Para André Singer, programa de Eduardo Campos/Marina não existe

Andre_Singer02

O jornalista e cientista político André Singer (foto) afirma que o acordo entre Rede e PSB não é programático e sim pragmático. Ele afirma ainda que, se o pragmatismo impuser esta escolha, Eduardo Campos poderá até ser vice de Marina Silva.

Lido no Brasil 247

André Singer, colunista da Folha e ex-porta-voz de Lula, vê muita espuma e pouca consistência programática na aliança entre Eduardo Campos e Marina Silva. Leia, abaixo, sua análise:

Espuma

A principal virtude da decisão de Marina Silva de se filiar ao PSB foi a de ser inesperada. Ao fazer o surpreendente lance, a ex-senadora, que já vinha ocupando o centro da cena com o registro da Rede, continuou a dominar o noticiário. Mas, passado o efeito surpresa, o que restará?

O aspecto engenhoso da solução encontrada por Marina para o impasse em que se encontrava foi que, quando todos esperavam uma definição, manteve o suspense.

Registrando-se em agremiação que já tem candidato, ela não precisa definir agora se vai concorrer. Mais ainda: declarando apoio, em princípio, a Eduardo Campos, protege-se da acusação de ter aderido ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) só para se candidatar, o que estaria em flagrante contradição com a proposta de renovar os costumes políticos nacionais.

O pequeno, mas óbvio, detalhe que torna a construção pouco crível é que, para apoiar Campos, a líder da Rede não precisava ter se filiado ao PSB, bastando indicá-lo como postulante preferido à sucessão de Dilma Rousseff. A matrícula só existe para deixar aberta a possibilidade de ser ela mesma candidata. Para tanto, Marina arriscou a própria razão de ser do importante movimento renovador que dirige, o qual já começa em fusão com uma legenda tradicional.

Eduardo funciona como biombo ideal para a candidatura de Marina, deixando-a em uma conveniente redoma até que as massas de classe média, na forma das pesquisas de intenção de votos, exijam que assuma, no primeiro semestre de 2014, a cabeça da chapa para “salvar o Brasil”. Por que, então, teria o matreiro governador de Pernambuco aceito o negócio?

O pernambucano deve ter avaliado que o risco valia a pena. Afinal, a jogada de Marina também o projeta ao primeiro plano dos meios de comunicação. Ainda pouco conhecido fora do seu Estado, o neto de Arraes precisa de exposição. Afora isso, com o respaldo da Rede, ele penetra em um eleitorado que, além de ser nacionalizado, é jovem, o que lhe garante longo futuro.

Chegado o momento de decidir, se verá o que acontece, terá pensado Campos –-que, por ser também jovem, pode-se dar ao luxo das experiências. Até a de ser vice em 2014.

Com o objetivo de salvar a cara de seu partido, do qual ainda se espera uma contribuição consistente ao Brasil, Marina insiste em que a união é programática. Mas nem ela nem Campos são capazes de enunciar uma linha sequer do programa comum, pela simples razão de que ele não existe.

Quando a espuma baixar, vão aparecer apenas dois candidatos, coabitando uma única sigla. Mas, até lá, terão sido, ambos, personagens de longa e proveitosa novela.

***

Leia também:

Luciano Martins Costa: A mídia está atirando para todos os lados

O mal-estar de Marina Silva

Janio de Freitas: O não dito pelo dito

Como fatos são maiores que desejos, Marina devastou a oposição

Aliado histórico de Marina abandona Rede e diz ter feito “papel de bobo”

Os neossocialistas Heráclito Fortes, Bornhausen e Caiado apoiam Eduardo Campos/Marina

Por que no te callas, Marina Silva?

Paulo Moreira Leite: Marina/Campos, bola de cristal em 5 pontos

Janio de Freitas: Presente e futuro

Dez consequências da decisão de Marina

Vice do PSB diz que partido de Marina é “fundamentalista, preconceituoso e sem caráter”

Problemas para Campos: Marina já critica alianças do PSB

Todos contra o chavismo

Marina/Campos: De madrugada, choro e ataque ao “chavismo do PT”

Marina Silva e o chavismo

Malabarismo de Marina Silva desorientou a mídia golpista

Estão faltando ideias e sobrando frases feitas para Marina

A Rede de Marina: Uma nova política ou uma nova direita?

Marina perdeu antes de o jogo começar?

Marina Silva é o atraso do Brasil financiado por banqueiros

Mexeu com o Itaú, mexeu com a Marina: Banco é autuado por sonegar R$18,7 milhões

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: