Bolsa Família × Bolsa de Valores

Bolsa_Familia31_BMF

Sérgio Daniel Nasser, texto recebido por e-mail

O 2º turno das eleições presidenciais promete ser acirrado. De um lado, a presidenta Dilma Rousseff (PT), que, junto do ex-presidente Lula, defende seu governo e busca a reeleição. De outro lado, o senador Aécio Neves (PSDB), que, junto do ex-presidente FHC, corteja o voto antipetista para chegar à Presidência.

Nesse contexto, um importante ator político são os grandes meios de comunicação. Capitaneados pela Rede Globo, buscam transmitir para os brasileiros a ideia de que as eleições presidenciais consistem na luta dos paladinos da moralidade (o bem) contra os corruptos (o mal). Para os que concordam com essa tese política, duas possibilidades: politicamente míopes ou mal intencionados?

Na realidade, estão em disputa dois projetos de País. O projeto petista, ainda que limitado por um rol de alianças políticas conservadoras, ressalta o papel interventor do Estado para fomentar as políticas de desenvolvimento, priorizando a questão social. No plano internacional, destaca-se uma política externa autônoma, centrada na América Latina, África e Ásia, com destaque para acordos com o Mercosul e os Brics.

Já o projeto tucano encora-se no mais puro neoliberalismo, destacando o papel do mercado para o almejado crescimento econômico. A questão social e o interesse público cedem espaço para os grandes interesses privados. Na política externa, aposta-se no alinhamento com os EUA.

Para analisar profundamente as implicações desses dois projetos políticos no cotidiano dos brasileiros, nada melhor do que a memória histórica. Temos dados de órgãos de pesquisas sérios para compararmos os governos tucano (FHC – 1995-2002) e petista (Lula 2003-2010/ Dilma 2011-2014). Nesse artigo utilizarei números do IBGE, do Dieese e do Ministério do Trabalho.

O governo FHC deixou o Brasil com uma taxa de desemprego em torno de 12% (2002). Nos governos Lula/Dilma a taxa de desemprego recuou para cerca de 5% (dados do IBGE, abril/2014). Esses números se destacam ainda mais se considerarmos o cenário de economia mundial em crise desde 2008. Enquanto em 12 anos os governos Lula/Dilma criaram 20 milhões de empregos, o governo FHC criou em 8 anos somente 5 milhões (Dados do Ministério do Trabalho).

Outro aspecto importante da política social na vida dos brasileiros consiste na valorização do salário mínimo. Estima-se que 48 milhões de trabalhadores brasileiros têm rendimentos referenciados no salário mínimo. Entre os beneficiários da previdência, 69% possuem rendimentos de 1 salário mínimo (dados do Dieese).

Com o atual salário mínimo dos governos petistas, no valor de R$724,00, compram-se 2,21 cestas básicas. Essa quantidade ainda é muito baixa, mas é a maior média anual registrada desde 1979. Para se ter uma ideia, a melhor média anual do governo FHC foi no ano de 2002, quando o salário mínimo era de R$200,00 e possuía o poder de compra de 1,42 cesta básica (dados do Dieese).

No campo da educação superior, os governos petistas criaram dezoito universidades públicas federais. Nas faculdades particulares, concederam para estudantes, através do Prouni, mais de um milhão e duzentas mil bolsas de estudos. O governo tucano não criou sequer uma universidade pública.

Poderíamos continuar a comparação no campo da política habitacional, criação de escolas técnicas federais, valorização do funcionalismo público, política de créditos através dos bancos públicos, fomento do mercado interno e muitas outras áreas que interferem diretamente no dia a dia de todos os brasileiros. Entretanto, com a análise acima já é possível perceber que os projetos políticos em disputa levam a sociedade a diferentes rumos.

Mesmo reconhecendo as contradições dos governos petistas, a possibilidade do retrocesso político com o retorno tucano é nesse momento a bandeira que une todas as forças progressistas do Brasil.

Em jogo, o futuro do país.

Sérgio Daniel Nasser é professor de História da Rede Municipal do Rio de Janeiro.

Dados do Dieese: http://www.dieese.org.br/notatecnica/2013/nota Tec132SalarioMinimo2014.pdf
Dados do IBGE: http://jornalggn.com.br/blog/brasil-debate/taxas-de-desemprego-nunca-estiveram-tao-baixas
Dados do Ministério do Trabalho: Geração de empregos (Rais): 1994/2002, 5 milhões × 2003/2013, 20,4 milhões de empregos

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: