É preciso “coragem” para chamar uma mulher de “vaca” da janela do prédio

Dilma_Ditadura_Militar01

A “vaca” que, na juventude, arriscou sua vida contra os militares da ditadura.

Leonardo Sakamoto

Durante o pronunciamento de Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e tevê, na noite de domingo, dia 8/3, um panelaço foi ouvido em várias cidades brasileiras. Em São Paulo, o barulho foi grande em bairros ricos como Higienópolis, Jardins, Itaim Bibi, Perdizes, Vila Madalena, Morumbi. Por outro lado, quase nada se ouviu em bairros mais pobres, como Capão Redondo, Itaim Paulista, Cidade Tiradentes e Grajaú.

Particularmente, não gostei do pronunciamento. Achei que não respondeu às principais indagações sobre a condução do governo. E não estou falando apenas da parte do combate à corrupção, mas sim de questões de manutenção de direitos trabalhistas e do desenvolvimento econômico.

E, particularmente, não tenho nada contra vaias (a menos que sejam durante a execução de hinos nacionais de outros países em jogos de Copa do Mundo – aquele episódio foi ridículo…). Também não tenho nada contra panelas que estrilam (só espero que se forem de teflon, que tenha usado colher-de-pau, porque risca). Essas coisas fazem parte da democracia. E políticos, se gostam de elogios, devem aprender a conviver com críticas.

Mas é preciso muita coragem para gritar a plenos pulmões que alguém é “vaca” da janela do apartamento, com todos os vizinhos e os transeuntes na rua olhando.

Coragem ou a certeza de que nada vai acontecer. Porque talvez a pessoa saiba que vivemos em uma sociedade misógina, que premia esse tipo de comportamento. Uma sociedade que é incapaz de fazer críticas ou demonstrar insatisfação e indignação sem apelar para questões de gênero.

Chamar de “vaca” não é fazer uma análise da honestidade e competência de alguém que ocupa um cargo público e sim uma forma machista de depreciar uma mulher simplesmente por ser mulher. De colocá-la no seu “devido lugar”, que é fora da política institucional.

E isso vale para qualquer mulher. De Luciana Genro à Roseana Sarney, de Marina Silva à Kátia Abreu. Pois a origem da truculência masculina percorre todo o espectro político. Da esquerda à direita.

O significado de “vaca” que os ignóbeis usam não remete aos simpáticos ruminantes. Se assim fosse, seria apenas especismo da minha parte reclamar da comparação. Mas o termo, neste caso, quer rotular através de uma crítica moral sobre um comportamento sexual atrelado a um gênero. Tanto que a versão masculina (“touro”) não é depreciativo, pelo contrário.

É meio ridículo explicar a adultos que mulheres, em nenhuma hipótese, devem ser criticadas por esse ponto de vista. Ou chamadas de “prostitutas” como xingamento genérico a qualquer comportamento em desacordo com o que se “espera” de uma “mulher de bem”. E que prostitutas continuem a serem reduzidas a xingamento e não tratadas com o mesmo respeito despendido a qualquer outra trabalhadora. E que alguém ainda tenha a cara-de-pau de usar a expressão “mulher de bem”. E que eu esteja escrevendo um texto sobre isso a esta hora, em um domingo à noite, quando poderia estar assistindo aos gols da rodada.

Fico imaginando se alguns dos marmanjos e mesmo das mulheres que gritaram “vaca” da janela de casa, celebraram com suas mães, esposa e amigas, algumas horas antes, o Dia Internacional das Mulheres, comemorado neste 8 de março.

A quantidade de mulheres na política, independentemente de sua orientação ideológica, infelizmente é pequena. Mas elas também estão sub-representadas como CEOs, executivas, gerentes, síndicas de condomínios. Isso sem falar das chefias de redação. E o Judiciário ainda transpira machismo, haja visto as interpretações distorcidas proferidas por arautos da masculinidade de toga sobre a Lei Maria da Penha.

Como já contei aqui neste espaço, nas manifestações de junho de 2013, abordei educadamente um rapaz que carregava um cartaz chamando Dilma de “vaca”. Pedi desculpas pela intromissão, mas expliquei que o protesto dele seria muito mais legítimo se ele usasse um termo para criticá-la que não fosse tão machista. Poderia questionar a idoneidade, a moral, a competência, a capacidade para o cargo e um sem número de coisas. Ele entendeu, ficou sem graça e disse que tinha escolhido só porque rimava com o restante da ideia.

Contudo, um senhor mais velho que o acompanhava afirmou que ela era mesmo uma “vaca”. Ele disse que sabia disso porque que era professor universitário de história e havia estudado a vida de Dilma e podia atestar que ela é uma “vaca” (WTF?). As novas gerações até tentam, mas o ranço de naftalina insiste em manter os direitos como artigo de luxo.

É o que eu já disse aqui antes: todos nós, homens, de esquerda, de direita, de centro, somos sim inimigos até que sejamos educados para o contrário. E tendo em vista a formação que tivemos, é um longo caminho até alcançarmos um mínimo de decência para com o sexo oposto. E não confundir o justo protesto com o bizarro machismo.

16 Respostas to “É preciso “coragem” para chamar uma mulher de “vaca” da janela do prédio”

  1. JOAO TWO Says:

    E quem tenta ofender a Dilma com qualquer que seja o nome, tem cérebro para pensar?
    Eles votaram num candidato FICHA SUJA, protetor e mecenas de traficantes, portanto não nem nem mesmo moral para qualquer crítica à grande DILMA.

  2. luiz Fernando Antonio Says:

    A forma deselegante, desonesta e covarde de alguns para expressar suas angustias e seu ódio é decorrente de uma educação destorcida, espúria e com provável origem desconhecida na formação de suas famílias!

  3. Teresinha Carpes Says:

    Quando eu assisti pela primeira vez a apresentação do Presidente desta CPI,eu pensei este cara é um ditadorzinho de merda.E não é que eu tenho razão??Ele sem nenhuma vergonha nomeou odois sub relatores do PSDB,o Relator que é um cara ético, é do PT(não lembro o nome dele)mesmo sem conhece-lo,ele carioca e eu gaúcha,nem conheço o Rio,mas assisti outras CPIS pelaGlobo News,há uns 10 anos!O Presidente dizem ser do PMDB,mas tem tudo de tucano!Em primeiro lugar,declarou e cagou a lei,que nesta CPI da Petrobrás é proibido investigar o FHC,e o PSDB,!Em segundo lugar,ele corta as perguntas que os petistas fazem ao mentiroso e sem moral do Barusco,que se calou quando todo petista que perguntava qual o operador da propina dele em 1994,95,96,97,98 até o ano 2002,ele dizia que não podia se pronunciar e os tucanos berravam com os petistas e interrompiam o tempo todo,sem o Presidente Ditadorsinho de merda se fingir de morto!Que vergonha,O Juiz Moro mandou o bandido do Barusco se calar,quando as perguntas dos petistas perguntavam qual era o operador a BUFUNFA que ele recebeu no exterior no tempo do FHC,e o presidente sem moral,protegeu o desejo do Moro!!Que sujeira e que GOLPE BEM URDIDO QUE JUSTIÇA E LEGISLATIVO SE UNEM PARA UM SÓ PROPÓSITO,IMPIXAR DILMA VANA ROUSSEF,UMA MULHER ÉTICA,MÃE,AVÓ,UMA TÉCNICA QUE TRABALHOU E ARRUMOU TODA A ENERGIA ELETRICA AQUI NO RIO GRANDE DO SUL E DESCOBRIU UM ROMBODA CEEE NO ANO DE 1998 NO GOVERNO SÍMON EX-SENADOR)DO PMDB DE 800 MILHÕES DE REAIS!A gauchada ainda reclama quando falta luz mais de 7 horas!

  4. André Bomilcar Says:

    Realmente tenho que concordar com vc em tudo que escreveu e lamentar por ak ainda encontrar pessoas assim. É meu depoimento que esta(s) pessoa(s) assim como o Senador da republica Aloísio Nunes que vê-la QUEIMADA e ARDENDO EM CHAMAS deveriam sim se reeducar ou reaprender a conviver com pessoas.

  5. Rosangela Silva Says:

    Tiro meu chapéu ao texto deste grande homem de verdade! Que preciso negritar com letras maiúscula que são poucos os homens dessa qualidade! Democracia não é desrespeito absoluto e nem discrepâncias desmedida de machista.Ao contrário é mediocridade pura ostentada…BRAVOOOO PARA ESTE HOMEM DE VERDADE!! NO BRASIL…NOSSO PAÍS PRECISA DE HOMENS CORAJOSOS PARA UM MUNDO MELHOR!!!!

  6. Rosa Maria de Souza Braga Says:

    Hoje, um sentimento nunca antes sentido. Vergonha compartilhada com revolta!!
    O povo não pode e nem deve reivindicar instigando ódio e desrespeito. É momento de conter a fúria humana que no auge do descontentamento, ignora que, por trás da figura representativa da Presidente Dilma existe um se humano, como nós, sensível a essa truculência desvairada.
    Não me qualifico como partidária política!…
    Sou cidadã deste país, reconheço o desalento de uns e o alento de outros.
    O lema é “Ordem e Progresso”!… Essencial para o povo e para o Brasil.

  7. Joster Alves Says:

    Atrás deste artigo uma falsa isenção de quem escreve. O termo “vaca” apenas representa um xingamento referindo-se a Dilma como uma animal, que como no pasto onde os patrões mandam ela comer. Pois este governo é corrupto e sem qualquer escrupulo.

    OBS: Coxinha é mãe ! kkkkkkk

  8. Sandra Says:

    Ache que todos tem direito de se manifestarem, mesmo que a manifestação seja fruto de desconhecimento e ignorância cronica que aflige uma meia dúzia de sem noção. Mas essas manifestações perdem a razão quando insultam e discriminam alguém pelo gênero sexual. Essa não é a primeira nem a ultima crise enfrentada pelo pais, e tão pouco é exclusividade nossa. Acho que se tivéssemos um homem no poder o discurso seria muito menos exaltados e talvez até condescendente, por que se o homem erra é normal, mais se é a mulher falta competência e sobra irresponsabilidade. Prova é que o numero de homens envolvidos no escândalo da Petrobras é muito maior que o de mulheres, mas não tem ninguém cobrando por exemplo que o nosso senador Aécio neves seja investigado e nem tenha seu mandato cassado por envolvimento em esquema de corrupção e tão pouco pelas denuncias de desvio de dinheiro publico destinado a saúde durante seu governo em minas gerais. Sou totalmente a favor da democracia, mas acredito que a manifestação deve vir permeada de conhecimento e isenta de preconceito seja ele qual for.

  9. Azulão Says:

    “Quanto lixo!”… Slogan de coxinha… Thiego, vai tomar no meio do olho do seu cu, vai dar meia hora de bunda que vc ganha mais. Não vou ser polido com vc, pq vc não merece. Foda-se.

  10. N Gomes Says:

    Não achei o pronunciamento ruim! Se não foi o que esperávamos também não foi decepcionante: foi, digamos adequado ao momento! O que foi inadequado, inoportuno, grosseiro, de mau gosto, oportunista – e machista – foi o panelaço, aliás “baixelaço”, até mesmo porque caracteriza o que de pior tem a nossa elite – desferir golpes desleais e traiçoeiros: o “panelobaixelaço” foi tramado na surdina, longe das vistas do povo, como ocorre nos golpes contra a democracia. Merece o nosso mais veemente repúdio e de todos os que amam a democracia e as liberdades democráticas!

  11. Thiego Says:

    Quanto lixo! Infelizmente o Brasil esta assim por conta de inumeros intelectoidiotas como vcs que se julgam os entendedores e desde então vivemos nesse lixo de sociedade. Apenas analizem, os EUA é uma nação onde a grande maioria do povo vive muito bem, amam seu país, tem acesso a tudo e etc.. Porém quem dirigi e sempre dirigiu a nação são pessoas que pensam e fazem tudo aquilo que voces são contra.

    Odeio voces!

  12. Rodrigo Says:

    Coragem como a de quem chamou Itamar, então Presidente, de “filho da p*”?
    Ah, um dos institutos corolários da boa-fé é o “nemo potest venire contra factum proprium”, ou seja, a vedação ao comportamento contraditório…

  13. Rosa Maria de Souza Braga Says:

    Hoje, uma tristeza nunca antes sentida. Vergonha misturada com revolta!!
    A insatisfação de um povo não pode e nem deve ser reconhecida pela rudeza de alguns… É momento de conter a fúria humana que no auge

  14. Ivone Says:

    Eu gostei do pronunciamento… Mesmo porque, se fosse falar TUDO iria varar a noite. Falou o que devia e podia na limitação do respectivo horário…Aliás, ao me ver, um discurso sem demagogia e altamente humanista.

  15. Selma Says:

    A falta de respeito e educação é tanta, que nem procuram se preservar. Como o Leonardo diz, com tanta coisa para criticar, preferem se rebaixar . Para mim, quem ofende dessa forma um Presidente do país, não merece respeito também.

  16. pintobasto Says:

    Insultar a presidente virou brincadeira de mau gosto de meia dúzia de farisineus tupiniquins que já deveriam ter amargado uma dura lição quando xingaram a presidente na arena do Itaquera e durante um jogo da Copa do Mundo. Como não foram punidos, estão repetindo a malcriação, mas se o resto da população começar a xingar a mãe deles, aí viram umas feras desdentadas repletas de indignação. São todos uns grandes filhos da ignorância congénita!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: