Juristas isolam Joaquim Barbosa. Agora só lhe resta a mídia

Joaquim_Barbosa157_Juristas

Via Brasil 247

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, recebeu como resposta às suas ações arbitrárias o isolamento do mundo jurídico – por parte de juízes e advogados –, de intelectuais e até da sociedade civil. Juristas que são referências em suas áreas e presidentes de entidades de classe da magistratura já demonstraram nos últimos dias repúdio contra decisões do chefe do Judiciário, as quais consideram “políticas”, “inconstitucionais” e até mesmo comparáveis ao “coronelismo”.

Por unanimidade, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), presidida por Marcus Vinícius Furtado Coelho, aprovou um pedido de investigação sobre a conduta de Barbosa. Em nota, a entidade máxima da advocacia cobra do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a apuração de irregularidade na substituição do juiz Ademar Silva de Vasconcelos, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que estaria, segundo Barbosa, sendo “benevolente” demais com os condenados da Ação Penal 470.

Críticas duras vieram principalmente de presidentes das entidades da magistratura. Para João Ricardo dos Santos Costa, eleito no domingo novo presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), o afastamento do juiz do DF foi um “canetaço” (leia aqui). “Pelo menos na Constituição que eu tenho aqui em casa não diz que o presidente do Supremo pode trocar juiz, em qualquer momento, num canetaço”, afirmou, lembrando que não havia “indício ou informação de qualquer irregularidade” por parte do magistrado afastado.

Por meio de nota em que cobra explicações do ministro, a presidente da Associação Juízes para a Democracia, Kenarik Boujikian compara o ato ao “coronelismo judiciário”, termo que se mostra adequado, segundo ela, caso fique comprovada a pressão de Barbosa para a substituição de Vasconcelos. Em nota enviada ao 247, o presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Nino Toldo, ressalta que “é preciso analisar as circunstâncias em que houve a troca de juízes”, mas afirma que “de qualquer modo, nenhuma pressão pode haver sobre o magistrado, sob pena de se ferir a autonomia da magistratura”.

Na semana passada, um manifesto de repúdio a Joaquim Barbosa já havia sido assinado por dezenas de juristas, intelectuais e personalidades da sociedade civil. Alguns dos que condenam a forma de execução das prisões de parte dos réus da Ação Penal 470 – feitas no feriado de Proclamação da República, transferindo todos os condenados para Brasília em um avião da FAB e sob uma decisão monocrática – são Celso Bandeira de Mello, Dalmo de Abreu Dallari, Fernando Morais, Eric Nepomuceno, Wanderley Guilherme dos Santos e Marilena Chauí (leia mais em Juristas e intelectuais gritam contra AI-5 de JB).

Parece que, no momento, apenas a grande mídia está ao lado do chefe do Judiciário, que mais demonstra ter um perfil de vingador do que de alguém que representa a Justiça suprema de um país democrático. Até quando, não se sabe.

***

Leia também:

Joaquim Barbosa, o pior brasileiro do ano

Joaquim Barbosa nega direitos a Genoíno. É ilegal, mas e daí?

AP 470 não muda voto de 93% dos brasileiros, diz pesquisa

Na Itália, José Genoíno seria um herói da resistência

Estigma e direitos na execução das penas do “mensalão”

Mauro Santayana: Pena, cadeia e justiça no Brasil

As jabuticabas constitucionais do STF

José Genoíno e a dignidade dos que não se curvam

Resistir é preciso

Uma encrenca chamada Joaquim Barbosa

Joaquim Barbosa é o grande expoente do ódio

Paulo Moreira Leite: Vai aparecer a verdade sobre os R$73,8 milhões da Ação Penal 470?

Breno Altman: Por que José Dirceu sorriu pela segunda vez?

Paulo Moreira Leite: Um laudo pela metade

Miruna Genoíno: “Condenaram meu pai à pena de morte.”

“Barbosa poderá responder por crime de responsabilidade” diz associação de juízes

Paulo Moreira Leite: Um laudo com muitas salvaguardas para Genoíno

Temos um Napoleão no STF. Imperador de si mesmo

Saiba quem são os médicos escolhidos por Joaquim Barbosa para examinar José Genoíno

Joaquim Barbosa trocou juiz com “cantaço” ilegal, diz AMB

O barbosismo, o PT e o pós-julgamento

OAB pede ao CNJ que investigue Joaquim Barbosa

Breno Altman: Por que José Dirceu sorriu pela segunda vez?

Vazam mais páginas do dossiê de Henrique Pizzolato

AP470: Lembo critica “linchamento e diz que há base legal para impeachment de Barbosa

Caiu a máscara: Barbosa nomeia tucano para decidir futuro de Dirceu, Genoíno e Delúbio

Joaquim Barbosa, que nem disfarça mais, escolhe juiz tucano

“Mensalão”: Joaquim Barbosa e o sentido da tragédia

Missão de Pizzolato na Itália é destruir o precesso do “mensalão”, diz advogado

Joaquim Barbosa violou os direitos dos réus, afirma o jurista Celso Bandeira de mello

Ação Penal 470: Globo dá sinais de que, se farsa reuir, Barbosa é quem vai pagar a conta

Janio de Freitas cobra punição de Barbosa no CNJ

Joaquim Barbosa e o sensacionalismo

José Genoíno para presidente

Antonio Lassance: Os 10 privilégios dos petistas presos

Rede Globo tem contratos sigilosos com Marcos Valério

De Deodoro da Fonseca a Joaquim Barbosa: As farsas do 15 de novembro

“Mensalão”: O terceiro absurdo

Paulo Moreira Leite: O que Herzog pode ensinar sobre Genoíno

Em carta escrita na prisão, petistas dizem que não aceitam “humilhação”

Mauro Santayana: O júbilo e a hopocrisia

Pizzolato revela na Itália dossiê que embaraça julgamento de Barbosa

Mais do mesmo: Agora o alvo é o Lula

A Globo, a Folha e a Veja versus José Genoíno

Cumpra-se a lei: Juiz enquadra a toga colérica

STF tem chance de salvar sua própria dignidade

Juristas e intelectuais gritam contra AI-5 de Joaquim Barbosa

Erros do STF se voltarão politicamente contra a direita

Supremo Tapetão Federal

Destinos cruzados: A vida de Genoíno e a saúde da democracia

Advogados apontam “violações”, ilegalidades” e “desrespeito” nas prisões do “mensalão”

Paulo Moreira Leite: Pizzolato na Itália

Indo buscar justiça na Itália, Pizzolato atrapalha os planos políticos de Joaquim Barbosa

Henrique Pizzolato vai à Itália buscar justiça no caso da Ação Penal 470

O livro “A outra história do mensalão” é um sucesso de vendas

A revista Retrato do Brasil desmonta farsa do “mensalão”

“Mensalão”: A história de uma farsa

Cláudio Lembo, aliado de José Serra, chama o “mensalão” de julgamento medieval

Juristas destroem acusações dos juízes do julgamento do “mensalão”

Ives Gandra, um dos oráculos da direita, afirma que José Dirceu foi condenado sem provas

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

6 Respostas to “Juristas isolam Joaquim Barbosa. Agora só lhe resta a mídia”

  1. Todas as virtudes de Joaquim Barbosa | Conversa Afiada Says:

    […] Roberto Jefferson, Joaquim Barbosa cai no sambaTV Globo fará série sobre a mãe de Joaquim BarbosaJuristas isolam Joaquim Barbosa. Agora só lhe resta a mídiaJoaquim Barbosa, o pior brasileiro do anoJoaquim Barbosa nega direitos a Genoíno. É ilegal, mas e […]

  2. pintobasto Says:

    Se juristas ilustres condenam o comportamento de Joaquim Barbosa, aqui embaixo, junto da população mais pobre, é execrado como inimigo como reles vendido à turma do quanto pior, melhor para eles, os donos do dinheiro. Nisto tudo, acho muito estranho o comportamento do PT que já deveria ter acionado o Senado a exigir explicações desse deslumbrado ministro que atropela a constituição, fabrica sentenças sem provas e desrespeita um cidadão como Genoíno, doente e necessitando de cuidados especiais.
    O senado tem força da lei que lhe permite colocar em votação o processo de impedimento do Joaquim Barbosa! Porque nada fez? Tem algo muito estranho e cheirando mal em tudo isto!

  3. Mineira consciente Says:

    Ainda bem que ainda existem nesta república joaquimbananesnse pessoas com senso crítico e conhecedoras da constituição.

  4. Clovis Pacheco F. Says:

    Em breve, o Joaquinzão vai dizer: “Só porque eu sou negro!”…

  5. Juristas isolam Joaquim Barbosa. Agora só lhe resta a mídia | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

  6. bene nadal Says:

    … E eu pergunto aos amigos do Brasil 247: Numa democracia, pode um ministro do Supremo, no caso o presidente, simplesmente fazer “o que quiser” independentemente da constituição? Seja condenar sem provas, seja participar ativamente de partidos políticos de oposição, seja trabalhar em conluio com a mídia golpista, contra os demais poderes da democracia?
    … E nada pode ser feito legalmente, como um impeachmant, por exemplo?
    Se todas as respostas forem sim, eu pergunto: estamos vivendo uma democracia? Ou um regime de exceção?
    … E agora as duas perguntas mais importantes, se é possível impetrar ações mais drásticas, QUEM PODERIA FAZÊ-LO, E QUAL O CAMINHO?
    E agora uma pergunta definitiva: SE TEM ALGO LEGAL QUE PODE SER FEITO, E NINGUÉM O FAZ, PORQUE SOMOS 200 MILHÕES DE “BANANAS”???

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: