Os “vândalos” do Metrô: Alckmin acha que pode resolver tudo com a polícia

Alckmin_Serio01A

Mauro Donato, via DCM

Três dias depois do grande tumulto ocorrido no Metrô de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin, em parceria com seu secretário de Segurança, Fernando Grella, manda avisar que irá colocar a polícia para debelar problemas dentro das estações.

No momento em que era anunciada a intenção de “intervenção” das forças de segurança em “dias de caos no serviço de trens”, um novo caos no serviço de trens da linha vermelha ocorria. Por óbvio! Ocorre todo santo dia.

Alckmin quer botar a polícia para resolver problemas no Metrô, quer botar a polícia para escorraçar garotos dentro shoppings, quer botar a polícia em cima de dependentes químicos… tudo vai ser na base da polícia?

Dentro de estações como a Sé, o Brás, a Luz, onde as plataformas se assemelham a formigueiros, Grella e Alckmin não encontram ideia melhor do que jogar a PM também lá dentro? O que estão buscando, uma tragédia?

O governador Geraldo Alckmin deseja surfar na onda de antipatia ao vandalismo para imputar neste comportamento toda sua inoperância. Esquerda e direita andam se mostrando contrárias aos Black Blocs, aos quebra-quebras e demais “badernas” e Alckmin entendeu ser fórmula inequívoca para angariar simpatizantes/aliados/eleitores, jogar toda a culpa ali e imiscuir-se de responsabilidade.

Mas classificar como vândalos os usuários do Metrô que viajam feito sardinha cozida dentro dos vagões, foi de uma “deselegância” brutal, como diria uma global, e um desrespeito atroz para com o cidadão. Além de um tiro no pé ainda pouco avaliado.

Ao ver as imagens de senhoras, mulheres desmaiadas, idosos, grávidas, trabalhadores cansados ao final de mais uma jornada, em pleno rush, ele vem a público com “suspeita de sabotagem” ao verificar uma revolta espontânea? Diz enxergar armação orquestrada?

Tenha dó.

Só quem nunca pegou o Metrô ou trem às 6 da tarde para desconhecer o estorvo e sacrifício a que se é submetido.

Este descolamento da realidade a que autoridades se impõem, vivendo em uma órbita diversa do povo é por si só revoltante. Há quanto tempo o governador não experimenta o transporte público? Fica fácil, à distância, formular o raciocínio repisado milhares vezes nos últimos meses: “Não entendo o porquê da quebradeira”. Tome o trem duas vezes por dia para ir e voltar do trabalho durante apenas um ano. Fique fechado por 15 minutos dentro de um vagão repleto, parado, sem ar condicionado com esse clima senegalês que estamos enfrentando. Entenderá, garanto.

Alegar motivação política não será exclusividade do governador. Ao longo dos próximos meses todos os candidatos sacarão do coldre essa resposta. Apagões, pedidos de asilos políticos de médicos cubanos, greves, tudo terá uma origem escusa, segundo prega o manual.

Mas sobre o Metrô, Alckmin não terá como escapar pela tangente. Há tempos que se sabe que as reformas dos trens estavam num patamar desfavorável. Sairia mais em conta a compra de novos. Porém, os contratos de reposição de peças celebrados durante os governos tucanos levaram-nos ao estágio atual. A casa caiu. Se São Paulo ainda não está no padrão Rio de Janeiro de má qualidade, caminha a passos largos.

Saliente-se que em todas as grandes cidades do mundo o Metrô é lotado, isso não é privilégio paulista. No entanto, há um mínimo de respeito pelo usuário que não vem sendo praticado por aqui. O número de vezes em que Metrô e trens estão apresentando defeitos e atrasos supera a cota de paciência de qualquer cidadão com um mínimo de autoestima.

Creditar queixas legítimas referentes à má qualidade do serviço a oportunistas de plantão foi ao mesmo tempo primário e repugnante. Colocar a polícia em cima então, é insanidade pura.

Alckmin precisa dar um rolezinho de Metrô para ver como é bom.

***

Leia também:

Trensalão: Promotoria suspeita que cartel do Metrô tenha desviado até R$875 milhões

Luciano Martins Costa: Pane no Metrô e na imprensa

Trensalão: Culpa pelo tumulto no Metrô não é do usuário; é dos trens do propinoduto

Trensalão: Bird fez alerta sobre Siemens em 2009

Trambicagem: Regulamentação paulista da lei anticorrupção permite acordo com cartel dos trens

Trensalão: Lewandowski mandou abri inquérito contra tucano por caluniar ministro da Justiça

Documento (mais um) comprova que o trensalão pagou propina a tucanos

Desigualdade escancarada: Demotucanos conseguem desmembrar o julgamento do trensalão

Alckmin não investigou nada sobre o trensalão e pede conclusão rápida das apurações

Trensalão: Executivo da Siemens foi instruído a destruir papéis de conta em paraíso fiscal

Trensalão tucano: Brasil aguarda US$166 milhões bloqueados na Suíça

Trensalão: Arquivo da Alstom desemboca em tucanos de alta plumagem

Até o editor de jornal tucano não aguenta mais a corrupção no governo Alckmin

Trensalão tucano: PSDB barra investigação sobre cartel na Assembleia

Trensalão tucano e o risco de prescrição do crime

Trensalão tucano: Delator confirma propina aos amigos de Alckmin

No STF, o trensalão tucano caiu nas mãos da ministra Rosa Weber, a que condenou José Dirceu sem provas

MP aponta superfaturamento de quase R$1 bilhão em reforma de trens do Metrô

Será que o trensalão paulista pode descarrilar para Minas?

Trensalão tucano: Investigação aponta superfaturamento de R$1 bilhão em reforma do Metrô

Trensalão tucano: Condenado por propina na Suíça fez doações ao PSDB

Janio de Freitas: Esconde-esconde

Trensalão tucano: A opinião pública e o efeito manada

PSDB faz até “showzinho” para abafar o propinoduto tucano

Trensalão tucano: Homem-bomba do PSDB/SP operou R$28 milhões na Suíça

Trensalão tucano: Cade e a cortina de fumaça

Trensalão tucano: Corrupção em dose dupla

Trensalão tucano: Novos documentos da Alstom incriminam ainda mais Serra e Alckmin

Lobista tucano aparece como novo suspeito no escândalo da Siemens

PF entra no trilho do trensalão tucano

Por onde andou o dinheiro do trensalão tucano

Trensalão tucano: Descoberta a conta secreta do propinoduto na Suíça

Trensalão tucano: As pegadas recentes do cartel de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin

Trensalão tucano: Saiba o nome dos deputados paulistas que foram contra a CPI da Corrupção

Trensalão tucano: Entenda as denúncias contra o PSDB

Todos os homens do propinoduto tucano

Propinoduto tucano: Os cofres paulista foram lesados em mais de R$425 milhões

Propinoduto em São Paulo: O esquema tucano de corrupção saiu dos trilhos

Após denúncias contra PSDB de São Paulo, site da IstoÉ sofre ataque

Mídia se cala: Tucanos envolvidos em corrupção? Bobagem…

Ranking dos partidos mais corruptos do Brasil

Por que Alckmin é tão blindado pela “grande mídia”?

O feito extraordinário de Alckmin

Conheça a biografia de Geraldo Alckmin

Alckmin torra R$87 milhões em propaganda inútil da Sabesp

Propinoduto tucano: Incêndio criminoso destruiu papéis do Metrô em São Paulo

Luciano Martins Costa: Um escândalo embaixo do tapete

Deputado critica demora do MP para agir contra corrupção no Metrô paulista

Apesar da blindagem da “grande mídia”, o caso da corrupção no Metrô paulista

Superfaturamento de cartel do trem em São Paulo e Brasília teria chegado a R$577 milhões

Adilson Primo, o personagem central para o esclarecimento do propinoduto tucano

Siemens diz que governo de São Paulo deu aval a cartel no Metrô

Propinoduto tucano: Novas provas do esquema estão chegando da Suíça

Propinoduto tucano: O impacto das propinas nas eleições para governador em São Paulo

Ombudsman: Folha errou ao omitir PSDB no caso Siemens

Não existe corrupção sem corruptor

Vídeo: Em 2011, Alckmin foi informado sobre o propinoduto tucano. Em 2013, diz que não sabe de nada

Alstom: Os tucanos também se encheram os bolsos de propina francesa

Trensalão tucano: Serra sugeriu acordo em licitação, diz executivo da Siemens

Trensalão tucano: Portelinha fazia os cambalachos para FHC e José Serra

Trensalão tucano: Andrea Matarazzo arrecadou junto à Alstom para a campanha de FHC

Trensalão tucano: A quadrilha dos trilhos

Trensalão tucano: Alstom pagou US$20 milhões em propina no Brasil, diz justiça da Suíça

Trensalão tucano: Pivô do caso Siemens poderá explicar reeleição de FHC

Promotor diz que empresas do cartel dos trens e Metrô são organizações criminosas

Serra conseguiu fazer o que a oposição não conseguia: Destruir o PSDB paulista

Prestes a descarrilar, mídia golpista começa a abandonar o trensalão tucano

Denúncias do cartel do Metrô em São Paulo resgatam conexão Serra–Arruda

Trensalão tucano: E eles ainda dizem que não sabem de nada

Trensalão tucano: Estudante de Berkeley fura jornais brasileiros

E ele diz que não sabe de nada: Siemens e Alstom financiaram Alckmin e outros tucanos

Trensalão tucano: Entenda as denúncias contra o PSDB

Denúncias do trensalão tucano têm de acabar antes das eleições de 2014, diz cardeal do PSDB

Agora vai: Desesperados com o trensalão, PSDB pensa em lançar a chapa FHC–Aécio

Antes tarde do que mais tarde: MPF investigará trensalão tucano

“Política da propina” pagou R$3milhões, apontam inquéritos

Corrupto processa corruptor: O circo tucano

Mídia e trensalão tucano: Como servir a Deus sem trair o Diabo

As relações de Aécio com o homem da Alstom na era tucana

Trensalão tucano: Se cuida FHC, o MP vai investigar sua eleição

A CPTM virou balcão de negócios do governo tucano

MPF engavetou todas as ações contra os tucanos

Trensalão: Tucanos não querem CPI da Corrupção

Carlos Neder: A falsidade da gestão e da propaganda tucana

Domínio do fato no julgamento dos outros é refresco

Trensalão tucano em 5 passos

E o que fala Arnaldo Jabor sobre o trensalão tucano?

Carta revela envolvimento de tucanos em esquema pesado de corrupção

Trensalão tucano: Cartel dá R$307 milhões de prejuízo à CPTM e Alckmin se finge de morto

MP/SP pede reforço da Alemanha para resolver caso do trensalão tucano

Propinoduto tucano: O trem pagador

Trensalão: Os executivos fichas-sujas do tucanato paulista

Trensalão tucano: Suíça descobre propina de 800 mil euros no caso Alstom

“Falha administrativa” faz justiça suíça desistir de investigar suspeitos de propinas em São Paulo

Até “calunista” tucano afirma que trensalão ultrapassa de longe “mensalão”

MPF abre investigação sobre “falha” em apuração do trensalão tucano

Trensalão tucano: Com ajuda de lobista, Alstom atingiu 100% da meta de negócios em São Paulo

Até tu, Otavinho: O trem tucano

Trensalão: Como o Ministério Público protegeu os tucanos

Trensalão: Governo federal cobrou de Rodrigo de Grandis apoio à investigação suíça

Seus problemas acabaram: Filie-se ao PSDB

Trensalão tucano: Justiça ironiza Alckmin e manda reabri caso Siemens

Trensalão: Após afastamento do engavetador Rodrigo de Grandis, justiça chega aos homens do propinoduto tucano

Trensalão tucano: Investigações sobre propinoduto avançam com delações em série

Júri tucano derruba matéria do trensalão do Prêmio Esso de Jornalismo

Rodrigo De Grandis, o procurador muy amigo

Na lista da máfia do ISS, Globo nega e diz que paga todos os impostos

Trensalão: Ex-diretor da Siemens aponta caixa 2 de PSDB/DEM e cita membros da cúpula tucana

***

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

3 Respostas to “Os “vândalos” do Metrô: Alckmin acha que pode resolver tudo com a polícia”

  1. Jésus Araujo Says:

    O pensamento autoritário e o elitismo de nossa política, duas pragas herdadas da Ibéria, reforçadas pelo positivismo, sustentadas pelos diversos “pronunciamientos” dos quartéis na República. O populismo da República Liberal, na verdade, foi autoritarismo disfarçado, cooptando as massas, e seus arremedos posteriores sempre tiveram e têm a mesma natureza. Mas como as massas, mesmo cooptadas (o populismo foi como brincar com fogo), passaram a reivindicar, foi preciso botar a tropa na rua em 64, para que cada um reconheça seu lugar. A tradição teima em persistir.
    Em meus tempos de professor de sociologia, repetia frequentemente para os alunos: O Brasil deve à História uma revolução.

  2. Jésus Araujo Says:

    Mauro Donato, gostei de seu artigo, mas verifique em qualquer dicionário do vernáculo o sentido de imiscuir, imiscuir-se.

  3. Os “vândalos” do Metrô: Alckmin acha que pode resolver tudo com a polícia | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: