Trensalão tucano em 5 passos

Alstom e Siemens foram alvo de autoridades por suspeitas de corrupção. No Brasil, também há inquéritos desde 2008, mas nenhum finalizado.

Via G1

Empresas suspeitas de integrar um cartel que agia em licitações do Metrô e CPTM já são investigadas desde pelo menos 2008, quando o jornal The Wall Street Journal revelou que o Brasil também fazia parte de um inquérito internacional que apurava pagamento de propina pela Alstom e Siemens a funcionários públicos em diversos países.

Essas investigações voltaram a ganhar evidência em julho deste ano depois que a Siemens decidiu admitir a existência do cartel, um conluio de empresas para fraudar preços, ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Entenda a seguir a cronologia do caso e quais licitações estão sob suspeita no Cade

Metro_Siemens63_PassoO suposto pagamento de propinas a governos no Brasil pela empresa Alstom, chegaria a US$20 milhões, segundo o Ministério Público da Suíça. No Brasil, que ainda não estava no foco das investigações, os valores seriam divididos entre partidos, Tribunal de Contas e o secretário de Energia, o que teria ocorrido em 1998. A Polícia Federal indiciou 10 pessoas por propinas na gestão de Mário Covas (PSDB), entre elas o ex-secretário de Energia e vereador Andrea Matarazzo (PSDB). Não houve denúncia.

Metro_Siemens64_PassoDesde 2004, a Justiça suíça já investigava a Alstom. A Siemens também vira suspeita no escândalo mundial de corrupção. A prática seria generalizada, atingindo vários países entre 2001 e 2007. Até meados de 2000, não era crime a Siemens e a Alstom pagarem propinas a funcionários públicos estrangeiros, mas as normas mudaram ao longo da década na Europa. A alemã demite seu presidente em 2007 e é condenada a multas de ao menos R$3,6 bilhões pelas propinas. Desde então, a alemã começa a investir em compliance (obedecer a lei), denunciando casos de corrupção internos em todas as suas filiais.

Metro_Siemens65_PassoO jornal The Wall Street Journal revela investigações em 11 países contra a Alstom por pagamento de propinas entre 1998 e 2003. As suspeitas atingem obras do Metrô de São Paulo e funcionários públicos. O Ministério Público paulista pede informações à Suíça e instaura inquéritos. O governo de São Paulo nega envolvimento. Tentativas de abertura de CPI falham. Na Siemens, um funcionário denuncia práticas ilegais no Brasil à sede alemã, dando detalhes do pagamento de propinas em projetos do Metrô e CPTM de São Paulo e do Metrô DF. A denúncia é mantida sob sigilo pela empresa.

Metro_Siemens66_PassoComo parte de suas investigações internas anticorrupção, a Siemens demite seu CEO brasileiro Adilson Primo, suspeito de grave violação ao código de conduta, desvio de 6 milhões de euros. Ele nega as suspeitas. Já a Alstom tornou-se suspeita de dificultar investigações em diversos países. A empresa nega.

Metro_Siemens67_PassoA Alstom recebe multa milionária na Suíça. Nos EUA, um vice-presidente da empresa é preso. No Brasil, a Siemens decide ir ao Cade delatar a existência de um cartel, que envolveria a francesa e outras empresas, e teria funcionado de 1998 a 2008, período dos governos de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, do PSDB. Novas investigações têm início no Brasil, incluindo a Alstom e os projetos denunciados pelo ex-funcionário da Siemens em 2008. Desde aquele ano, nenhuma delas foi finalizada. Todas as empresas dizem colaborar integralmente com as autoridades.

Veja a seguir as licitações sob suspeita de cartel investigadas pelo Cade

Trensalao01

***

Leia também:

Trensalão tucano: Saiba o nome dos deputados paulistas que foram contra a CPI da Corrupção

Trensalão tucano: Entenda as denúncias contra o PSDB

Todos os homens do propinoduto tucano

Propinoduto tucano: Os cofres paulista foram lesados em mais de R$425 milhões

Propinoduto em São Paulo: O esquema tucano de corrupção saiu dos trilhos

Após denúncias contra PSDB de São Paulo, site da IstoÉ sofre ataque

Mídia se cala: Tucanos envolvidos em corrupção? Bobagem…

Ranking dos partidos mais corruptos do Brasil

Por que Alckmin é tão blindado pela “grande mídia”?

O feito extraordinário de Alckmin

Conheça a biografia de Geraldo Alckmin

Alckmin torra R$87 milhões em propaganda inútil da Sabesp

Propinoduto tucano: Incêndio criminoso destruiu papéis do Metrô em São Paulo

Luciano Martins Costa: Um escândalo embaixo do tapete

Deputado critica demora do MP para agir contra corrupção no Metrô paulista

Apesar da blindagem da “grande mídia”, o caso da corrupção no Metrô paulista

Superfaturamento de cartel do trem em São Paulo e Brasília teria chegado a R$577 milhões

Adilson Primo, o personagem central para o esclarecimento do propinoduto tucano

Siemens diz que governo de São Paulo deu aval a cartel no Metrô

Propinoduto tucano: Novas provas do esquema estão chegando da Suíça

Propinoduto tucano: O impacto das propinas nas eleições para governador em São Paulo

Ombudsman: Folha errou ao omitir PSDB no caso Siemens

Não existe corrupção sem corruptor

Vídeo: Em 2011, Alckmin foi informado sobre o propinoduto tucano. Em 2013, diz que não sabe de nada

Alstom: Os tucanos também se encheram os bolsos de propina francesa

Trensalão tucano: Serra sugeriu acordo em licitação, diz executivo da Siemens

Trensalão tucano: Portelinha fazia os cambalachos para FHC e José Serra

Trensalão tucano: Andrea Matarazzo arrecadou junto à Alstom para a campanha de FHC

Trensalão tucano: A quadrilha dos trilhos

Trensalão tucano: Alstom pagou US$20 milhões em propina no Brasil, diz justiça da Suíça

Trensalão tucano: Pivô do caso Siemens poderá explicar reeleição de FHC

Promotor diz que empresas do cartel dos trens e Metrô são organizações criminosas

Serra conseguiu fazer o que a oposição não conseguia: Destruir o PSDB paulista

Prestes a descarrilar, mídia golpista começa a abandonar o trensalão tucano

Denúncias do cartel do Metrô em São Paulo resgatam conexão Serra–Arruda

Trensalão tucano: E eles ainda dizem que não sabem de nada

Trensalão tucano: Estudante de Berkeley fura jornais brasileiros

E ele diz que não sabe de nada: Siemens e Alstom financiaram Alckmin e outros tucanos

Trensalão tucano: Entenda as denúncias contra o PSDB

Denúncias do trensalão tucano têm de acabar antes das eleições de 2014, diz cardeal do PSDB

Agora vai: Desesperados com o trensalão, PSDB pensa em lançar a chapa FHC–Aécio

Antes tarde do que mais tarde: MPF investigará trensalão tucano

“Política da propina” pagou R$3milhões, apontam inquéritos

Corrupto processa corruptor: O circo tucano

Mídia e trensalão tucano: Como servir a Deus sem trair o Diabo

As relações de Aécio com o homem da Alstom na era tucana

Trensalão tucano: Se cuida FHC, o MP vai investigar sua eleição

A CPTM virou balcão de negócios do governo tucano

MPF engavetou todas as ações contra os tucanos

Trensalão: Tucanos não querem CPI da Corrupção

Carlos Neder: A falsidade da gestão e da propaganda tucana

Domínio do fato no julgamento dos outros é refresco

***

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Uma resposta to “Trensalão tucano em 5 passos”

  1. anisioluiz2008 Says:

    Republicou isso em O LADO ESCURO DA LUA.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: