Atualmente, para ser médico basta pagar R$6 mil por mês, diz Cremesp

Cremesp01_Reprovados

Números mostram alto índice de reprovação no exame do Cremesp.

55% dos recém-formados foram reprovados em exame do conselho de São Paulo. MEC diz que faz avaliação periódica rigorosa da qualidade dos cursos.

Cauê Fabiano, via G1

A má qualidade do ensino médico nas faculdades paulistas foi uma das causas apontadas pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) para a reprovação de 55% dos estudantes recém-formados que fizeram a última edição do exame aplicado pelo órgão. O maior índice de reprovação foi para alunos que estudaram em instituições particulares: 65,1%. Nas universidades públicas, a reprovação foi de 33%.

“Atualmente, para ser médico, basta pagar R$6 mil por mês”, criticou Bráulio Luna Filho, presidente do Cremesp e organizador do exame, em referência ao valor médio das mensalidades das faculdades particulares de medicina. Ele sugere que o Cremesp faça um acompanhamento dos recém-formados que não são aprovados no exame.

Renato Azevedo Júnior, primeiro-secretário do Cremesp, acrescenta: “As nossas escolas não fazem uma avaliação adequada dos alunos. Todos os alunos saem aprovados. Dos 100 alunos que entram, 100 saem formados.”

O Ministério da Educação considera a crítica “inapropriada” e diz que “a melhoria da formação médica é prioridade”, destacando a intensificação dos procedimentos de supervisão, aperfeiçoamento dos instrumentos de avaliação in loco para os cursos de medicina e implantação de um programa permanente de monitoramento.

O G1 entrou em contato com a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) para comentar as declarações dos diretores do Cremesp, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Obrigatório, mas não impeditivo
Ao todo, 2.891 recém-formados, de 20 universidades particulares e dez públicas fizeram a prova, sendo 1.302 aprovados e 1.589 reprovados. Para ser aprovado, era preciso acertar 60% das 120 questões de múltipla escolha.

O exame passou a ser obrigatório em 2012, e desde esse ano os índices de reprovação são acima de 50%. Na edição de 2013, 59,2% dos participantes reprovaram.

Segundo o Cremesp, das 30 escolas participantes do exame do ano passado, 20 não conseguiram atingir a nota de corte. As cinco maiores notas foram de instituições públicas e as dez piores, de faculdades particulares.

Todo recém-formado que queira atuar como médico no estado de São Paulo tem de fazer a prova do Cremesp. Mas não passar no exame não impede o estudante de obter o certificado para exercer a medicina (CRM).

Tramita, no Senado Federal, desde 2004, o projeto de lei 217/2004 que exige a aprovação em um exame nacional de proficiência de medicina para exercício da profissão. Atualmente, nem a residência médica é exigida para que recém-formados trabalhem como médicos.

Riscos
Renato Azevedo Junior, sublinhou que o resultado do exame mostra o risco de profissionais não capacitados podem gerar. “Nós temos hoje certeza de que o recém formado que não consegue acertar 60% da prova tem graves problemas em sua reformação médica e não vai atender adequadamente a população.”

O primeiro-secretário afirma que é preciso “estabelecer leis” para impedir que os reprovados exerçam a medicina no Brasil.

Leia também:
“Médicos padrão Fifa”: Em São Paulo, mais da metade dos recém-formados em medicina é reprovada na prova do CRM
Para o Conselho de Medicina ler: Reino Unido contrata 3 mil médicos estrangeiros
Governo federal anuncia ampliação do Mais Médicos
Mais Médicos tem apenas 1,2% de desistências em seu primeiro ano de atendimento
Banditismo: Máfia de médicos desvia milhões de reais do SUS
Onde está a gritaria das associações de médicos contra a “máfia das próteses”?
Médicos brasileiros estão revoltados com estímulo ao parto normal?
Dilma Rousseff: Mais Médicos leva saúde a 46 milhões de pessoas
Mais Médicos supera meta e garante atendimento a mais de 51 milhões de brasileiros
Justiça nega liminar à desertora do Programa Mais Médicos
Boato coxinha: Tornozeleira de preso não será usada em médicos cubanos, mas sim em médicos de Minas
Quem vê cubanos como escravos nunca se indignou com escravos de verdade
Em Cuba, Dilma agradece por Mais Médicos e diz que bloqueio é injusto
Embaixada dos EUA ajudou cubanos a deixar o Mais Médicos
Mais Médicos: Evasão de brasileiros é 20 vezes maior que a de cubanos
CFM quer que cubanos “escravos” não atendam doentes e sirvam cafezinho
Você sabia que os EUA têm um programa para fazer médicos cubanos desertarem?
Caiu a máscara: Médica cubana montou farsa para encontrar namorado em Miami
Cubana usa Caiado para ir morar em Miami com o namorado
Máfia de branco cria site contra Mais Médicos
O salto no IDH das cidades e o Programa Mais Médicos
Em 2013, Mais Médicos atendeu 2.177 municípios em todas as unidades da federação
Porque o médico Juan Delgado é o homem do ano de 2013
Se ainda tinha algum, Veja perde o pudor e prega vaia contra cubanos
Dilma: Mais 23 milhões de brasileiros terão acesso ao Programa Mais Médicos
Marajás de jaleco: Por isso eles são contra o Mais Médicos
Por que os médicos cubanos são tão queridos?
Mais Médicos: Padilha peita presidente do Conselho Federal de Medicina
Quem não está acostumado, estranha: Pacientes se assustam com visita de médico cubano em casa
Primeiro médico cubano chegou em 1995 no interior de São Paulo
Coxinha preso por só bater ponto fazia campanha contra o Mais Médicos
Dilma sanciona Mais Médicos e entrega registro a médico cubano
Dilma pede desculpas em nosso nome, doutor Juan
Pesquisa CNT: 74% da população é favorável a vinda de médicos estrangeiros
Entenda por que os médicos cubanos não são escravos
Médicos cubanos recebem flores um dia após as agressões
Paulo Moreira Leite: Quando os corvos vestem branco
Médicos cubanos: Quem são os responsáveis pelo corredor polonês em Fortaleza?
Quem são e o que pensam os médicos cubanos
Janio de Freitas: A reação aos médicos cubanos é doentia
Preconceito: Jornalista diz que médicas cubanas parecem “empregadas domésticas”
Vídeo: O dia que os médicos brasileiros envergonharam o País
Dez informações sobre a saúde e a medicina em Cuba
Médicos cubanos: Como se desmonta uma farsa de jaleco
Vinda de médicos cubanos reforça ódio ideológico ao PT
Mais de 70% dos médicos cubanos vão para o Norte e Nordeste
Mais Médicos: Alheias ao embate ideológico, pequenas cidades comemoram vinda de médicos cubanos
Paulo Moreira Leite: O extremismo dos doutores
Eliane Brum: Ser doutor é mais fácil do que se tornar médico
Médico que diz que estrangeiros são enganação tem dois filhos “importados” de Cuba
Programa Mais Médicos, o Bolsa Família da saúde
Queremos médicos suecos!
Médicos brasileiros, o orgulho branco da nação
Recordar é viver: Quando FHC trouxe cubanos, Veja aplaudiu
Médicos cubanos: Avança a integração da América Latina
Coxinhas de branco: A vergonha da nação
Conheça o médico cearense que liderou os xingamentos contra os cubanos

Uma resposta to “Atualmente, para ser médico basta pagar R$6 mil por mês, diz Cremesp”

  1. Marcos Pinto Basto Says:

    E quando criticamos os doutorzinhos, logo aparecem os picaretas-mór em sua defesa! O MAIS MÉDICOS existe para acabar com a picaretagem na medicina do Brasil!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: