TJMG: Processo que incrimina governantes mineiros desaparece

Aecio_Anastasia01

Anastasia e Aécio: Os processos contra eles sumiram.

Certidão do TJMG atesta que processo contendo provas de corrupção, assassinato e suborno que incriminam o grupo de Aécio Neves desapareceu.

Marco Aurélio Carone, via Novo Jornal

Só mesmo por meio da interferência de organismos internacionais a moralidade e a legalidade poderão ser restauradas em Minas Gerais. A princípio imaginava-se que uma intervenção federal seria suficiente para pôr fim as constantes quebras das garantias civis e do Estado Democrático de Direito, porém sabe-se agora que a organização criminosa que opera em Minas Gerais tem apoio e até mesmo participação de integrantes da máquina pública federal.

Hoje sem medo de cometer injustiça, pode-se afirmar que os diversos poderes do Estado de Minas Gerais encontram-se reféns de um grupo criminoso que ameaça, intimida, frauda, sequestra e mata sob a proteção das instituições do governo do Estado. A Polícia, o Ministério Público e a Justiça que deveriam combater a organização criminosa estão imobilizadas devido o comprometimento de seus dirigentes.

Não se pode isentar de culpa nem mesmo o governador, Antônio Anastasia, uma vez que é de seu total conhecimento o que vem ocorrendo no Estado. É bem verdade que Anastasia herdou de Aécio o esquema criminoso já montado, entretanto a permanência do mesmo assim como de seus integrantes junto à máquina pública estatal indiscutivelmente depende de sua cumplicidade.

Como já narrado em outras reportagens, Minas Gerais se transformou em um Estado perigoso de se viver, e principalmente para constituir família e criar filhos, em função da inversão de valores após a eleição de Aécio Neves em 2002. Diante de seus vícios e hábitos, sua ida para o Poder representou a captura das instituições do governo por seus companheiros de vício e práticas.

Literalmente, a droga, a corrupção e a pederastia, (não confundir com homossexualismo, opção sexual) passou a ser quesito primordial para escolha de seus assessores e auxiliares. Evidente que a imprensa pouco falou a este respeito devido à censura imposta, contudo os que não eram adeptos do vício e das práticas de Aécio foram afastados do círculo do Poder.

Até mesmo no interior do Estado, tal fato ocorreu através da eleição de prefeitos e vereadores adeptos do que se convencionou chamar de “modelo Aécio”.

Por justiça, é necessário destacar que a grande maioria dos integrantes do TJMG e do MPMG vem lutando contra este estado de desmanche institucional, porém, desembargadores, juízes, promotores e procuradores são impotentes diante do comprometimento de seus dirigentes com o “modelo Aécio”.

Durante seis anos tramitou no TJMG o processo nº 0024.06.001.850-4 oriundo do inquérito nº 1027539, colhendo provas e depoimentos de integrantes e vítimas do esquema criminoso montado no Poder Judiciário, no Ministério Público e na Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, até que o mesmo foi noticiado por Novojornal.

A partir deste momento o processo passou a tirar o sono de Aécio Neves, pois as investigações fatalmente chegariam a ele devido seu envolvimento em fatos apurados e citados nas investigações e da comprovada participação de seus principais assessores e amigos no esquema criminoso.

Além de Aécio, grandes empresários, advogados e alguns integrantes dos Poderes, Executivo, Legislativo, Judiciário do Ministério Público e da Polícia Civil de Minas Gerais também passaram a temer o processo.

Após a instauração do inquérito nº 3530 no STF em Brasília devido ao atentado contra Nilton Monteiro atribuído a Césio Soares Andrade, Eduardo Azeredo e Walfrido dos Mares Guia o processo anteriormente citado passou a ser cobrado insistentemente pela Polícia Federal, pelo STF e CNJ e ninguém o encontrava.

Segundo seus colegas, incansável foi à busca pelo advogado Dino Miraglia, nas diversas varas por onde passou o processo para encontrá-lo e comprovar serem verdadeiros os documentos e fatos narrados por Milton Monteiro, que embora não condenado, se encontra preso por prazo “indeterminado” sob a acusação de falsificação de documentos. Diante da insistência do Dr. Dino o TJMG foi obrigado a certificar que o processo havia desaparecido.

Consta da representação do Dr. Dino ao CNJ que o delegado Nabak vem avocando todas as investigações que tenham relação com o grupo criminoso a exemplo dos inquéritos que estavam sob sua presidência quando de sua transferência do DEOESP e de ser o responsável pelo desaparecimento do processo.

A atuação do delegado é igualmente investigada em vários procedimentos instaurados pelo Ministério Público Mineiro e através da Ação Penal do processo nº 0024.13.003.776-6 por ter ameaçado de morte o advogado de Monteiro, Dr. Dino Miraglia.

Enquanto isto, Nilton Monteiro permanece como preso político do PSDB mineiro, tendo em vista ter entregado a “Lista de Furnas”, a “Lista do Mourão”, AP 2280 ao STF e por ser a principal testemunha de acusação no processo do Mensalão tucano. Segundo versão corrente no meio jurídico, dificilmente o mesmo sairá vivo da prisão, principalmente, após o atentado conforme apurado no inquérito 3530 do STF.

Novojornal teve acesso à representação do Advogado Dino Miraglia e de Milton Monteiro ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ, acompanhada das principais peças constantes do processo desaparecido. Tais peças são disponibilizadas com exclusividade para nossos leitores. Trata-se de documentos que chocam qualquer cidadão comum, pois mostram as vísceras do Poder construído por Aécio Neves e seu grupo.

Importante: Todos os documentos apresentados nesta reportagem estão autenticados e a disposição do TJMG com o advogado Dr. Dino Miraglia, caso o Tribunal queira restaurar o processo desaparecido.

Tags: , , , , ,

13 Respostas to “TJMG: Processo que incrimina governantes mineiros desaparece”

  1. Valcir Barsanulfo Says:

    O Processo da Globo na Receita Federal sumiu, os porcessos do Aécio,/Anastasia somem em Minas. Tá estranha essa justiça.

  2. Hell Back Says:

    Vai dar em nada! Vai ser igual ao processo de cobrança da Receita Federal que desapareceu junto com a funcionária filmada em flagrante furtando o processo. O que será que aconteceu com aquele caso?

  3. Judite Rosa de Paula Says:

    FORA AÉCIO DO PÓ!!!NÃO QUEREMOS PRESIDENTE SUJO SEM CARÁCTER!!!VICIADO!!!FAZ USO DO DINHEIRO PÚBLICO AFUNDOU MINAS!!!!MARGINAL QUE DESJA SE TORNAR PRESIDENTE DA REPUBLICA!!!FORA DELIQUENTE O POVO DIZ NÃO JÁ TEMOS NOSSA PRESIDENTE DILMA!!!!

  4. Amanda Says:

    o único erro desse texto é o uso do termo homossexualismo (que designa doença). O correto é homossexualidade.

  5. Marcelo Says:

    Para um processo sumir tem que ter aprovação de várias pessoas e com certeza elas estão recebendo para isto

  6. Francisco Sales Filho Says:

    Como operante do direito vou dizer que esse petista não passa de um bobo, jamais o TJMG iria publicar desaparecimento de processo, seria um atestado de burrice e passivo de uma investigação. Deixe de ser otário petista aprenda fazer política e não use o latim: ´jus sperniandi´, direito de espernear pelo rombo na petrobrás
    FRANCISCO SALES FILHO
    OAB MG 65666
    CHICOSALES16@BOL.COM.BR
    .

  7. Josivânia Amorim Says:

    E A Pergunta Que Não Quer Calar, Quem Será Que Desapareceu Com O Processo?

  8. Herbert Rezende Says:

    Credo. Minas Gerais e a hipocrisia dos seus bandidos que atuam em organizações criminosas na política.
    Vade retro, Aécio Neves. Tu és um patife napoleônico! Pó pára por aí mesmo, canalha.

  9. Marcos Pinto Basto Says:

    Tudo é possível neste Brasil varonil! Aécio Neves é senador, Anastasia governador, Renan Calheiros presidente do congresso, Gilmar Mendes ministro do STF que já presidiu, FHC virou imortal assim como Sarney, sendo muito difícil estabelecer qual dos dois melhor representa o mal e assim vai esta Nação, sempre esperando uma solução que virá muito tardia! Lá no topo, em Brasília, estão faltando patriotas honestos sem medo de enfrentar os numerosos traidores que emporcalham este Brasil!

  10. Ivan Clides da Costa Says:

    Nem a máfia teve tamanho atrevimento. Bobos somos nós, que não enfrentamos essa quadrilha de frente. Eu não chamaria de desaparecimento de processo e sim de roubo de processo com conivência de agentes publicos, remunerados com dinheiro publico. Isso é o cúmulo da certeza de impunidade. O pior que essa certeza é real, nada vai acontecer. Uma criança vendendo dôce nas ruas, para ajudar no orçamento da família, gera processo aos seus pais. Uma criança se expondo na TV e ajudando no orçamento familiar é elogiada, e chamada de prodígio. Tendo em vista isso, que se esperar de nossa frágil democracia. SEM JUSTIÇA, SEM DEMOCRACIA.

  11. Marcos Pinto Basto Says:

    Maria Thereza esse negócio de sumirem com os processos é uma prática velha na justiça que tende a acabar com a evolução do uso dos computadores na internet, mas estranha-se muito a facilidade em roubar um processo…

  12. Maria Thereza Says:

    esse negócio de sumir processo está virando uma epidemia. Será que tem cursinho pra ensinar como faz isso?

  13. SUSCETÍVEL FEBRIL Says:

    […] TJMG: Processo que incrimina governantes mineiros desaparece […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: