A Parábola da Magnanimidade, por Lula

Lula_Careca06Lula deu a seus seguidores o magnífico exemplo de estender a mão ao adversário caído; pena que nem todos tenham se inspirado com seu gesto.

Paulo Nogueira, via Diário do Centro do Mundo

A grandeza de estender a mão ao adversário. Não sei se é verdade, mas acredito que sim. A fonte é um excelente jornalista, Luis Nassif. Eu chamaria a história de Parábola da Magnanimidade.

A ela.

Segundo Nassif, alguns meses atrás, Lula foi a um hospital se submeter a uma sessão a mais no tratamento de seu câncer. Lá, soube que Roberto Civita estava internado, e em situação pior. Lula foi massacrado pela revista Veja, sabemos todos.

E o que ele fez? Foi visitar Roberto Civita. Levar um abraço solidário. Raras vezes Lula terá agido com tamanha grandeza como naquele momento.

Ao ler aqui no Diário as demonstrações de ódio visceral, fanático, impiedoso de tantos admiradores de Lula por Roberto Civita no momento de sua morte sofrida, agoniada, cheguei à conclusão doída de que os admiradores de Lula não aprenderam uma lição de caráter essencial que ele, Lula, lhes deu.

A Parábola da Magnanimidade, tão importante na formação da alma, passou na frente deles, mas infelizmente eles não a notaram, tão ocupados estavam em cultivar um ódio que não leva a nada que não seja ruim.

***

Leia também:

Lula e Roberto Civita: A solidariedade no câncer e o fim da Editora Abril

4 Respostas to “A Parábola da Magnanimidade, por Lula”

  1. Raimundo Cazé Says:

    Lula apertar a mão do dono da Veja deve ter sido em busca de apoio da revista, assim como ele apertou a mão de Malluf, em busca de apoio a Haddad. Novidade seria se Lula e o dono da veja estivessem sadios. Dois doentes se abraçarem não constitui magnanimidade. Lula teve gestos mais magnânimos que esse, como o de levar Rose Noronha, mais de 20 vezes, na comitiva oficial, para o exterior, às custas dos cofres da “viúva”.

  2. Enrique Martinez Sarini Says:

    Não passa do beijo de Judas que se repite.

  3. Charge do Bessinha | SCOMBROS Says:

    […] A Parábola da Magnanimidade, por Lula […]

  4. Maria Amélia Martins Branco Says:

    Só um ser iluminado como Lula é capaz de tamanha solidariedade por um ser tão ínfimo.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: