Mesmo com mudanças, a máfia de branco quer derrubar MP do Programa Mais Médicos

Medicos29A_Ricos

A “megapasseata” em São Paulo reuniu poucos profissionais contrários ao programa federal. Governo desiste de curso de oito anos, e agora residência terá passagem obrigatória pela atenção básica

Cida de Oliveira, via Rede Brasil Atual

A desistência do governo em aumentar para oito anos a duração do curso de Medicina, anunciada na quarta-feira, dia 31, pelo ministro da Educação Aloizio Mercadante, é o reconhecimento de um grande equívoco, mas não altera a essência da Medida Provisória 621, que institui o Programa Mais Médicos. A afirmação é do presidente da Associação Paulista de Medicina (APM), Florisval Meinão, durante manifestação nas ruas da região central da capital paulista nesta tarde.

A manifestação, que segundos os organizadores seria uma “megapasseata” contra o pacote da presidenta Dilma Rousseff para reduzir a falta de médicos, reuniu poucos representantes do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), da Associação Paulista de Medicina (APM), Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e de estudantes de poucas faculdades de Medicina.

A APM critica vários pontos da proposta do governo federal, como a contratação de profissionais formados em outros países sem a revalidação do diploma no Brasil. “O governo acabou se dando conta do erro de mudar a formação sem consultar as universidades e cedeu às pressões do meio acadêmico. Mas na prática não muda nada. Os médicos vão continuar indo trabalhar nas mesmas condições precárias”, disse.

Para o dirigente, as condições são ruins nas regiões afastadas, onde faltam médicos, e também nas regiões metropolitanas, onde faltam até mesmo macas para colocar os pacientes nos corredores.

Chantagem

O presidente do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), Renato Azevedo, reafirmou que as entidades pressionarão o Congresso para a derrubada da MP. No próximo dia 8 as entidades se reunirão em Brasília para visitar os parlamentares.

E negou que as entidades médicas estejam chantageando o governo com a saída de seus representantes de diversas comissões no Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar e Conselho Nacional de Saúde. Mas ele condiciona a reavaliação do caso a uma retirada, pelo governo, da MP.

Para o Conselho Federal de Medicina (CFM), a oferta universal de residência médica aos recém-formados, na rede pública de saúde, até 2018, dificilmente alcançará a qualidade necessária. O vice-presidente, Carlos Vital, disse que não há, hoje, condições suficientes para que a universalização da residência médica se torne realidade em cinco anos, e acrescentou que a ação “pode vir a ser configurada como mais uma forma de serviço civil obrigatório, em pseudoforma de residência”. Ele criticou ainda a proposta de ampliação do número de vagas apresentada pelo governo, que “tem muitas lacunas”.

O vice-presidente do CFM disse também que o problema não é apenas a oferta de vaga, mas a valorização de certas áreas como a medicina da família – uma das áreas mais carentes do SUS. Atualmente, das cerca de 12 mil vagas de residência ofertadas, 9 mil não são preenchidas.

A ideia inicial do Ministério da Educação era ampliar de seis para oito anos o tempo da graduação, com os dois últimos anos dedicados ao atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS). Mercadante defendeu hoje que, já em 2018, a residência médica passe a ser obrigatória ao final dos seis anos de graduação para algumas atividades da medicina. Pelo modelo, toda a residência será feita no SUS, e o primeiro ano, obrigatoriamente, em atenção básica, urgência e emergência no sistema.

A decisão foi tomada em discussão com diretores de faculdades, comissão de especialistas e representantes da Associação Brasileira de Escolas Médicas. A nova proposta será levada ao relator da MP, deputado Rogério Carvalho (PT/SE).

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, chegou a criticar o cancelamento de cirurgias e consultas em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), como forma de protesto. “O Ministério da Saúde está com as portas abertas para ouvir sugestões. Mas não concordo que se prejudique a população que às vezes espera meses por uma cirurgia ou para uma consulta. Apresentem as propostas concretas, mas não partam para uma tática que prejudique a população.”

***

Leia também:

Governo federal lançou o programa mais médicos e em São Paulo existe o “Maus Médicos”

O salto no IDH das cidades e o Programa Mais Médicos

Máfia de branco: Agora eles querem sabotar o Programa Mais Médicos

Médicos da Venezuela e de Cuba estão entre os primeiros no Revalida

Os ingleses querem médicos de fora. Nós, não…

Paulo Moreira Leite: O extremismo dos doutores

Jânio de Freitas: De galinhas e medicina

Folha mente: Brasil continua as negociações com Cuba para contratação de médicos

Governo federal lança o Programa Mais Médicos

Cremesp paga táxi e hora extra para funcionários irem a ato de médicos na Paulista

Ipea: Medicina é carreira com maior remuneração

Guia para entender a vinda de médicos estrangeiros

Eliane Brum: Ser doutor é mais fácil do que se tornar médico

Breno Altman: Conservadorismo de branco é atraso

Paulo Moreira Leite: Os médicos e os números por trás do preconceito

A medicina e o Brasil real

Programa Mais Médicos atrai mais de 11 mil profissionais em uma semana

Programa Mais Médicos: Ministério da Saúde mela o boicote dos doutores coxinhas

Lewandowski confirma validade do Programa Mais Médicos

Programa Mais Médicos: O farisaísmo perdeu

Médico que diz que estrangeiros são enganação tem dois filhos “importados” de Cuba

Programa Mais Médicos, o Bolsa Família da saúde

***

Tags: , ,

4 Respostas to “Mesmo com mudanças, a máfia de branco quer derrubar MP do Programa Mais Médicos”

  1. Benevenuto Nadal Says:

    “SOMOS RICOS, SOMO CULTOS, FORA OS CORRUPTOS”! Esse grito de guerra, se é que assim pode ser chamado, reflete bem a insanidade, de grande parte dessa classe, mais conhecida como “máfia de branco”, estão deixando bem claro que são arrogantes, e nada sábios. Visto que a sabedoria não se coaduna com a prepotência, menos ainda com a soberba e muito menos com a arrogância.
    Eles não querem que filho de pobre vire médico, porque se acham “elite”, eles não querem que pobre tenha atendimento médico, por puro preconceito, eles ficam muito mais conhecidos pelos erros do que pela humanidade… Quem não lembra do médico especialista em inseminação que enriqueceu estuprando suas pacientes enqunado anestesiadas, e que foi insanamente lebertado pelo STF, para vender os bens e fugir para outro país… Quem não lembra da médica que segundo os noticiários, matava os pacientes do SUS, na UTI, para abrir vagas para quem podia pagar… Quem não tem na próparia familia uma historinha de erro médico, por imperícia.
    Médico deveria ser uma profissão quase sagrada, devido a confiança que as familias entregam seus membros, totalmente a mercê desse que deveria ser anjo de branco, mas que muitas vezes faz papel de diabo…
    Que maravilha seria se os médicos tivessem a reputação que tem os bombeiros, que ganham na média, pelo menos cinco vezes menos, mas são mil vezes mais dedicados à profissão que escolheram e por isso são adorados pelo povo.
    Que papel lamentável senhores médicos, a maioria de vocês se formaram com dinheiro público, dinheiro dos impostos, em grande parte paga por familias pobres, que precisam do SUS, o único plano de saúde que eles tem direito, e vocês querem negar esse direito tão básico a eles!!!

  2. SUSCETÍVEL FEBRIL Says:

    […] Mesmo com mudanças, a máfia de branco quer derrubar MP do Programa Mais Médicos […]

  3. Marcos Pinto Basto Says:

    Fernanda, revolta muito ver esses doutores fazerem de tudo para boicotar assistência médica aos mais pobres, julgando-se os donos da sociedade quando na verdade, são eles os maiores culpados do SUS funcionar tão mal.
    Ainda existem médicos no Brasil que não estão no meio desses espertinhos!
    Circula na internet um vídeo que mostra os médicos da maternidade Leonor Mendes de Barros no Tatuapé/S.Paulo/SP, marcando o ponto eletrônico e saindo de seguida, não trabalhando. É uma pequena amostra do que se passa no Brasil inteiro. No SUS é uma vergonha como atendem os doentes. Esses doutorzinhos passam a ser vigiados pela população em geral e vão se dar mal.

  4. fernanda Says:

    uma vergonha esse tipo de profissional que vai tratar da vida humana e se porta com tamanha arrogância e insensibilidade , o que comprova que é urgente que se criem cursos de medicina sob outra visão, e com oportunidade a pessoas com verdadeira vocação e advindas de classes mais pobres porque esses filhos de racistas e preconceituosos idiotas que só querem ver o filho com o DR diante do nome, não servem para cuidar de nosso povo. Estes que podem pagar mil reais por mês em cursinho e logicamente acham que seria muito desmerecimento trabalhar no SUS botando a mão em pobres. COmo é que alguém que vai salvar vidas pode exigir que não sejam enviados médicos para o inteiror do país?

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: