Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais

Prefeitura_SP20_Roberto_Bodini

Promotor Roberto Bodini.

Uma planilha apreendida com um dos fiscais suspeitos de fazer parte da máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços), que atuava na Prefeitura de São Paulo, aponta que o grupo arrecadou R$29 milhões em propina entre junho de 2010 e outubro de 2011.

O documento mostra ainda que somente nesse período, ao menos, 410 empreendimento imobiliários pagaram propina. Esses empreendimentos teriam que ter recolhido impostos no valor aproximado de R$61,3 milhões, porém, a planilha indica que só foram pagos R$2,5 milhões de ISS.

O documento descreve o nome de cada um dos empreendimentos e o endereço dos imóveis. Essa planilha foi apreendido no HD que pertencia a Luís Alexandre Cardoso de Magalhães. No entanto, em depoimento prestado na tarde de hoje, ele, que tem benefício da delação premiada, não reconheceu ser autor da planilha.

Conforme avaliação do Ministério Público, as provas indicam que dezenas de empresas podem estar envolvidas. Até agora foram reconhecidos os nomes de sete delas.

As informações foram divulgadas no fim da tarde de quinta-feira, dia 5, em entrevista coletiva convocada pelo Ministério Público e pela Controladoria Geral do município.

Bens confiscados

Na segunda-feira, dia 2, o Ministério Público ajuizou a primeira ação pela suposta prática de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito contra um dos auditores fiscais suspeitos de integrar a máfia do ISS. A ação é contra Amílcar José Cançado Lemos e a empresa Alicam Administradora de Bens, que pertence a ele.

O promotor de Justiça César Dario Mariano da Silva afirma na ação que Lemos acumulou bens com valor correspondente a 125 vezes o salário que recebeu da prefeitura. O valor dos bens não foi revelado pela Promotoria.

Ainda estão previstas ações semelhantes contra ao menos outros auditores, entre eles Luís Alexandre Cardoso de Magalhães e Carlos Augusto Di Lallo Leite do Amaral, que efetuaram transações imobiliárias com Amílcar.

***

50 empresas suspeitas de envolvimento na máfia do ISS são identificadas

Via UOL

O Ministério Público de São Paulo já conseguiu identificar cerca de 50 empresas suspeitas de pagamento de propina à chamada máfia do ISS para obtenção irregular de desconto no imposto.

Os promotores chegaram aos supostos corruptores após cruzar dados oficiais, fornecidos pela prefeitura, com uma planilha achada no computador apreendido com um dos auditores suspeitos.

As datas e os valores citados no documento coincidem exatamente, até os centavos, com as informações oficiais de beneficiados.

Isso explica a afirmação do promotor Roberto Bodini quando disse que “os documentos falam por si”.

Os nomes estão sendo mantidos em sigilo, para não atrapalhar as investigações, mas a Folha apurou que entre eles há grandes construtoras, ao menos um shopping e até um hospital.

A planilha estava em um computador do auditor fiscal Luís Alexandre Magalhães, apontado como membro da quadrilha responsável pelo contato com as empresas e recolhimento da propina.

Nessa documentação estão 410 supostos beneficiários do esquema. Para a Promotoria, esse número poderá ser muito maior, pois a relação foi encontrada em único computador e ainda existem outros a serem analisados.

Outro fato que reforça essa tese é a lista referir-se a apenas 16 meses. Os auditores já confessaram, em acordo de delação premiada, que o esquema ocorreu ao menos desde 2005.

Até agora, o Ministério Público tinha identificado poucas empresas com base na confissão do grupo: BKO, Tarjab, Tecnisa, Trisul, Alimonti, Company, e Brookfield.

A Brookfield admite ter pago R$4 milhões de propina, mas alega que era vítima.

As outras empresas negam envolvimento com a máfia.

Polícia

A relação de empresas suspeitas deve ser repassada à Polícia Civil na segunda-feira, após uma reunião entre o promotor Roberto Bodini e o secretário da Segurança, Fernando Grella Vieira.

Nesse dia, serão acertados os detalhes dessa participação, mas, em princípio, dois delegados deverão ser designados. “Veremos como eles poderão ajudar o Ministério Público”, disse Bodini.

Assim, a polícia poderá abrir 410 inquéritos para investigar os supostos corruptores. Mas o número pode ser menor, já que a lista pode trazer um mesmo nome beneficiado mais de uma vez.

Essa reunião entre Promotoria e Segurança Pública ocorre após um mal-estar criado durante a investigação sobre a máfia do ISS.

Conforme a Folha revelou, a Polícia Civil abriu ao menos 12 investigações paralelas para apurar o caso após a prefeitura não repassar dados sobre os servidores suspeitos de enriquecimento ilícito.

Entre os alvos dos inquéritos estão as empresas citadas pela Promotoria. A situação desses inquéritos também será discutida na segunda.

Questionado, Bodini disse desconhecer oficialmente a existência de inquéritos.

***

Leia também:

Receita do município de São Paulo sobre R$30 milhões com o fim da máfia dos fiscais

Fernando Haddad: “A máfia não seria descoberta sem a ajuda de Donato.”

PT defende José Eduardo Cardozo e aponta “gavetas vazias”

Antônio Lassance: Arroubo tucano é pânico

Máfia demotucana: José Eduardo Cardozo diz que processará pessoas que o ofenderam

Máfia demotucana: Investigação de propina em São Paulo avança sobre a gestão Serra

Máfia demotucana: Haddad desmente Folha sobre repasse de informações à Polícia Civil

Paulo Moreira Leite: Cardoso, Donato e a fábula da classe dominante

A máfia dos fiscais quer pegar Haddad

Máfia demotucana: Secretário ligado a José Serra será convocado a depor em São Paulo

“Não há como recuar, e não haverá recuo”, avisa prefeito Haddad

Máfia demotucana: Como a mídia protege e protege Serra e Kassab

Máfia demotucana: Quadrilha zerou ISS de 107 prédios em São Paulo

Máfia demotucana: Situação era de degradação, diz Haddad sobre a quadrilha do ISS

MP/SP mira Kassab para livrar José Serra

Serra defende ex-secretário citado no escândalo da máfia demotucana: “É íntegro e competente.”

Máfia demotucana: A dama do achaque abre o jogo

Máfia demotucana: “Arquiva”, manda Kassab

Máfia demotucana: A Folha se considera só um papel pendurado na banca

Máfia demotucana: Líder da quadrilha diz que Kassab sabia do esquema e esperava que ele “ganhasse a eleição”

“O implacável braço direito de Serra” e o caso de corrupção em São Paulo

Seus problemas acabaram: Filie-se ao PSDB

Braço direito de José Serra mandou arquivar denúncias de pagamento de propina para construtoras

Prefeito Haddad e a lição de ética

Após investigações, Haddad manda prender ex-funcionários da gestão Kassab/Serra

Há mais envolvidos no esquema de corrupção do governo Kassab/Serra, diz Haddad

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

3 Respostas to “Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais”

  1. Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais | O LADO ESCURO DA LUA Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

  2. Máfia demotucana: Planilha aponta que 41... Says:

    […] Uma planilha apreendida com um dos fiscais suspeitos de fazer parte da máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços), que atuava na Prefeitura de São Paulo, aponta que o grupo arrecadou R$29 milhões em pro…  […]

  3. Máfia demotucana: Planilha aponta que 410 empreendimentos pagaram propina a fiscais | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: