Salário mínimo: As diferenças entre os governos FHC e Lula/Dilma

Histórico do salário mínimo brasileiro revela diferenças entre os governos FHC e Lula e desmentem historiador da “década perdida”.

Via Um historiador

Ontem [20/1], enquanto navegava pelas redes sociais, recebi uma mensagem que trazia uma planilha com o histórico do valor do salário mínimo entre os anos de 1995 a 2012. Como a mesma continha apenas o ano, o valor e o percentual de aumento em relação ao ano anterior, achei que, para fazer uma análise mais apurada, seria interessante complementá-la incluindo as colunas governo, inflação (IPCA), aumento real, cesta básica (SP), aumento da cesta, PIB e o valor equivalente em dólar.

Usando como fonte os dados fornecidos no site do IBGE (inflação IPCA) e do Dieese (valor da cesta básica), além do histórico do PIB publicado na página da revista Exame (clique aqui), consegui montar uma tabela que permite fazer uma comparação de indicadores econômicos que afetam diretamente a maior parte da população brasileira, que sobrevive a base do salário mínimo. Observem tabela abaixo:

Evolução do salário mínimo no Brasil entre os anos 1995–2012

Tabela_FHC_Lula01

Fontes: IBGE (inflação IPCA), Dieese (cesta básica), revista Exame (PIB).

Observando a tabela é possível perceber que durante o governo FHC, nos anos de 1999 e 2002, se descontarmos a inflação do período, o salário mínimo não só não aumentou, como perdeu seu valor: –4,32% e –1,42% respectivamente. Fato que não se repetiria durante os oito anos de governo Lula, e nem nos dois primeiros anos do governo Dilma.

Outra análise possível é observar que no ano em que Fernando Henrique Cardoso assume seu mandato (1995), o salário mínimo valia R$100,00 e, no ano de sua saída (2002), o mesmo valia R$200,00, o que demonstra um crescimento de 100% no período, sendo que desse aumento, se descontarmos a inflação dos oito anos, averiguamos um aumento real de 21,89% no salário. Por sua vez, Lula assume o mandato em 2003 com o salário mínimo valendo os R$200,00 deixados por FHC. No ano de sua saída (2010), o mesmo salário valia R$510,00, caracterizando, portanto, aumento de 155% em relação ao valor do início de seu mandato, e 53,6% de aumento real, descontando-se a inflação. Já nos dois primeiros anos do mandato de Dilma Rousseff, o salário mínimo passou de R$510,00, deixado pelo governo Lula, para R$622,00 no ano de 2012, o que representou aumento de 22% em dois anos de governo, dos quais 8,61% de aumento real.

Tabela_FHC_Lula02

Se compararmos o valor do salário mínimo em relação à cesta básica, por exemplo, veremos que durante o governo FHC, um salário mínimo comprava 1,15 cesta básica no primeiro ano de seu governo (1995) e 1,54 no último ano (2002), o que caracterizou aumento de 34,37% do poder de compra do trabalhador em relação à cesta básica. Durante o governo de Lula, um salário mínimo comprava 1,47 cesta básica no primeiro ano (2003), e 2,27 cestas no último ano de seu governo (2010), crescimento de 53,73% no poder de compra em relação à cesta básica. Já no governo de Dilma, nesses dois primeiros anos observa-se uma pequena retração em relação ao período Lula, sendo que um salário mínimo comprava 2,09 cestas básicas no primeiro ano (2011) e 2,18 cestas no segundo ano (2012), como demonstra a tabela.

Além disso, durante os oito anos do governo FHC, o salário mínimo teve elevação real pouco superior ao crescimento do PIB brasileiro no período. A soma dos índices mostram que houve 21,89% de aumento real do salário mínimo, enquanto o PIB cresceu 18,4% (diferença de 3,49%). Já durante os oito anos do governo Lula, o salário mínimo tem elevação real de 53,60%, enquanto o PIB no mesmo período cresceu 32,5% (diferença de 21,1%). Como não poderia deixar de ser, Dilma segue o caminho traçado por Lula, sendo que nos dois primeiros anos de seu governo o salário mínimo teve aumento real de 8,61%, enquanto o PIB no período cresceu 3,7% (diferença de 4,91% pró Salário Mínimo), conforme demonstra o gráfico abaixo.

Gráfico comparando o crescimento do salário mínimo em relação ao PIB durante os governos FHC, Lula e Dilma

Grafico_FHC_Lula.jpg

Por José Rogério Beier.
*Os números do governo Dilma são relativos apenas aos dois primeiros anos de seu mandato (2011–2012).

A comparação realizada no gráfico acima permite perceber que, durante o governo Lula, o salário mínimo, além de ter um significativo aumento real em seu valor (53,60%), também teve crescimento relevante em relação ao PIB brasileiro (32,5%). Tal observação demonstra cabalmente o modo pelo qual o governo de Lula conseguiu içar da linha da miséria dezenas de milhões de brasileiros. Além disso, o gráfico também demonstra melhor distribuição de renda no Brasil durante o governo Lula e a continuação dessa política no governo Dilma (que em apenas dois anos de governo, já fez com que o salário mínimo crescesse 4,9% a mais do que o PIB do período. Marca superior aos oito anos da gestão FHC).

Vale ainda observar que, embora alguns setores tenham amargado um encolhimento nesse período, grande número da população, que vive a base do salário mínimo, viu seu rendimento crescer substancialmente durante o governo Lula. Em 2009, por exemplo, enquanto o PIB brasileiro amargou uma queda de 0,3% em função da crise que assolou Estados Unidos e Europa, o salário mínimo teve um aumento real de 7,74%. Talvez isso ajude a explicar um pouco do ódio que boa parte da classe média nutre contra o Lula e seu partido.

Diferentemente do que ocorreu com outros historiadores, quando olho para números como estes, constato como o Brasil mudou na última década. Uma mudança há muito esperada e tantas vezes adiada. Há muito ainda o que melhorar, sem dúvida, mas a direção de combater a miséria e tornar digna a vida de boa parte de nossa população é, sem dúvida alguma, uma decisão acertada de nosso governo. Esses números demonstram cabalmente como, durante a última década, essa batalha vem sendo vencida e, diante deles, jamais poderíamos considerar esta década como perdida. Fazê-lo, além de ser um grande equívoco, é revelar um olhar enviesado, aquele mesmo velho olhar com o qual os primeiros historiadores do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) miravam para o Brasil para contar a sua história, ou seja, das caravelas para o litoral ou, se preferirem, da casa-grande para a senzala. Esse olhar, há muito tempo, já não cabe para contar a história de qualquer país. Ao que parece, o senhor Marco Antônio Villa se esqueceu disso.

***

Leia também:

Reajuste do salário mínimo em 2013 leva a aumento real de 70% em dez anos

Chora tucanada: Auumento do salário e programas de distribuição de renda fazem pobreza cair 36% no Brasil

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Salário mínimo: As diferenças entre os governos FHC e Lula/Dilma”

  1. javan Says:

    Qual a novidade? Só não sabe disso quem não quer, faz de conta que não sabe, e doente do pé ou da cabeça, os que tem Alzheimer, ou é burro mesmo….. e os que tem ódio de pobres e os que odeiam pagar 100 reais para uma diarista.

  2. Bruno Says:

    A comparação está toda errada. Você coloca o valor de maio de 1995 como ponto de partida, mas FHC assumiu em janeiro de 1995, quando era 70 reais. Você desconsiderou o aumento de maio, o primeiro do governo, e coloca como crescimento zero esse ano.

    Com Lula, você considerou o aumento de 2003 sobre 2002.

    Se você fizer a conta corretamente, o aumento de FHC se equivale ao do Lula.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: