Vídeos: As delações e o poder dos infográficos

Miguel do Rosário, via Tijolaço em 16/5/2015

Um dia, quando pesquisadores estudarem a nossa época, poderão tratá-la como “a era da mídia”, ou seja, um tempo em que uma mídia já decadente, do ponto de vista econômico, social e político, ainda exercia grande influência sobre a agenda política.

Então os mesmos pesquisadores atentarão para o fenômeno do “infográfico”. Ele é uma ferramenta essencial para transformar teorias e boatos em verdades psicológicas.

É fácil entender a importância do infográfico.

Basta fazer a pergunta: qual a importância de um escândalo político?

Detonar o adversário.

Nos últimos dias, fez sucesso nas redes um vídeo-aula, em que se ensina a estagiários da grande imprensa a trabalharem sem risco de serem sumariamente demitidos.

Segunda vídeo-aula

Pois bem, a questão dos infográficos entra num nível ligeiramente mais avançado.

É preciso sempre fazer um infográfico, sobretudo quando as acusações que se deseja lançar sobre o adversário ainda são vagas, inconsistentes.

Por exemplo, as delações de Ricardo Pessoa, que parecem ser a última bala no cartucho dos procuradores da Operação-Lava Jato para detonar o PT.

Chega a ser engraçado. A UTC, como toda empreiteira, doou para todos os partidos.

A Folha, porém, faz um infográfico com as doações apenas para petistas ou figuras que podem ser, de alguma maneira, ligadas ao petismo.

As explicações abaixo do infográfico não precisam fazer muito sentido: é um jornalismo de baixa densidade.

Recentemente, um dos cérebros, dentro do Ministério Público, dessa era da conspirações midiático-judiciais, o procurador Vladimir Aras, publicou um artigo em seu blog falando que a delação “valia muito pouco”.

É uma balela, claro. As delações têm sido usadas como fundamento principal para a elaboração de acusações por parte da própria procuradoria. As teses de acusação são montadas a partir da delação, e não das provas. As provas físicas são consideradas a parte “flexível” da acusação. Extratos bancários, transferências de valores, documentos sobre doação de campanha, são classificados de acordo com a delação.

Por exemplo, uma doação oficial de campanha pode ser legal ou ilegal, segundo a delação.

Doações para o PSDB, por exemplo, são sempre legais. Tanto que jamais entrarão num infográfico.

Imagine fazer um infográfico sobre o trensalão, a compra de votos, a privataria tucana, ou mesmo levar a sério a delações de Youssef sobre Aécio?

Nunca!

Já as doações para o PT, são sempre ilegais. Com prova ou não. Se tiver prova de crime, ótimo, senão, dá-lhe infográfico.

O PT comete crime quando faz caixa 2, quando ocorreu no “mensalão”, e comete crime quando faz caixa 1.

Na verdade, o PT deveria desistir de fazer política e se enveredar por outra atividade, como cinema, produção de teses acadêmicas, coisas assim, deixando o caminho livre para o PSDB.

Com o infográfico, as inconsistências de uma delação ganham densidade visual. O que lhes falta em substância, será suprido em aparência.

Parece até uma tese sobre Espinoza.

Aliás, está aí um bom futuro para o PT: em vez de fazer política, onde é criminalizado faça o que fizer, deveria se tornar um curso de pós-graduação em filosofia, com especialização em Espinoza.

Lava_Jato40_Infografico

Uma resposta to “Vídeos: As delações e o poder dos infográficos”

  1. Dayse Silva Says:

    A despeito de todas as manipulações e inverdades e subjetividades, eu espero e confio na sabedoria do povo brasileiro. Eu confio na sua sensibilidade e sabedoria.
    Vejamos nas próximas eleições.
    Minha convicção é de que o nosso povo, silencioso e sabiamente dará um grande exemplo de sabedoria aos ditos “doutos” e “donos absolutos das verdades”.
    Quem viver verá!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: