MP investiga gestões de Serra e Kassab por desvio de R$10 bilhões do IPTU

Kassab_Serra07

Assessor de Serra e Kassab, Hussain Aref Saab, acumula uma fortuna em imóveis.

Via Correio do Brasil

Informações divulgadas na edição de n° 2.308 da revista semanal de centro IstoÉ indicam que o Ministério Público de São Paulo e a Controladoria Geral do Município (CGM) investigam 84 empresas suspeitas de integrar um esquema de cobrança de propina para zerar dívidas milionárias do IPTU, ocultação de reformas de grandes empreendimentos para reduzir o cálculo do tributo e até rebaixamento do padrão de construções de luxo para diminuir o valor venal do imóvel.

De acordo com as informações, o promotor Marcelo Mendroni afirma que, além dos fiscais já investigados pela máfia do ISS, “de cinco a dez auditores da prefeitura paulistana podem ter participação no esquema”.

Os órgãos que estão investigando o caso afirmam que se ao menos metade dessas verbas drenadas pela corrupção durante a gestão PSDB/PSD for recuperada, a prefeitura terá em caixa dinheiro para realizar investimentos em áreas como saúde e educação da ordem de R$4 bilhões.

A semanária ainda apresenta declarações do fiscal Luís Alexandre Magalhães, que foi pego em gravações com Ronilson Bezerra Rodrigues, subsecretário da Receita na gestão Kassab (2006-2012), apontado como o chefe da quadrilha, ele diz que tem “todos os comprovantes do IPTU” das empresas que conseguiram certidões negativas de débitos do imposto com a ajuda do grupo.

Os auditores chegaram a sumir com o registro de devedores que haviam aderido ao Programa de Parcelamento Incentivado, lançado na gestão Kassab. Segundo os cálculos da administração, cerca de R$1 bilhão de 400 devedores do IPTU foram parcelados em até 120 meses entre 2007 e 2012. Os investigadores suspeitam que parte dessas dívidas possa ter sumido do sistema da prefeitura após a ação da quadrilha.

Rombo de R$10 bilhões

De acordo com a reportagem, as cifras contabilizadas em 2009, por uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara Municipal da cidade, mostram que o rombo seria bilionário. Além disso, aponta que entre 2003 e 2008, durante as gestões de José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD), cerca de três milhões de metros quadrados de construções estavam irregulares e R$10 bilhões teriam sido drenados dos cofres públicos.

Quem lucrou

As investigações indicam que o esquema de desvio do IPTU beneficiaram shoppings, igrejas e até universidades e era coordenado pela mesma quadrilha de fiscais da prefeitura que desviou mais de R$500 milhões do Imposto Sobre Serviços (ISS).

Segundo a denúncia, em alguns casos o recolhimento do tributo caiu pela metade. “Não é possível estimar ainda o prejuízo aos cofres públicos. A investigação está só no início, mas dá para ter a ideia de que são muitos milhões de reais desviados”, diz o promotor Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos.

***

Leia também:

Fernando Haddad: “A elite de São Paulo é míope e pobre de espírito.”

Entrevista com Fernando Haddad: “A Prefeitura estava tomada por corrupção.”

MP abre inquérito civil contra Kassab por receber fortuna da Controlar

Kassab recebeu uma “verdadeira fortuna” da Controlar, diz testemunha da máfia do ISS

Máfia demotucana: A lista dos corruptores do ISS

Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais

Receita do município de São Paulo sobre R$30 milhões com o fim da máfia dos fiscais

Fernando Haddad: “A máfia não seria descoberta sem a ajuda de Donato.”

PT defende José Eduardo Cardozo e aponta “gavetas vazias”

Antônio Lassance: Arroubo tucano é pânico

Máfia demotucana: José Eduardo Cardozo diz que processará pessoas que o ofenderam

Máfia demotucana: Investigação de propina em São Paulo avança sobre a gestão Serra

Máfia demotucana: Haddad desmente Folha sobre repasse de informações à Polícia Civil

Paulo Moreira Leite: Cardoso, Donato e a fábula da classe dominante

A máfia dos fiscais quer pegar Haddad

Máfia demotucana: Secretário ligado a José Serra será convocado a depor em São Paulo

“Não há como recuar, e não haverá recuo”, avisa prefeito Haddad

Máfia demotucana: Como a mídia protege e protege Serra e Kassab

Máfia demotucana: Quadrilha zerou ISS de 107 prédios em São Paulo

Máfia demotucana: Situação era de degradação, diz Haddad sobre a quadrilha do ISS

MP/SP mira Kassab para livrar José Serra

Serra defende ex-secretário citado no escândalo da máfia demotucana: “É íntegro e competente.”

Máfia demotucana: A dama do achaque abre o jogo

Máfia demotucana: “Arquiva”, manda Kassab

Máfia demotucana: A Folha se considera só um papel pendurado na banca

Máfia demotucana: Líder da quadrilha diz que Kassab sabia do esquema e esperava que ele “ganhasse a eleição”

“O implacável braço direito de Serra” e o caso de corrupção em São Paulo

Seus problemas acabaram: Filie-se ao PSDB

Braço direito de José Serra mandou arquivar denúncias de pagamento de propina para construtoras

Prefeito Haddad e a lição de ética

Após investigações, Haddad manda prender ex-funcionários da gestão Kassab/Serra

Há mais envolvidos no esquema de corrupção do governo Kassab/Serra, diz Haddad

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Uma resposta to “MP investiga gestões de Serra e Kassab por desvio de R$10 bilhões do IPTU”

  1. Ricardo Edmundo Cecconello Says:

    Ara, ara, ara, vejam só, se o trensalão é dos tucanalhas, TUDO ISSO NÃO VEM AO CASO. Se viesse os donos do HeliPÓptero com meia tonelada de cocaína, sócios do aébrio, estariam em CANA com o próprio

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: