Os patetas patéticos da “Marcha dos Sem Gente”

Marcha_da_Familia16_Ato

São Paulo

Fernando Brito, via Tijolaço

Em São Paulo, apesar do esforço artístico do fotógrafo da Folha, é possível perceber que também não havia muito mais que uma dúzia. Em resumo, gatos pingados.

O mais engraçado é no texto do G1, com uma foto em que saem apenas meia dúzia de patetas, o repórter escrever que “até por volta das 15h30, a PM não havia divulgado estimativa de participantes”. Embora desse para contar nos dedos. E com uma semana de promoção, nos sites, nos jornais, nas emissoras de TV.

Marcha_da_Familia19_AtoBH

Belo Horizonte

Mas, então, como explicar que, nas redes sociais, eles proliferem feito moscas, que vão infernizar todas as seções de comentários dos sites de notícia e, não raro, “trolar” os blogs progressistas?

Porque a direita fascistoide no Brasil não está, além destes pobres coitados da “marcha”, nas ruas.

Está onde lhe dão acolhida, repercussão, tolerância. Na mídia, com a mídia, pela mídia.

A direita brasileira são eles. É ela.

PS: Depois, alguns jornais falam em grupos de 100, 150 pessoas. Não há uma foto que mostre mais que duas dúzias e só tem notícia mesmo porque uns guris aceitaram provocação e forma bater palma pra maluco dançar.

Marcha_da_Familia18_AtoPE

Em Recife, havia sete pessoas.

***

Leia também:

Câmara abre espaço para golpistas e saudosos da ditadura

Militar-torturador diz que arrancava dedos, dentes e vísceras de preso morto

Filho de Jango quer saber: Como os EUA participaram do golpe

A marcha da família e o mundo igualitário com Ferrari

Bob Fernandes: “Marcha da Família Alienada” é uma ópera bufa

Lalo Leal Filho: O Brasil da mídia e o país real

Vergonha ou medo?: Comandantes evitam lembrar à tropa aniversário do golpe de 64

50 anos do golpe: Ditadura militar, a raiz da impunidade no Brasil

General Newton Cruz diz que não pode ser punido pelo caso Riocentro

50 anos do golpe: Uma visita ao DOI-Codi, centro do terror nos anos de chumbo

50 anos do golpe: Como algumas empresas se beneficiaram com a ditadura militar

50 anos do golpe: A nova marcha e a nova farsa

Mauro Santayana: Reflexões sobre um golpe em nossa história

E se o Exército fosse dissolvido?

Wanderley Guilherme dos Santos: Um comício da Central do Brasil no Legislativo

Antonio Lassance: Sete lições sobre o golpe de 1964 e sua ditadura

Viúvas da ditadura tentam reeditar Marcha da Família

“Golpe militar 2014” expõe ultra direita ao ridículo no Brasil

Chico Xavier e a ditadura militar

O golpe de 1964 em filmes, livros e artigos

A imprensa brasileira e o golpe de 1964I

Em 1964, a ditadura também veio em nome da ordem e da liberdade

Golpe: Os 50 anos da campanha “Ouro para o bem do Brasil”

MPF denuncia coronel Ustra por ocultação de cadáver na ditadura militar

Ditadura militar: O algoz e o crematório

“Coronel Ustra comandava a tortura”, diz ex-sargento

Marco Aurélio Mello: Ministro que defende o golpe de 1964 pode ter lisura para julgar a AP470?

Mauro Santayana: O golpe da informação

Apoio da Globo ao golpe de 1964 foi comercial, não ideológico

O PIG apoiou a ditadura militar: As manchetes do golpe de 1964

31 de março é um dia para lamentar

A Globo e a ditadura militar, segundo Walter Clark

Golpe de 1964: A Globo devolverá o dinheiro que ganhou com ele?

Tucanou o golpe: Aécio Neves chama ditadura de “revolução”

Golpe de 1964: Ranieri Mazzilli, o político Modess

Dom Eugênio Sales era o cardial da ditadura

“Memórias da Resistência”: Novo documentário sobre a ditadura militar

Nelson Rodrigues tinha um pé na ditadura militar

Músicas de Chico Buarque ajudam a estudar o período da ditadura

Maria Rita Kehl: Alckmin usou a mesma retórica dos matadores da ditadura

Paulo Moreira Leite: A ditadura gostava de criminalizar a política

Paulo Moreira Leite: A ditadura militar e a AP 470

Ditadura militar: Os delatores de Dilma

Relações da mídia com a ditadura: Um histórico debate na Falha de S.Paulo

Uma foto da ditadura que o Brasil não viu

Mídia e ditadura: A primeira morte de Jango

O elo da Fiesp com os porões da ditadura

Depoimentos de ex-militares reforçam sadismo de torturadores na ditadura

Livro expõe ligação de agências de propaganda com ditadura militar

Folha financiava a ditadura e Frias, amigo pessoal de Fleury, visitava o Dops, diz ex-delegado

Vereador Nabil Bonduki quer mudar nomes de ruas de São Paulo que homenageiam ditadura

Trairagem: Aloizio Mercadante bajula Folha e esbofeteia vítimas da ditadura

Deputado acusa Rede Globo de prestar serviços à ditadura

Pesquisa sinistra do Datafolha testa popularidade da volta da ditadura

Ditadura militar: Estadão apoiou atos do torturador Ustra

Comissão da Verdade vai ter de enfrentar assassinos da ditadura

Marilena Chauí: A ditadura militar iniciou a devastação da escola pública

Dá pra confiar num cara desses? Delfim Netto afirma que não sabia de tortura na ditadura

Da ditadura militar ao Facebook: Uma breve história do Brasil

Ditadura militar: Documentos revelam conexão entre Itamaraty e Operação Condor

Ditadura militar: Procurador-geral da República diz que tortura e morte são imprescritíveis

Emir Sader: Os cúmplices da ditadura

Como era a propaganda da ditadura militar na Rede Globo

Mauricio Dias: Os fantasmas da ditadura

Segundo pesquisa, os milicanalhas da ditadura torturavam desde os primeiros dias no poder

Vídeo: Em depoimento emocionante, Dilma Rousseff fala sobre a ditadura militar e a tortura

Prefeitura de São Paulo, “que participou da ditadura”, terá comissão da verdade

Ditadura militar: “Imprensa aceitou a censura”, diz historiadora

Os filhos de 1964: Memórias e exumações

Em 1964, os militares golpistas venderam a democracia

Vídeo: 1964 – Um golpe contra o Brasil

Gilson Caroni Filho: 1964, a atualização grotesca de nossos liberais

Filme revela como EUA deram o golpe de 1964

Documentário quer explicar aos jovens as origens do golpe de 1964

Luis Nassif: Um estudo clássico sobre 1964

Saudades de 1964

Hildegard Angel: “É meu dever dizer aos jovens o que é um golpe de estado.”

Hildegard Angel: É meu dever dizer aos jovens o que é um golpe de estado

Hildegard Angel: A sombra do golpe de 64 paira sobre nossas cabeças

A Igreja Católica e o golpe militar no Brasil

O golpe militar no Brasil está marcado para 31 de março de 2014

Além de Aécio, Folha também costumava chamar golpe de revolução

“Igrejas legitimaram golpe militar”, afirma pesquisador

O cordão da ditabranda cada vez aumenta mais

Folha: Da ditabranda às Diretas Já

Ditadura militar: Coronel do Exército confirma farsa montada no desaparecimento de Rubens Paiva

Documentos do Exército revela os dedos-duros do meio artístico na ditadura militar

Leandro Fortes: As almas penadas da ditadura

Saiba quem são os nazifascistas do grupo Revoltados On-line

Revoltados On-line: Agora, Hélio Bicudo se junta à extrema-direita

Tags: , , , , , ,

3 Respostas to “Os patetas patéticos da “Marcha dos Sem Gente””

  1. Mª. Sonia C.Gomiero Says:

    Jésus Araujo, a Marcha não era de patetas e nem sem gente, tinha de 2500 a 3000 pessoas de boa moral e bem financeiramente, a mídia que não divulga. Não fala sobre o que você não contatou “in loco”. Você não sabe se a omissão interessa à esquerda ou à direita. Não seja um inocente útil para nenhum dos lados.
    Quanto às redes sociais não se trata do que você está supondo, nem fakes, há muitas pessoas reais compartilhando e comentando. E há muito mais pessoas, fora das redes sociais, incomodadas com essa situação do país se reunindo nos locais mais inusitados e diversos.
    Nas redes sociais, tratam-se de pessoas cultas, inteligentes de grau universitário completos, profissionais de diversas áreas de atuação. Pessoas que entendem perfeitamente o que está ocorrendo no país, não estão satisfeitas com os abusos, violação de direitos democráticos e estado de coisas.
    Não existem lideres controlando ninguém, estão agindo por contra própria, unidos por um objetivo comum, impossíveis de serem enganadas ou mudarem de posição e entendimento politico.
    A faixa etária é de adolescentes à idosos. Todos constataram que o objetivo dos que estão atualmente no poder, é levar o país para um totalitarismo ditatorial comunista .
    Ainda que a despeito de todos os indícios, tal não acontecerá, não vão conseguir porque não é o perfil da nação, e ao que parece não é o perfil do resto da América também. Mesmo porque, essa é um ideologia decadente há séculos, promíscua, sem prosperidade alguma para uma nação.
    O pessoal do sertão bruto, nem os índios aceitam mais viver sem um capitalismo de possibilidades confortáveis e acessíveis. Eles agora, querem estudar participar da politica.
    Os filhos, há muito tempo que não aceitam mais a autoridade dos pais, imaginem se o povo vai aceitar ditadores no comando da nação. E quanto a um socialismo, trata-se de outro furo na água, só dura enquanto não acabar o dinheiro dos outros. As multinacionais já deram férias remuneradas para os empregados da linha de produção, por longos meses, inclusive anunciaram PDVs quando retornarem.
    Jésus Araujo, a vítima é o povo, não precisa se preocupar em investigar quem está do lado certo, porque é um lado da vida que não tem mistério nenhum, é exatamente o que você esta vendo. Essa gambiarra toda da esquerda já foi desnudada, já caiu no descredito, portanto, já perdeu a mobilidade e os planos estão inviabilizados.
    Ninguém mais vai tentar salvar a pele deles para não ficar em evidência. Os políticos são de uma passagem no cenário, o resto na nação fica até se aposentar.
    Assuma quem assumir a próxima governança, não vai fazer o que quer. Os parâmetros do povo mudaram. E´o que se pode chamar de evolução natural da conscientização.
    Curta os jogos da Copa, essa é outra que nunca mais aparecerá por aqui, até a Interpol está no pé da FIFA. Aliás a música da Galinha Pintadinha foi muito bem escolhida. Vão ter que tomar cuidado para não sair daqui como pau de galinheiro. Você viu que nossos famosos do gramado, trataram logo de descer o sarrafo na situação do país para ficar bem na fita da nação. Observe esses detalhes.
    Quando se observa o jogo do poder, se verifica o ridículo das atitudes pessoais dos disputantes, desaparece o receio que possamos ter de enfrentar esta ou aquela situação. Tudo fica pequeno e medíocre. O povo ignora o poder que tem.
    Fique bem, porque tudo vai acabar bem, Abs.

  2. Os patetas patéticos da “Marcha dos Sem Gente” | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

  3. Jésus Araujo Says:

    Em relação à pergunta “Por que eles proliferam nas redes” eu tenho a suposição de que existem centros difusores, centrais de mensagens ou de respostas (ou que nome tenham) que fazem o trabalho usando múltiplos e-mails e outros tipos de mensagens e correspondentes respostas, para criar a impressão de uma grande quantidade de pessoas. Basta ler os comentários aos posts nos e-mails, o padrão de resposta é, praticamente, o mesmo. Isto é coisa para ser investigada.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: