Ombudsman: Folha errou ao omitir PSDB no caso Siemens

Suzana_Singer01

Via Brasil 247

A jornalista Suzana Singer, ombudsman da Folha, afirma que o noticiário do jornal sobre o caso Siemens teria sido mais equilibrado se tivesse citado que o escândalo dos trilhos do Metrô, denunciado pela multinacional alemã, se deu em governos tucanos. Embora cautelosa, Suzana admite que o jornal errou ao preservar o PSDB em seu noticiário sobre o escândalo Siemens nas obras do Metrô. Leia abaixo a autocrítica:

Na trilha do cartel

No caso Siemens, jornal errou ao preservar, no início, o PSDB, mas acertou ao não propagar acusações sem provas.

Há duas semanas, a Folha vem sendo alvo de uma “guerrilha verbal” na internet, para usar uma expressão que o jornal cunhou no editorial “Mitos das redes sociais”, do domingo passado.

O objetivo dos “guerrilheiros cibernéticos” é levar a Folha a publicar denúncias sobre o envolvimento de políticos tucanos no cartel formado em licitações de trem e Metrô de São Paulo.

As armas dessa guerrilha são a divulgação de reportagens da “IstoÉ”, posts em blogs governistas e correntes no Facebook acusando o jornal de “blindar o PSDB”.

Para saber se a causa dessa militância é justa, é preciso separar opinião e fato. Foi a Folha quem primeiro divulgou que a multinacional Siemens fechou um acordo com as autoridades antitruste brasileiras para delatar a existência do cartel, do qual ela própria fazia parte.

Em 14 de julho, o assunto ocupou a manchete. A reportagem informava que o cartel funcionou em ao menos seis licitações, mas alertava que “não se sabe ao certo o tamanho real, o alcance, o período em que atuou e o prejuízo causado”.

Dez dias depois, a IstoÉ estampou “O propinoduto do tucanato paulista”, com uma reportagem que retomava o depoimento, de 2008, de um ex-funcionário da Siemens. O denunciante, anônimo, tinha planilhas que comprovariam a formação de cartel e o repasse de dinheiro para offshores de lobistas.

Embora a revista tenha rasgado duas fotos de Geraldo Alckmin e José Serra, o texto não trazia evidência de envolvimento dos governadores nem de pagamento de propina. Havia apenas o ex-funcionário falando de subornos a políticos, “na maioria tucanos”, e a diretores da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Esse mesmo depoimento tinha sido publicado em 2009 pela CartaCapital, mas, na época, não teve maior repercussão.

Segundo a Secretaria de Redação, a Folha não recuperou a informação publicada pela revista porque o denunciante se recusou a falar sobre o caso para o jornal.

No final da semana passada, a IstoÉ voltou à carga, desta vez tentando quantificar o tamanho do prejuízo causado pelo superfaturamento de trens e Metrô. A fonte eram “pessoas ligadas à investigação”, que corre no Ministério Público de São Paulo e no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A conclusão era que os cofres paulistas perderam R$425 milhões.

A Folha “respondeu” com uma reportagem em que afirmava que o “cálculo do que foi superavaliado depende de levantamento de contratos assinados pela CPTM e pelo Metrô”, o que ainda não foi feito.

O jornal, acertadamente, evitou repercutir o que não era apuração própria, mas cometeu um erro: as duas reportagens publicadas até então não mencionavam que partido estava no governo quando o cartel atuava.

O quadro publicado junto aos textos listava várias licitações sob suspeita sem mencionar que elas ocorreram em gestões tucanas –entre a “prática criminosa que trafegou sem restrições pelas administrações Covas, Serra e Alckmin” (IstoÉ) e a assepsia do noticiário da Folha, era possível deixar o noticiário mais informativo e equilibrado.

Folha noticia caso do superfaturamento do Metrô de São Paulo […] e não cita o nome de ninguém do governo tucano. Nunca vi nada igual!! Rabo preso com o PSDB??”, tuitou, na segunda-feira, o deputado federal Ricardo Berzoini (PT/SP). O blog Tijolaço lançou outra frase de efeito para ser repassada pelos “guerrilheiros”: a Folha inventou a corrupção sem corruptor.

A manchete de anteontem – “Governo paulista deu aval a cartel do Metrô, diz Siemens” – silenciou boa parte dos críticos. Pela primeira vez, o nome de um tucano (Mário Covas) apareceu em destaque no jornal.

A reportagem, baseada em documento apresentado pela Siemens ao Cade, dizia que o governo de São Paulo é acusado de ter dado aval para a formação do cartel e que esse conluio teria perdurado durante as administrações Alckmin e Serra.

Foi dado espaço ao “outro lado” e tomou-se o cuidado de não partir para conclusões precipitadas, como fez a “guerrilha cibernética”, interessada em divulgar, com estridência, acusações não fundamentadas.

Como lembrou o colunista Elio Gaspari, o fato de uma empresa do tamanho da Siemens estar disposta a colaborar cria uma oportunidade ímpar de “expor o metabolismo das roubalheiras nacionais”.

O jornal não pode perder essa chance. Só que sem timidez nem açodamento.

Leia também:

Propinoduto tucano: Os cofres paulista foram lesados em mais de R$425 milhões

Propinoduto em São Paulo: O esquema tucano de corrupção saiu dos trilhos

Após denúncias contra PSDB de São Paulo, site da IstoÉ sofre ataque

Mídia se cala: Tucanos envolvidos em corrupção? Bobagem…

Ranking dos partidos mais corruptos do Brasil

Por que Alckmin é tão blindado pela “grande mídia”?

O feito extraordinário de Alckmin

Conheça a biografia de Geraldo Alckmin

Alckmin torra R$87 milhões em propaganda inútil da Sabesp

Propinoduto tucano: Incêndio criminoso destruiu papéis do Metrô em São Paulo

Luciano Martins Costa: Um escândalo embaixo do tapete

Deputado critica demora do MP para agir contra corrupção no Metrô paulista

Apesar da blindagem da “grande mídia”, o caso da corrupção no Metrô paulista

Superfaturamento de cartel do trem em São Paulo e Brasília teria chegado a R$577 milhões

Adilson Primo, o personagem central para o esclarecimento do propinoduto tucano

Siemens diz que governo de São Paulo deu aval a cartel no Metrô

Propinoduto tucano: Novas provas do esquema estão chegando da Suíça

Propinoduto tucano: O impacto das propinas nas eleições para governador em São Paulo

***

Tags: , , , , ,

3 Respostas to “Ombudsman: Folha errou ao omitir PSDB no caso Siemens”

  1. Eduardo De Paula Barreto Says:

    .

    O TRENSALÃO TUCANO
    .
    Agora eu vou poetizar
    Um assunto que me inquietou
    Em versos vou transformar
    O escândalo do Metrô
    Que ocorreu em São Paulo
    Sob as barbas de Geraldo
    José Serra e Mário Covas
    Que deram aval para a formação
    De um cartel com especialização
    Em fraudar licitações de obras.
    .
    O CADE tem investigado
    O escândalo cujo refém
    É o povo que fica apertado
    Dentro dos lotados trens
    E só existe investigação
    Porque a Siemens pôs nas mãos
    Do CADE vários documentos
    Que comprovam que o PSDB
    Recebia propinas ao fazer
    Parte do esquema fraudulento.
    .
    Há denúncias formais da Siemens
    Dando conta de que os psdbistas
    Aprovavam as aquisições dos itens
    Que constavam em enormes listas
    De obras e equipamentos
    E o faziam mesmo sabendo
    Que tais valores eram combinados
    Assim o Estado pagava mais caro
    Por bens e serviços e é claro
    Que os políticos eram recompensados.
    .
    Fala-se em punir as empresas
    Envolvidas nesse episódio
    Mas ninguém tem a grandeza
    De punir os políticos criminosos
    Que ao longo de vinte anos
    Roubam paulistas e paulistanos
    Sem que isso vire notícia
    Será que existe outro cartel
    Formado pela Mídia de aluguel
    E pela seletiva Justiça?
    .
    Eduardo de Paula Barreto

  2. bene nadal Says:

    Sra. ombudsman, fico feliz em ver um órgão de imprensa de extrema direita, reconhecer seus erros, no entanto, é muito pouco, pois se o partido envolvido fosse o PT, por exemplo, com certeza a folha teria “escrachado” o partido e todos os políticos envolvidos, pois em outras ocasiões esse jornal, praticamente fez campaha aberta contra os políticos do PT e seus candidatos. De qualquer maneira esse órgão de imprensa ganhou meio ponto percentual no meu conceito, ou seja passou de zero para 0,5%.

  3. anisioluiz2008 Says:

    Republicou isso em O LADO ESCURO DA LUA.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: