Miguel do Rosário: O mensalão de Joaquim Barbosa

Joaquim_Barbosa92_Eda

Eda – que odeia a massa ignara e acha que ela não deveria ter direito a voto – é a do meio.

Miguel do Rosário em seu O Cafezinho

Os leitores estão pedindo provas mais substanciais de que Joaquim Barbosa recebe salários da Uerj sem trabalhar. Os documentos comprovam que ele está ativo, “exercendo atividades administrativas por autorização expressa do reitor da Uerj”. Para mim, isso é uma prova que ele recebe salário e benefícios da instituição. Minha fonte fez uma estimativa do que ele deve ter recebido de 2008 até hoje e chegou ao valor de R$700 mil. Agora estamos atrás do contracheque do ministro na Uerj, para identificar o valor exato de seu salário. Trata-se de um emprego público, ou melhor, de uma sinecura pública, de um homem público, e bota público nisso, que o diga o Luciano Huck.

O Cafezinho pode errar evidentemente. A gente faz o possível, mas a nossa equipe é muito pequena: um só. Então vamos esperar aparecer o contracheque do senhor Joaquim na Uerj, ou receber mais antes de continuar batendo o bumbo nessa história.

Observem que não estou apontando nenhum crime do Joaquim. Apenas mostrando que ele é apenas mais um marajá do serviço público, como tantos outros. Como disse um amigo do Twitter, era última virgem da zona. Não é mais.

Agora quero falar do mensalão de Joaquim Barbosa. Refiro-me ao emprego dele no Iesb, uma universidade que andou envolvida no escândalo da “multiplicação” de cursos, denunciado pela IstoÉ em fevereiro de 2000. Os outros ministros do STF dão aula na escolinha do Gilmar Mendes. Barbosa dá aula na escolinha da Eda, uma reacionária de coturno que defende o fim do direito ao voto para “analfabetos funcionais”.

Segundo minha fonte, Barbosa ganhava R$6 mil/mês em 2004 e hoje deve ganhar de R$10 mil a R$20 mil por mês para dar uma aula por ano. E que aula! Na aula que deu este ano, a quantidade de asneiras por segundo proferida por Joaquim Barbosa está concorrendo ao Guiness.

Até aí tudo bem. São os regabofes de sempre que a república de bananas oferece aos poderosos, não importando o grau de estultice dos mesmos. O negócio é que o Iesb, como já disse, é o mesmo curso denunciado numa reportagem da IstoÉ, como um dos que registraram crescimento “espantoso” na gestão de Paulo Renato, ministro da Educação no governo Fernando Henrique. Com um detalhe curioso: a dona do curso, a reitora Eda Machado, é mulher do então homem forte do Ministério da Educação, Edson Machado de Sousa.

Confira o trecho da reportagem da IstoÉ (íntegra aqui).

Aberto há dois anos, o Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) cresce a uma velocidade espantosa: já tem 12 cursos funcionando, soma 3 mil alunos e cobra uma mensalidade que, no caso do Direito, chega a R$570,00. O Iesb pertence a Eda Coutinho Barbosa Machado de Sousa, mulher do chefe de Gabinete do ministro Paulo Renato Souza, Edson Machado de Sousa. A mulher de Edson, uma professora aposentada que já trabalhou no MEC, juntou-se a dois empreendedores mato-grossenses e virou uma empresária do ensino. “Depois do Paulo Renato, houve um liberou geral no ensino superior. Mas isso gerou mais competição e o aluno passou a ter mais opções”, acredita ela.

Assim é a vida. Mensalão da Uerj, mensalão do Iesb, emprego pro filho na Globo. E quem paga o pato é o Pizzolato. Rimou.

***

Leia também:

O herói da mídia Joaquim Barbosa voa para ver o jogo do Brasil com dinheiro público

A Globo e Joaquim Barbosa são um caso indefensável de conflito de interesses

Joaquim Barbosa embolsou R$580 mil em auxílios atrasados

Joaquim Barbosa, quando quer, não domina a teoria do domínio do fato

De licença médica, Joaquim Barbosa bebe com amigos e emperra o STF

Nádegas de ouro: Reforma dos banheiros de Joaquim Barbosa custará R$90 mil

Reinaldo Azevedo: “A arrogância de Joaquim Barbosa é espantosa!”

O ético Joaquim Barbosa, o herói da mídia, usou passagens do STF quando estava de licença

Joaquim Barbosa ataca instituições democráticas do Brasil

STF paga viagem de jornalista de “O Globo”

Bater em mulher é covardia: Quando Joaquim Barbosa não era herói da mídia

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Miguel do Rosário: O mensalão de Joaquim Barbosa”

  1. florencio1 Says:

    Republicou isso em Florencio1's Blog.

  2. Todas as virtudes de Joaquim Barbosa | Conversa Afiada Says:

    […] e a UerjO super-herói Joaquim Barbosa recebeu R$700 mil da Uerj sem trabalhar e quer retroativosMiguel do Rosário: O mensalão de Joaquim BarbosaO herói da mídia Joaquim Barbosa voa para ver o jogo do Brasil com dinheiro públicoA Globo e […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: