Fernando Haddad aperta o cerco à corrupção e ao enriquecimento ilícito

Haddad_Roberto_Porto01

O prefeito de São Paulo anunciou projeto e decreto ao lado do controlador-geral, Roberto Porto.

Para prefeito, “evolução patrimonial não significa que funcionário fez coisa errada, mas se não explicar, é caso de demissão”. Em dois anos, CGM obteve retorno de R$90 milhões aos cofres da administração

Eduardo Maretti, via RBA em 26/5/2015

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), anunciou na tarde de terça-feira, dia 26/5, um decreto estabelecendo um “código de ética” para os servidores públicos municipais e um projeto de lei, que seria encaminhado ainda nesta terça-feira à Câmara Municipal, para alterar a Lei Orgânica do Município e tornar expressa a demissão de funcionários “que não observem alguns procedimentos”. “A lei vai prever que é caso de demissão um funcionário público não conseguir explicar a sua evolução patrimonial”, disse o prefeito. Segundo ele, o PL é necessário para preencher uma lacuna legal.

Se a proposta for aprovada, será expressa a aplicação da “pena de demissão” ao funcionário que “apresentar evolução patrimonial incompatível” com seus recursos. “Se você tem uma evolução patrimonial não significa que você fez alguma coisa errada. Mas se você não conseguir explicar, será caso de demissão, independentemente de qual seja a fonte do recurso que permitiu, por exemplo, comprar bens”, explicou Haddad.

O prefeito esclareceu que, embora o enriquecimento ilícito não seja crime no Brasil, a administração pública pode, em sua Lei Orgânica, determinar que ele é motivo de demissão. “Não cabe um servidor que não consegue explicar sua evolução patrimonial ser mantido. Esse é o pressuposto do projeto de lei. Todo servidor público tem de conseguir explicar, senão alguma coisa errada está acontecendo e isso é motivo suficiente para o afastamento.”

Já o que chama de Código de Ética, segundo Haddad, “vai para além da legalidade, atua no campo da moralidade: nem tudo o que é imoral é ilegal. Por isso o Código de Ética tem uma série de recomendações para disciplinar regras de conduta. Que podem não ser ilegais, mas não são adequadas para um servidor”, disse o prefeito.

O controlador-geral do município de São Paulo, Roberto Porto, disse que o PL “dá agilidade aos procedimentos para acelerar os processos de demissão no âmbito da procuradoria e do Proced (Departamento de Procedimentos Disciplinares)”.

Porto citou como emblemático o caso de José Rodrigo de Freitas, conhecido como “Rei dos Fiscais”, funcionário da prefeitura há cerca de 30 anos, que, com salário de R$20 mil, adquiriu mais de 120 imóveis, patrimônio avaliado em R$70 milhões. A Controladoria encaminhou na segunda-feira, dia 25/5, o caso ao Proced. “Isso passa a ser previsto expressamente como causa de demissão, independentemente de se comprovar uma conduta indevida no serviço público”. Com as regras do PL, não será necessário, para demitir o servidor, provar que o ilícito ocorreu na esfera da administração pública.

O projeto prevê que os agentes públicos não poderão receber presentes, benefícios ou viagens, a não ser os que decorrerem de premiações, e brindes só serão permitidos quando seu valor comercial não ultrapassarem R$100,00. As autoridades da “alta administração”, inclusive o prefeito, estarão obrigadas a comunicar à Controladoria alterações relevantes de seu patrimônio, assim como transferência de bens a familiares e a aquisição do controle de empresas.

Balanço
Segundo a prefeitura, após dois anos de sua criação, com o objetivo de combater a corrupção, a CGM possibilitou o retorno de mais de R$90 milhões aos cofres públicos, relativos a fraudes e irregularidades diversas. A administração municipal afirma que apenas em autuações vinculadas ao escândalo conhecido como “Máfia do ISS”, R$34 milhões voltaram ao Tesouro.

Haddad já autorizou concurso para 100 novos cargos de auditor do município. “Nosso número de profissionais vai triplicar. A previsão é que o concurso aconteça ainda neste ano”, prevê o prefeito.

Leia também:
Fernando Haddad: “A cidade de São Paulo é um desafio para qualquer político.”
Crack, Fernando Haddad e o jornalismo da Folha de S.Paulo
O dia em que Haddad deu uma aula para Sheherazade e Marco Antonio Villa
Enquanto Alckmin some, Haddad faz o trabalho do governador
Fernando Haddad: “Não aumentar a tarifa de ônibus seria demagogia, puro eleitoralismo.”
Fernando Haddad fala sobre Marta, Chalita, a lógica do MPL e o “caipirismo” do PSDB
O plano para as finanças da cidade de São Paulo
Não é pelos cinquenta centavos: Haddad desmonta manifestação do Passe Livre
Em 2015, Fernando Haddad voltará a dar aulas na USP
Fernando Haddad eleva piso e abre 3,5 mil vagas de professor
2016 já começou em São Paulo e Haddad é o alvo
Haddad: “PT está muito mais maduro do que em 2003.”
Secretário de Educação de Haddad desmonta factoide da Folha
Fernando Haddad e a derrota do cinismo
O que não se fala sobre o IPTU da cidade de São Paulo
A lógica inatacável do aumento do IPTU em São Paulo
O falso escarcéu sobre IPTU
Haddad diz que não vai tolerar “terrorismo do monopólio da comunicação”
Prefeitura de São Paulo isenta 3,1 milhões de famílias de pagamento do IPTU
Fernando Haddad já pode alçar voos mais altos
Em rede social, Fernando Haddad critica policiamento na Cracolândia
Fernando Haddad quer aumentar o salário de médicos e ampliar fiscalização das OSSs
Como Fernando Haddad venceu a corrupção que outros não combateram em São Paulo?
Para professor da USP, gestão de Fernando Haddad pode virar marco em São Paulo
Em ato histórico, prefeito Haddad prioriza minorias no Programa Minha Casa, Minha Vida
Haddad assina decreto para notificar imóveis que não cumprem função social
Entrevista: Haddad, ano 2
Bob Fernandes: Descoberto outro propinoduto da máfia dos fiscais de São Paulo
MP investiga gestões de Serra e Kassab por desvio de R410 bilhões do IPTU
Fernando Haddad: “A elite de São Paulo é míope e pobre de espírito.”
Entrevista com Fernando Haddad: “A Prefeitura estava tomada por corrupção.”
MP abre inquérito civil contra Kassab por receber fortuna da Controlar
Kassab recebeu uma “verdadeira fortuna” da Controlar, diz testemunha da máfia do ISS
Máfia demotucana: A lista dos corruptores do ISS
Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais
Receita do município de São Paulo sobre R$30 milhões com o fim da máfia dos fiscais
Fernando Haddad: “A máfia não seria descoberta sem a ajuda de Donato.”
Antônio Lassance: Arroubo tucano é pânico
Máfia demotucana: Investigação de propina em São Paulo avança sobre a gestão Serra
Máfia demotucana: Haddad desmente Folha sobre repasse de informações à Polícia Civil
Paulo Moreira Leite: Cardoso, Donato e a fábula da classe dominante
A máfia dos fiscais quer pegar Haddad
Máfia demotucana: Secretário ligado a José Serra será convocado a depor em São Paulo
“Não há como recuar, e não haverá recuo”, avisa prefeito Haddad
Máfia demotucana: Como a mídia protege Serra e Kassab
Máfia demotucana: Quadrilha zerou ISS de 107 prédios em São Paulo
Máfia demotucana: Situação era de degradação, diz Haddad sobre a quadrilha do ISS
MP/SP mira Kassab para livrar José Serra
Máfia demotucana: A dama do achaque abre o jogo
Máfia demotucana: “Arquiva”, manda Kassab
Máfia demotucana: A Folha se considera só um papel pendurado na banca
Máfia demotucana: Líder da quadrilha diz que Kassab sabia do esquema e esperava que ele “ganhasse a eleição”
“O implacável braço direito de Serra” e o caso de corrupção em São Paulo
Seus problemas acabaram: Filie-se ao PSDB
Braço direito de José Serra mandou arquivar denúncias de pagamento de propina para construtoras
Prefeito Haddad e a lição de ética
Após investigações, Haddad manda prender ex-funcionários da gestão Kassab/Serra
Há mais envolvidos no esquema de corrupção do governo Kassab/Serra, diz Haddad
Só depois da posse de Haddad, a Veja percebeu que a cidade de São Paulo está um lixo
Para atacar Haddad, “Estadão” usa foto da guerra do Congo para ilustrar matéria
Desespero: Cabo eleitoral de Serra, Soninha xinga Haddad de “filho da p…” e diz que odeia o povo

2 Respostas to “Fernando Haddad aperta o cerco à corrupção e ao enriquecimento ilícito”

  1. Bene Nadal Says:

    Parabéns Hadad! É de políticos sérios como você que o Brasil precisa… Aliás “políticos sérios” é mercadoria rara nos dias de hoje!

  2. Dayse Silva Says:

    Parabéns Haddad.
    Esta é uma prática, que favorecerá a grande transformação ética em nosso País.
    Espero que outros governos e demais políticos dêem, também, a sua contribuição neste sentido.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: