Ronaldo Caiado é agente de Fidel?

Ronaldo_Caiado04

Fernando Brito, via Tijolaço

Nunca antes na história deste país a propaganda pró-Cuba foi tão intensa. A burrice e a insensibilidade social da elite brasileira estão fazendo o que nenhum movimento castrista já conseguiu: disseminar no meio do povo a discussão sobre Cuba e a forma diferente de olhar os direitos sociais do povo.

Se tivessem ficado quietos e agradecessem a todos os profissionais estrangeiros que quiseram vir para o Brasil, atender em locais onde os médicos brasileiros não quiseram ir, pro povão não haveria diferença entre cubanos, boliviano, guatemalteco ou espanhol, afora a maior quantidade de negros.

Mas a mídia, o corporativismo médico e a direita se encarregaram de fazer um estardalhaço tamanho que transformaram um pequeno gesto – afinal, 7 mil médicos para quase 6 mil municípios não é lá nenhuma multidão – em algo de proporções gigantescas. E o Programa Mais Médicos, que dividia opiniões, passou a ser quase unanimidade nacional, sobretudo no povão.

Os médicos brasileiros sofreram uma onda avassaladora – e injustíssima para com muitos deles – de ojeriza popular da qual, pior ainda, muitos têm dificuldades de se defender criticando a atitude de seus Conselhos.

A qualidade baixíssima do ensino médico – notadamente o particular – virou notícia. O absenteísmo e o “jeitinho” na jornada de trabalho, idem. A imprensa caiu sobre os cubanos, ao ponto de provocar surpresa em todos eles, como registrou o Valor:

Silvia Blanco, 45 anos e 20 de experiência na saúde básica, morou de 2003 a 2007 na Venezuela, trabalhando nas áreas mais carentes de serviços de saúde. Mas foi em Santo Antônio de Posse (SP), cidade de pouco mais de 20 mil habitantes, que Silvia experimentou pela primeira vez a sensação de ser o centro das atenções.

“Nunca vi tanto jornalista atrás de mim na Venezuela, nunca fui entrevistada lá. Aqui é diferente”, afirma a primeira médica trabalhar em Posse pelo Programa Mais Médicos.

Sorridente e em portunhol claro, Silvia avisa que não gosta de tanto assédio e pede que a entrevista seja curta, porque vai visitar pacientes que moram no entorno do posto de saúde Benedicto Alves Barbosa, o Popular, que cobre quatro bairros com 5 mil famílias e, desde outubro, é seu local diário de trabalho das 7h às 16h.

Quando a xenofobia travestida de “nível de qualidade” deu com os burros n’água, partiu-se para um falso “humanismo”. Os cubanos eram “escravos”. Arranjaram até uma desertora, numa história para lá de cabeluda.

Com o ingrediente esdrúxulo que o Leandro Fortes bem resumiu: a “escrava” cubana “fugiu para os braços de um coronel da Casa Grande”.

Afinal, Caiado, o ruralista tacanho, é um dos 29 deputados que votou contra a emenda constitucional que punia severamente a prática de trabalho escravo.

O tiro, enfim, saiu pela culatra.

A notícia agora são os outros milhares que, ganhando o mesmo, estão atendendo a contento – e a contento da população de lugares onde o boca a boca vale por 10 mil editoriais do Estadão.

E a imagem dos cubanos e a de Cuba sai mais forte perante gente que nunca sequer havia ouvido falar da ilha dos barbudos.

O Brasil, realmente, é um país inacreditável. O único país do mundo onde uma imprensa de direita e um coronel reacionário se tornam propagandistas de Cuba.

O camarada Ronaldo Caiado merecia uma caixa de “puros” cubanos.

***

Leia também:

Cadê o Gilmar Mendes: Médica cubana está em apartamento da Câmara e recebe vaquinha do DEM

Você sabia que os EUA têm um programa para fazer médicos cubanos desertarem?

Você sabia que os EUA têm um programa para fazer médicos cubanos desertarem?

Caiu a máscara: Médica cubana montou farsa para encontrar namorado em Miami

Cubana usa Caiado para ir morar em Miami com o namorado

Máfia de branco cria site contra Mais Médicos

Em 2013, Mais Médicos atendeu 2.177 municípios em todas as unidades da federação

Porque o médico Juan Delgado é o homem do ano de 2013

Se ainda tinha algum, Veja perde o pudor e prega vaia contra cubanos

Dilma: Mais 23 milhões de brasileiros terão acesso ao Programa Mais Médicos

Por isso eles são contra o Mais Médicos: Marajás de jaleco

Por que os médicos cubanos são tão queridos?

Mais Médicos: Padilha peita presidente do Conselho Federal de Medicina

Quem não está acostumado, estranha: Pacientes se assustam com visita de médico cubano em casa

Primeiro médico cubano chegou em 1995 no interior de São Paulo

Coxinha preso por só bater ponto fazia campanha contra o Mais Médicos

Mais Médicos: Eduardo Campos é acometido de amnésia súbita

Dilma sanciona Mais Médicos e entrega registro a médico cubano

Dilma pede desculpas em nosso nome, doutor Juan

Pesquisa CNT: 74% da população é favorável a vinda de médicos estrangeiros

Entenda por que os médicos cubanos não são escravos

Médicos cubanos recebem flores um dia após as agressões

Paulo Moreira Leite: Quando os corvos vestem branco

Médicos cubanos: Quem são os responsáveis pelo corredor polonês em Fortaleza?

Quem são e o que pensam os médicos cubanos

Janio de Freitas: A reação aos médicos cubanos é doentia

Preconceito: Jornalista diz que médicas cubanas parecem “empregadas domésticas”

Vídeo: O dia que os médicos brasileiros envergonharam o País

Dez informações sobre a saúde e a medicina em Cuba

Médicos cubanos: Como se desmonta uma farsa de jaleco

Médicos cubanos: Os primeiros já chegaram ao Brasil

Médicos de Cuba, bienvenidos camaradas!

Vinda de médicos cubanos reforça ódio ideológico ao PT

Mais de 70% dos médicos cubanos vão para o Norte e Nordeste

Mais Médicos: Alheias ao embate ideológico, pequenas cidades comemoram vinda de médicos cubanos

Paulo Moreira Leite: O extremismo dos doutores

Eliane Brum: Ser doutor é mais fácil do que se tornar médico

Breno Altman: Conservadorismo de branco é atraso

Médico que diz que estrangeiros são enganação tem dois filhos “importados” de Cuba

Programa Mais Médicos, o Bolsa Família da saúde

Queremos médicos suecos!

Carta para Micheline Borges, a jornalista preconceituosa

Ministério da Saúde chama de “xenofobia” protesto contra médicos no CE

Médicos brasileiros, o orgulho branco da nação

Recordar é viver: Quando FHC trouxe cubanos, Veja aplaudiu

Médicos cubanos: Avança a integração da América Latina

Coxinhas de branco: A vergonha da nação

Conheça o médico cearense que liderou os xingamentos contra os cubanos

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 Respostas to “Ronaldo Caiado é agente de Fidel?”

  1. pintobasto Says:

    São indivíduos como este Ronaldo Caiado, porta-voz duma classe cheia de privilégios que mais falam sem medir o tamanho das asneiras que vomitam. Neste caso em particular, o Caiado foi muito infeliz porque é médico ou pelo menos deveria mostrar como age um médico porque doutores temos muitos. Falou tanta porcaria que acabou despertando os olhos de todo o mundo para a grande realidade que são os médicos cubanos: Vieram para servir o Povo!

  2. Bene Nadal Says:

    Eu concordo plenamente com o Fernando Brito; o Caiado vem fazendo um bom trabalho de propaganda de Cuba… E nós como seres humanitários, deveríamos agradecê-lo com uma honraria; deixa-lo “puxar” o desfile da próxima PARADA GAY de São Paulo!!!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: