Com método cubano, MST busca erradicar analfabetismo no sul da Bahia

MST_Educacao02

Dionara Ribeiro, Página do MST

Cerca de 220 acampados de 20 turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) se reuniram, no sábado, dia 10/1, para dar início a uma caminhada rumo à alfabetização.

Os acampados, de seis localidades do extremo sul da Bahia, participaram da aula inaugural do Projeto “Sim, eu Posso”, quem traz o lema “Sim eu Posso ler e Escrever, Essa é uma conquista do MST”.

A aula foi realizada na Escola Popular Egídio Brunetto, no município de Teixeira de Freitas, contando com o apoio da coordenação pedagógica da escola, do setor nacional de educação do MST, além de 20 educadores e cinco coordenadores pedagógicos da Reforma Agrária.

Durante a aula foi possível perceber as distintas histórias de vida que se cruzam entre esses sujeitos, já que tiveram seus direitos primordiais negados, como o acesso a terra e a educação.

O analfabetismo
De acordo com o último senso levantado pela Escola Popular, a região do Extremo Sul da Bahia possui mais de 20 % da população adulta e idosa não alfabetizada nas áreas de Reforma Agrária. Este percentual soma-se ao vergonhoso dado brasileiro que aponta mais de 13 milhões de jovens e adultos excluídos da alfabetização.

Diante deste cenário de negação histórica, o MST, desde sua fundação, entende que para construir territórios dignos e igualitários, o analfabetismo é uma das primeiras barreiras a serem superadas.

De acordo com a coordenação do projeto, “enfrenta-se muitas dificuldades de investimentos públicos com essa questão. Existem muitos programas ineficazes que não conseguem alterar o retrato do analfabetismo. Por isso em muitos espaços do Movimento contamos com a ajuda internacional de Cuba, que se solidariza com nosso país ao disponibilizar o método de alfabetização ‘Sim eu Posso’, que conseguiu erradicar o analfabetismo”.

Este método pedagógico está organizado em 65 teleaulas mediados por educadores populares das próprias comunidades rurais, e pretende funcionar até o mês de abril, zerando o analfabetismo em sete acampamentos da região.

2 Respostas to “Com método cubano, MST busca erradicar analfabetismo no sul da Bahia”

  1. pintobasto Says:

    O analfabetismo funcional aquela arte de enganar a sociedade, praticada por muitos indivíduos com instrução muito deficiente, necessita ser erradicado. O indivíduo é analfabeto funcional por preguiça mental, comodismo e tolerância da sociedade, mas é um grande mal que provoca grandes prejuízos ao portador da deficiência cultural e á sociedade funcional. O processo cubano de alfabetização é um caminho seguro para eliminar este mal.

  2. José Jésus Gomesde Araújo Says:

    Até 1/1/1964, a CNBB, através de seu órgão MEB (Movimento de Educação de Base), mantinha um programa de tele-aulas de alfabetização pelo rádio. Processo eficaz, econômico, alfabetizava em três meses e integrava à cidadania. Aplicava o método Paulo Freire. Tantos países erradicaram o analfabetismo (Cuba, Venezuela, Bolívia, Nicarágua, Equador a caminho …). Por que essa vergonha em nossa pátria, agravada pelo analfabetismo funcional, resultante da absoluta falta de atividade cultural em grande parte do território nacional?

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: