Marina/Campos: De madrugada, choro e ataque ao “chavismo do PT”

Marina_ImpacienciaVia O Globo

Numa reunião que terminou às 4h30m da madrugada de sábado, dia 5, com muito choro, a ex-senadora Marina Silva comunicou a seus seguidores que seu sonho de ser presidente da República teria de ser adiado, e que seu projeto, agora, é acabar com a hegemonia e o “chavismo” do PT no governo. Acusada pelo deputado Alfredo Sirkis (PV/RJ) de ter um processo de decisão “caótico”, Marina chegou à reunião dizendo que tinha tomado uma decisão sem volta: seria candidata a vice na chapa presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e sua posição era inegociável. Na reunião, ela não ouviu, só falou. Mas depois houve uma choradeira geral. Marina então relatou sua conversa com Campos ao telefone:

“Eduardo, você está preparado para ser presidente do Brasil? Eu vou ser sua vice e estou indo para o PSB”, contou Marina, relatando ainda que Campos ficou mudo, mas muito eufórico.

Ela disse que ia ouvir a todos, mas que não voltaria atrás, porque estava sem alternativa. Todos ficaram contra, cada um com seus argumentos. Seu braço-direito da vida inteira, Pedro Ivo Batista, seu maior conselheiro, estava por fora do acordo.

“Eu fiz esse acerto com o Eduardo Campos porque chegou a um ponto que eu não tinha outra alternativa. E o PSB é um partido sério. A minha briga, neste momento, não é para ser presidente da República, é contra o PT e o chavismo que se instalou no Brasil”, disse Marina.

“Mas você sabe que se fizer isso vai ter de abrir mão do sonho de ser presidente”, ponderou Pedro Ivo.

“Esse sonho vai ficar para outro momento. Vou ser vice do Eduardo e acabar com essa hegemonia do PT na Presidência, disse Marina, mostrando ressentimento com o que considera que foi feito para barrar a criação do Rede.

Ela disse que a combinação é para que a coligação seja PSB/Rede, para que o Rede se incorpore tão logo seja criado. Marina reclamou muito de perseguição dentro do governo e do PT contra ela. Disse que seria muito pior se fosse para um nanico como o PEN ou PMN.

“Eu seria desossada com muito mais facilidade. Seria tratorada. Eu sei que tem mais de 2 mil pessoas pagas com dinheiro público para acabar comigo nas redes sociais, disse Marina.

***

Leia também:

Marina Silva e o chavismo

Malabarismo de Marina Silva desorientou a mídia golpista

Estão faltando ideias e sobrando frases feitas para Marina

A Rede de Marina: Uma nova política ou uma nova direita?

Marina perdeu antes de o jogo começar?

Marina Silva é o atraso do Brasil financiado por banqueiros

Mexeu com o Itaú, mexeu com a Marina: Banco é autuado por sonegar R$18,7 milhões

Tags: , , , , , , , , ,

3 Respostas to “Marina/Campos: De madrugada, choro e ataque ao “chavismo do PT””

  1. Marina/Campos: De madrugada, choro e ataque ao “chavismo do PT” | EVS NOTÍCIAS. Says:

    […] See on limpinhoecheiroso.com […]

  2. pintobasto Says:

    Marina Silva perdeu-se na política no dia em que foi fazer entendimentos com Serra na última campanha eleitoral para a presidência da república. Tem ressentimentos contra Lula e com razões para tal, mas deveria ter explicado isso na campanha passada e assim perdeu votos. Agora perdeu muita credibilidade por grande falta de habilidade em movimentar-se no meio da politicalha. Para lidar com vilões necessita ser um grande artista e mentiroso convincente.

  3. Maria Thereza Says:

    essa marina é das arábias, mesmo. Será que ela pode ensinar como perceber, por telefone, a euforia de uma pessoa que ficou muda? Isso é melhor que espionagem…

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: