Hugo Chavez, presente!

Hugo_Chavez92

Via Vermelho, de 5/3/2014

Há precisamente um ano falecia o comandante Hugo Chavez Frias, presidente da República Bolivariana da Venezuela. Uma morte prematura, aos 59 anos incompletos e quando ele se encontrava no auge da sua maturidade como líder político e chefe de Estado. O desaparecimento físico de Hugo Chavez ainda hoje é sentido com dor e consternação pelo povo venezuelano, os demais povos latino-americanos e de todo o mundo.

Hugo Chavez será sempre lembrado como um dos maiores latino-americanos. Sua vida e sua obra como líder revolucionário e presidente da República Bolivariana foram dedicadas ao nobre objetivo de resgatar a dignidade da Venezuela e da América Latina. Por isso o seu nome ingressa no panteão latino-americano ao lado de Simon Bolívar e José Martí. Sem lugar a dúvidas, Chavez foi, com Fidel Castro, seu amigo e inspirador, o principal líder anti-imperialista das últimas décadas na América Latina. Entre outros méritos que lhe reconheceu, Fidel considerou Chavez o maior amigo de Cuba em todos os tempos.

Hugo Chavez deixou importante legado, que tem sido estudado e apropriado por partidos revolucionários e movimentos políticos e sociais e inspira não só o povo e o governo venezuelanos na nova etapa sob a liderança do presidente Nicolás Maduro, mas também todos os povos da região. No Fórum de São Paulo realizado no Brasil em julho do ano passado foi marcante a influência das suas ideias.

O pensamento e a obra de Hugo Chavez se consubstanciam no novo anti-imperialismo e na nova luta pelo socialismo nas condições do século 21, com as peculiaridades da época e da região. O anti-imperialismo, que é o próprio espírito da nossa época, a resistência dos povos à ofensiva neocolonialista dos potentados internacionais, tendem a se consolidar e se transformar numa irresistível torrente que criará as condições objetivas e subjetivas para a libertação nacional e social dos povos. O nome e a obra de Hugo Chavez estão indelevelmente ligados a esse fenômeno.

Chavez iniciou a construção de um novo tipo de democracia popular. Tinha presente que as conquistas políticas e sociais da Revolução Bolivariana somente se realizariam com a mobilização permanente do povo, seu protagonismo e unidade, para enfrentar poderosos inimigos internos e externos.

O dirigente desaparecido há um ano tem seu nome ligado também à unidade dos povos latino-americanos e caribenhos, ao novo tipo de integração regional soberana e solidária, cujas magnas expressões são a Aliança Bolivariana dos Povos de Nossa América (Alba) e a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac). Chavez passa à História como um internacionalista, um estrategista que repôs na ordem do dia as tarefas mais importantes da época – a luta pelo socialismo, pela independência nacional e a paz.

Libertador moderno da Venezuela e da América Latina, Hugo Chavez, com seu pensamento e obra, está presente nas profundas transformações políticas e sociais em seu país. Mais de uma década e meia depois da sua primeira eleição como presidente da República, a Venezuela deixou de ser um paraíso das oligarquias reacionárias e do imperialismo norte-americano e um inferno para o seu povo. É um país livre, soberano, que por caminhos tortuosos busca construir uma nova sociedade. Esta é a razão por que intermitentemente as forças reacionárias, com apoio externo, promovem intentonas golpistas, como fizeram em 2002 e fazem agora, neste início de 2014.

A maior homenagem que se pode fazer ao grande líder desaparecido no ano passado é cerrar fileiras em torno da liderança coletiva da Revolução – formada pelo Polo Patriótico, em que atuam o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), o Partido Comunista e outras forças revolucionárias –, sob o comando do presidente Nicolás Maduro. Segue na ordem do dia a defesa da revolução democrática e anti-imperialista, da Constituição bolivariana e a realização de esforços para soerguer instituições sólidas e uma potente economia nacional.

O pensamento de Hugo Chavez estará sempre presente no empenho do povo venezuelano e dos povos amigos de todo o mundo, que saberão retribuir a solidariedade internacionalista que lhes foi prestada pelo grande líder.

***

Leia também:

Nasce Hugo Chavez, o mito

Hugo Rafael Chavez Frias (Sabaneta, 28/7/2954 – Caracas, 5/3/2013

Hugo Chavez: Morte produzida em laboratório

A hora e a vez de Hugo Chavez

“Viva Hugo Chavez! Viva para sempre.”

Atílio Borón: ¡Gloria al bravo Chavez! ¡Hasta la victoria, siempre, comandante!

Lula divulga vídeo falando de sua convivência com Hugo Chavez

Chavez fez a Venezuela deixar de ser um quintal dos EUA

Por que a Globo é contra os venezuelanos

Salim Lamrani: 50 verdades sobre Hugo Chavez

Enterro de Chavez: A multidão vermelha faz história

Opositores de Chavez fogem de comparações, igual FHC foge de comparar seu governo ao de Lula

A morte de Chavez e o ódio do senador Aloysio

Lula no NYT sobre Chavez: “Se a figura pública morre sem deixar ideais, o legado chega ao fim.”

O povo idolatra Chavez e Veja vê herança maldita

Mauricio Dias: Água mole em pedra dura…

Em Washington, pobres viviam com ajuda da Venezuela

Morte de Chavez: “Época” e “Veja” entre facciosismo e demonização

Hugo Chavez foi assassinado?

50 verdades sobre Henrique Capriles, candidato da oposição à Presidência da Venezuela

WikiLeaks: O plano da Usaid para acabar com o governo de Chavez

Tags: ,

Uma resposta to “Hugo Chavez, presente!”

  1. Hugo Chavez, presente! | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: