Dilma assume discurso de campanha com críticas ácidas aos tucanos

Dilma_PT34anos

Dilma elevou o tom contra o pessimismo que a oposição vem pregando na economia.

Via Correio do Brasil

Em seu pronunciamento de segunda-feira, dia 10, durante a festa de 34 anos da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), a presidenta Dilma Rousseff fez um pronunciamento incisivo contra “aqueles que vêm fazendo previsões catastróficas para o nosso país”. Sem citar nomes de partidos ou de líderes da oposição, Dilma afirmou que o discurso pessimista vem dos “mesmos que há 34 anos diziam que era improvável construir no Brasil um partido dos trabalhadores, que disseram ser impossível um operário ser presidente, que mais adiante afirmaram que uma mulher não teria pulso para comandar”.

“Agora, antes mesmo de serem capazes de assimilar e avaliar a obra que realizamos, eles têm a cara de pau de dizer que o ciclo do PT acabou, que nosso modelo se esgotou. Essas declarações são dos mesmos que antes da posse de Lula anunciaram uma debandada gigantesca de empresários que sairiam correndo do país”, sublinhou a presidenta.

O senador Aécio Neves (PSDB/MG), pré-candidato à presidência pelo PSDB, vem, sistematicamente, criticando a política econômica do governo Dilma, que, segundo ele, provoca um clima de desconfiança no país. Em seu discurso Dilma continuou dizendo que os críticos de seu governo “são os mesmos que a cada crise internacional diziam que o Brasil ia afundar”.

“E nós enfrentamos e vencemos todas as crises até agora. São os mesmos, esses pessimistas, que agora aproveitam alguns desequilíbrios típicos de uma conjuntura internacional muito difícil para todos os países para dizer que o fim do mundo chegou. O fim do mundo chegou, sim, mas chegou para eles e isso faz muito tempo”, ironizou.

Segundo afirmou, “o fim do mundo começou” para os “pessimistas” e os que apostam em supostos equívocos da política econômica implementada no país nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e no dela própria, “quando o destino do Brasil escapou por entre seus dedos”, depois de o país “ser governado para poucos como vinha sendo até então”. Dilma afirmou, ainda, que os opositores “não entendem o acelerado processo de ascensão social que está em marcha em nosso país”, e enumerou uma série de ações dos governos petistas a partir do momento em que, segundo ela, “a riqueza nacional passou a ser investida verdadeiramente em favor da nossa população, da constituição de uma forte classe média e em favor dos mais pobres”.

Embora também sem citar nomes, o presidente nacional do PT, o deputado estadual Rui Falcão (SP), atacou o PSDB.

“Quando dizem que o país precisa de algo novo, o algo novo deles é privatizar para se beneficiar, fechar os olhos para o cartel do Metrô e para carregamentos exóticos em helicópteros?”, disse, em referência à venda de empresas públicas promovida em várias gestões tucanas, às denúncias de corrupção no sistema de transportes paulista e à apreensão de cocaína no helicóptero do deputado estadual mineiro Gustavo Perrella (Solidariedade), aliado de Aécio.

Dívida bruta

De acordo com Dilma Rousseff, em 1980, quando o PT foi fundado, “o Brasil era um país imensamente desigual, sem rumo e sem esperança”. Ainda sem mencionar nomes, a presidenta afirmou que, ao contrário do que dizem os que “teimam em não enxergar” os resultados de sua política econômica, o país está se desenvolvendo “sem abdicar dos nossos compromissos com a solidez dos fundamentos macroeconômicos”. Segundo afirmou, a dívida líquida do setor público caiu de 42,1%, em 2009, auge da crise internacional, para 34% em 2013.

“E a dívida bruta, que tanto falam, como explicar que ela tenha declinado de 60,9% para 58,5% do PIB do início da crise em 2009 até hoje? Dessa maneira, nos transformamos em um dos países menos endividados do mundo, entre aqueles que têm grandes setores produtivos e são grandes economias”, disse Dilma.

No palanque, o ex-ministro da Saúde e pré-candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, que vem treinando o tom de sua campanha desde que deixou o governo federal, este mês, colocou o foco de seu discurso em ataques aos tucanos, que “governam São Paulo há 20 anos” e, mesmo sem se colocar como candidato, manifestou confiança na eleição: “O PT vai ganhar a eleição em São Paulo e vamos reeleger a presidenta Dilma.”

No sábado, dia 8, ele iniciou em Ribeirão Preto a Caravana Horizonte Paulista, série de viagens a cidades do interior do estado para fazer articulações políticas, realizar encontros com empresários e com a militância do partido. Padilha afirmou que o PT precisa vencer a eleição para o Estado “ganhar velocidade no crescimento, promover avanços na educação e ter coragem no combate ao crime organizado”.

Ao mencionar o grupo que comanda o Palácio dos Bandeirantes, Padilha disse que “depois de 20 anos os tucanos estão com a pilha fraca, a bateria descarregada e não acham o carregador”. O ex-ministro dedicou boa parte de seu discurso de 20 minutos para falar da educação como prioridade num eventual governo petista.

“O PSDB governa o Estado desde o século passado e o ensino ainda não chegou ao século 21. O PT vai governar o Estado e mudar a educação”, declarou.

Tags: , ,

2 Respostas to “Dilma assume discurso de campanha com críticas ácidas aos tucanos”

  1. Dilma assume discurso de campanha com críticas ácidas aos tucanos | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

  2. pintobasto Says:

    D.Dilma tem sido muito benevolente com todos que tentam tumultuar seu governo. Tem que ser mais dura daqui em diante e trocar todos os ministros que causam graves problemas como o das comunicações Paulo Bernardo da Silva que virou capacho das teles.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: