Veja abandona o crime e vai dedicar-se ao humor

Veja_45_Anos01

Veja diz que “busca a verdade” há 45 anos.

Via Brasil 247 e lido no SQN

Num texto que mais parece uma piada, o diretor da Veja, Eurípides Alcântara, escreve que a revista “nunca parou de buscar a verdade”, desde seu primeiro número. O editorial é uma celebração aos 45 anos da revista que terá uma edição especial com 45 reportagens que “fizeram – e fazem – história”, além de “investigações de fôlego e uma coletânea de artigos”.

A melhor palavra que descreve a Carta ao Leitor deste número seria cinismo. Além da tal “busca da verdade” durante mais de quatro décadas, Alcântara diz que a publicação também nunca deixou de “pôr a mão onde muitos tiveram medo de fazê-lo, de denunciar o que deveria ser denunciado, mas também de elogiar o que merece ser elogiado”.

Ele continua: “Veja descobre os escândalos de corrupção, cobra consequências e continua correndo atrás de outras revelações”. Como exemplos, cita o chamado “mensalão” e a suposta compra de votos que garantiu a reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pelo Congresso. Acontece que a própria Veja, tucana, já rebateu essa tese, comprovada no mais novo livro do jornalista Palmério Dória, O Príncipe da Privataria.

Capas_Veja02A

A revista mais tucana do Brasil.

Tudo isso está no editorial de Veja que foi às bancas no fim de semana passado. Menos, é claro, uma citação à cínica cobertura do chamado propinoduto tucano, que envolveu ao menos três governos do PSDB em São Paulo, mas que a revista não citou o nome de nenhum, apenas disse que “há indícios” do esquema de cartel e ainda conseguiu incluir um petista na história (relembre aqui).

Também não há nada a respeito dos grampos clandestinos que o diretor da sucursal de Brasília, Policarpo Jr., conseguia com o contraventor Carlos Cachoeira. Outro caso que causou repercussão – mas que também não é citado pela revista – foi a invasão do repórter Gustavo Ribeiro na suíte do ex-ministro José Dirceu, no Hotel Naoum, em Brasília, em 2011.

Agora é aguardar a “edição histórica” dos 45 anos de Veja para saber o que mais virá.

Tags: , ,

4 Respostas to “Veja abandona o crime e vai dedicar-se ao humor”

  1. Therezinha Says:

    É incrível!!! quando penso que não dá prá piorar, a revista consegue!!!!
    Isto eu chamo de capacidade de cavar a própria ruína!!!

  2. Porto Says:

    Eu acho que o editor da Veja tem razão: há 45 anos eles buscam a verdade. Mas ainda não a encontraram…

  3. Maria Thereza Says:

    Eu não vou comprar a revista, mas será que eles vão esclarecer de quem é mão na foto do Serra? Vão contar tudinho sobre como o cachoeira pautava a revista e dava informações privilegiadas para o “caneta”?

  4. Thomas Rossi Says:

    Santo Deus, vocês citarem como “prova” de algo um livro do jornalista Palmério Dória… Palmério é um irresponsável, simpaticíssimo, é verdade, mas não checa nada, toca de ouvido, não merece o respeito de nenhum jornalista sério de que eu tenha ouvido falar. Seu livro sobre o Sarney — que, claro, é um político desprezível — é o fim da picada da irresponsabilidade. Chute após chute, não há fatos comprováveis, nada.
    O Palmério é um hippie velho que resolveu ganhar dinheiro com cascatas impressas em livro.
    Sejam mais sérios, amigos…
    Por favor!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: