do modelo formulado na partilha para garantir esse tripé: soberania energética, desenvolvimento econômico e destinação social. Mudar esse ponto irá “desfigurar a Lei da Partilha” comprometendo a utilização adequada de um recurso que a natureza levou 150 milhões de anos para produzir.

6) Porque acreditamos no Brasil, na nossa potencialidade e na nossa capacidade
A história da indústria do petróleo em nossa Pátria é cheia de desafios, que foram sendo superados um a um com perseverança, determinação e muito trabalho.

Superamos o desafio de encontrar o sonhado petróleo no Brasil. Superamos o desafio de desenvolver uma empresa e uma indústria potente e exemplar.

Superamos o desafio de sermos autossuficientes em petróleo. Superamos o desafio histórico, ao descobrir o pré-sal, que para o consumo nacional, temos petróleo para mais de 100 anos.

Confiamos plenamente no povo brasileiro, na capacidade de superarmos problemas que possam surgir.

A Petrobras operadora única no pré-sal é mais uma conquista histórica. Manter esta conquista é um desafio de todos que lutam por um país justo, democrático e fraterno.

Rio de Janeiro, 15 de junho de 2015.

FUP – Federação Única dos Petroleiros
CUT – Central Única dos Trabalhadores
MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens
Plataforma Operária e Camponesa para Energia

Leia também:
Dilma rechaça vendilhões da pátria: Regime de partilha continua
Janio de Freitas: A Petrobras e o bom negócio
OsAntiPira: Petrobras tem lucro de R$5,33 bilhões no 1º trimestre
Produção no pré-sal ultrapassa 800 mil barris por dia e bate recorde
Petrobras: Novos poços do pré-sal têm influenciado queda de custo
Procurador “decreta” o fim da exploração do pré-sal
Petrobras, no caminho da retomada
Mauro Santayana: A disputa pelo pré-sal
Norte-americanos “não estão nem aí” para crise, diz assessor da Petrobras
Ato em favor da Petrobras: Entenda como a mídia corporativa tenta manipular você
Lula afirma que ataque à Petrobras quer derrubar partilha na exploração do pré-sal
A Petrobras é do povo brasileiro: Não se aceita nem corrupção, nem entreguismo
No Senado, presidente da Petrobras avalia que as perdas da empresa podem ser menores
Na surdina, José Serra apresenta projeto que desobriga Petrobras de participar do pré-sal
“Pagamento de propina na Petrobras transcende o PT e o PSDB.”
O tamanho da crise da Petrobras
Trabalhadores da Petrobras propõem “reestatização” e criticam papel da mídia
FHC ao FMI: “CEF, BB e Petrobras estão à venda.”
Petrobras vai investir US$236,7 bilhões nos próximos cinco anos
Petrobras responde à turma da Petrobrax
PSDB debate Petrobras: É o partido da piada pronta
PSDB, da Petrobrax, ensina como gerir Petrobras
Petrobras cala a boca do PIG nativo e internacional
Stanley Burburinho: Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
Petrobras: Dilma terá de pagar dívida de R$4,7 bilhões deixada por FHC
Se cuida, Dudu: Brasil investiga Pasadena, mas refinaria de Pernambuco é problema maior
Antonio Lassance: Quem tem medo de uma CPI ampla?
Valor Econômico mistura números e eleva prejuízo de Pasadena para US$2 bilhões
Petrobras assinala recordes em refinaria e de extração no pré-sal
Petrobras: 42 milhões nada, Astra pagou quase US$500 milhões por Pasadena
Memória curta da oposição disfarça falta de propostas
Negócio mais polêmico da Petrobras vem da era FHC
Ano a ano, os estragos que FHC fez na Petrobras
Para ler, divulgar e guardar: O legado de FHC e outras “obras”
O dedinho de FHC, o porto de Cuba e as hidrelétricas do Aécio
O contra-ataque do governo na CPI da Petrobras
Recordar é viver: Justiça mira gestão da Petrobras na era FHC
A Petrobras e as tucanisses
Miguel do Rosário: Documentos comprovam que Astra pagou mais por Pasadena
Alguns esclarecimentos importantes sobre Petrobras e Pasadena
A Petrobras incomoda
A Petrobras é o alvo do ódio, mas fingem que a defendem
Lobos e cordeiros nos ataques especulativos à Petrobras
Janio de Freitas: O mistério do futuro
O jogo pesado: Tirar a Petrobras de campo
Sérgio Gabrielli explica a senadores detalhes da compra da refinaria nos EUA
A história de Pasadena que a “grande mídia” não contou e o vídeo não editado pela Globo
Ata confirma versão de Dilma sobre Pasadena
Petrobras lança US$8,5 bilhões em bônus e demanda supera US$22 bilhões
Petrobras bate rivais em todos os indicadores
Petrobras bate novo recorde de produção no pré-sal
Petrobras valia US$15,4 bilhões em 2003. Hoje vale R$214,6 bilhões. O que a mídia noticia
Faz algum sentido tratar a Petrobras como uma empresa quebrada?
Banco ataca e depois “enche o carrinho” de Petrobras
Mídia golpista e PSDB noticiam: Petrobras tem “32% de chances de falir”. É? Então a Vale tem 59%
“Consultores” da Folha criam o inédito: Maior campo do mundo é “problema para a Petrobras
Lucro menor da Petrobras tem nome: investimento gigante
Petrobras 60 anos, com meta de dobrar produção
Lula critica “bisbilhotice” de Obama sobre Dilma e a Petrobras
Petrobras tem lucro de 40% mais que o “previsto”
“Bomba” da Época difamando a Petrobras é desmentida em 24 horas
Um recorde após outro: E a Petrobras está em crise?
Petrobras bate rivais em todos os indicadores
Petrobras bate novo recorde de produção no pré-sal
Transpetro alcança marca de 10 navios lançado ao mar
Dilma diz que leilão do Campo de Libra é “passaporte para o futuro”
Os lances de Libra e o lance de 2014
Economistas que privatizaram a Vale deveriam se envergonhar de criticar Libra
Pré-sal: O discurso que Aécio não fez e engoliu
Paulo Moreira Leite: Quem perdeu no pré-sal
A redistribuição social da renda petroleira
FHC leiloou Campo de Libra por R$250 mil
Os números finais do leilão do Campo de Libra
Mídia golpista e PSDB noticiam: Petrobras tem “32% de chances de falir”. É? Então a Vale tem 59%. Que burros. Dá zero pra eles!
Dilma: “Quem quer mudar a regra do petróleo, que mostre a cara.”
Pré-sal vai gerar 87 milhões de empregos
União terá 85% de lucro com o Campo de Libra: “Isso é bem diferente de privatização”, afirma Dilma
Pré-sal: Brasil ganha R$1 trilhão no leilão do Campo de Libra, alcançando recorde mundial
Paulo Moreira Leite: A chance perdida por Gilmar Mendes no caso da Petrobras
Aécio Neves ataca tentativa governista de incluir caso Alstom em CPI da Petrobras
Privataria: Ano a ano, os estragos que FHC fez na Petrobras
Investigações aumentam ligações da gestão FHC à corrupção na Petrobras
Lei de FHC afrouxou controles na Petrobras
FHC: A plataforma P36 e a corrupção na Petrobras
Stanley Burburinho: Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
Negócio mais polêmico da Petrobras vem da era FHC
Adriano Benayon: O Brasil e a Petrobras
Para jornal O Globo, esquema de propina na Petrobras vem desde a era FHC
Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
FHC ao FMI: “CEF, Banco do Brasil e Petrobras estão à venda.”
Dupla identidade: A heroína do Fantástico e a Venina do Linkedin
O veneno da edição da entrevista de Venina
Petrobras: Graça Foster desmonta a farsa de Venina
Enquanto a Petrobras é massacrada, a Sabesp é convenientemente esquecida
Petrobras e HSBC: Não precisam explicar, só queremos entender
Tucanagem: Deputados oposicionistas da CPI da Petrobras receberam doações de empreiteiras
Senadores da oposição desistem da CPI da Petrobras e querem investigar BNDES
Luis Fernando Verissimo e o cerco à Petrobras
Dilma: Se a corrupção na Petrobras tivesse sido combatida entre 1996 e 1997, cenário atual seria diferente
Petrobras atinge novos recordes de produção de petróleo no pré-sal
Petrobras recebe maior prêmio da indústria de petróleo e gás offshore mundial
O festival de asneiras em torno dos R$88 bilhões da Petrobras

Uma resposta to “Seis motivos para manter a Petrobras como operadora única do pré-sal”

  1. Rita Says:

    O primeiro motivo já me basta.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: