Enquanto PCC atacava, secretário de Segurança de Alckmin torcia pelo Corinthians na Argentina

Diário Oficial mostra folga concedida a secretário Ferreira Pinto, que foi a jogo de futebol em meio a nova onda de violência

Helena Sthephanowitz, via Rede Brasil Atual em 29/6/2012

É comum autoridades interromperem férias quando estoura uma crise. Mas um secretário de Segurança Pública tirar folga em meio a uma crise de segurança é inovação do “choque de gestão” tucano. Mas foi o que fez o secretário de Segurança do governador de Geraldo Alckmin (PSDB/SP).

Há cerca de 15 dias, todas as indicações levam a crer que a organização criminosa PCC voltou a atacar, incendiando ônibus e executando policiais paulistas. Já foram assassinados nove policiais e queimados dez ônibus. Ainda há os postos policiais atacados com tiros, sem vítimas, e a imposição do toque de recolher, inclusive em bairros paulistanos, quando os bandidos intimidam comerciantes, obrigando a fechar seus estabelecimentos.

Porém, mesmo com esse quadro de crise em curso, o secretário Antônio Ferreira Pinto pediu – e o governador autorizou – dois dias de folga, na quarta e na quinta-feira, 25 e 26. Depois ficamos sabendo o motivo: corintiano fanático, o secretário tucano não abriu mão de ir até a Argentina torcer pelo seu time contra o Boca Juniors, no primeiro jogo da final da copa Libertadores da América.

Só no dia da partida, seis ônibus haviam sido queimados em 24 horas. O jornal Estadão procurou o secretário para o entrevistar, e não o encontrava. Já corria a informação da viagem mas, estranhamente, ninguém no governo confirmava.

Só às 20h30, Ferreira Pinto ligou para o jornal: “Estou na Argentina. […] Pela primeira vez, tirei licença de dois dias. […] Está sob controle. Se houvesse qualquer risco real à segurança, nas ruas ou nos presídios, eu teria cancelado a viagem. O que existe é uma onda de boatos e casos isolados que estão sendo investigados pela polícia e os autores desses crimes, presos […] mesmo de folga, estou em contato com todos, por meio do telefone, de e-mail. Acompanho a situação. Mas há pessoas que têm o interesse em desestabilizar a segurança e exploram essa informação. Fiz tudo dentro da legalidade. Pedi autorização e licença”, disse Pinto.

O jornal engoliu a explicação sem maiores críticas. Será que a atitude seria a mesma se não o governo do estado não fosse tucano?

Leia também:
No acordo entre PCC e Alckmin, o Estado de São Paulo se rendeu ao mundo do crime
Recordar é viver: Em 2010, Alckmin pediu voto para chefão do PCC
Alckmin e Marcola: A volta dos que não foram ou a fuga dos que não fugiram
Geraldo Alckmin provoca diarreia em São Paulo
Manobra de Alckmin na Nota Fiscal Paulista pode prejudicar arrecadação de impostos
Corrupção na Receita paulista: Cadê o Alckmin?
Alckmin diz que plano de contingência contra racionamento é “papelório inútil”
Vídeo: Deputado Sílvio Costa aponta a bipolaridade dos golpistas da oposição
Alckmin fura fila e é vaiado em São Paulo
Dilma chamou golpistas pra briga. Vão encarar?
Choque tucano de gestão: Alckmin afirma que “ninguém ficou sem água” em São Paulo
Choque tucano de gestão: Sabesp cobra mais de escola pública do que de vips
O PSDB e a falta de respeito pela democracia
37 mil afetados: Alckmin reduz programa de leite para crianças carentes
Em São Paulo, pedágio mais caro do país é reajustado
São Paulo: O encarceramento em massa como política de segurança
Person of the year: FHC fala mal do Brasil e espanta investidores que Alckmin queria atrair
Um mistério: Como Alckmin sobrevive à sua mediocridade?
Marcha da Família conta com o apoio de Geraldo Alckmin
Para especialistas, fuga espetacular do PCC foi jogada eleitoral e arriscada
Documento acusa Alckmin de criar “falsa impressão” ao tentar atenuar desabastecimento de água
Plínio de Arruda Sampaio: “Ponho a mão no fogo pelo Alckmin.”
Choque de gestão: Alckmin tira recursos da segurança e educação
E se faltar água em São Paulo?
Racionamento de água e a sina do PSDB
Luciano Martins Costa: A reportagem que nunca foi escrita
Carlos Neder: Alckmin fez opção pela lógica da violência
Alckmin compromete abastecimento de São Paulo pelos próximos cinco anos
Seca: Procuradores acusam Alckmin de provocar colapso no Sistema Cantareira
Em 2010, Alckmin pediu voto para chefão do PCC
Documentos secretos revelam a relação entre PCC e parte da PM de São Paulo
Geraldo Alckmin usou ameaça do PCC para se promover
Trensalão tucano: Cartel dá R$307 milhões de prejuízo à CPTM e Alckmin se finge de morto
Trensalão tucano: As pegadas recentes do cartel de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin
Trensalão tucano: Novos documentos da Alstom incriminam ainda mais Serra e Alckmin
Trensalão tucano: As pegadas recentes do cartel de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin
A mídia se cala sobre as 27 novas taxas de Geraldo Alckmin
Com invasão da Cracolândia, Alckmin insiste em demonstrar que São Paulo é o túmulo da política
E ele diz que não sabe de nada: Siemens e Alstom financiaram Alckmin e outros tucanos
Por que Alckmin é tão blindado pela “grande mídia”?
O feito extraordinário de Alckmin
Alckmin torra R$87 milhões em propaganda inútil da Sabesp
Trensalão tucano: Delator confirma propina aos amigos de Alckmin
Até o editor de jornal tucano não aguenta mais a corrupção no governo Alckmin
Alckmin não investigou nada sobre o trensalão e pede conclusão rápida das apurações
Os “vândalos” do Metrô: Alckmin acha que pode resolver tudo com a polícia
Alckmin abre arquivos do Dops ao lado de assessor pró-golpe de 64
Novo secretário particular de Alckmin lidera a ultradireita brasileira
O jovem velho que é a cara do PSDB
Ditadura militar: Marcelo Rubens Paiva quer retratação de Alckmin
Endireita, São Paulo: Os depoimentos de peessedebista histórico sobre o governo Alckmin
Conheça a biografia de Geraldo Alckmin
José Serra deflagra operação Sabesp
Vídeo: Da crise hídrica à crise democrática
No auge da crise hídrica e durante a campanha eleitoral, Sabesp triplicou gastos com publicidade
Gestão tucana: Caos social por falta de água em São Paulo
ONU considera crise hídrica em SP uma violação aos direitos humanos
Depois de destinar R$4,3 bilhões a acionistas, Alckmin quer aumentar preço da água
Gestão tucana: Se o Tietê estivesse despoluído, ele poderia salvar São Paulo da crise hídrica
Sabesp é generosa com acionistas, mas não com investimentos em infraestrutura
Memória seletiva: Folha diz que alerta para crise hídrica desde 2001. De uma hora pra outra esqueceu
Vladimir Safatle: A crise da água e a transferência de responsabilidades
Diretor da Sabesp: “Saiam de São Paulo porque aqui não vai ter água.”
Enquanto a Petrobras é massacrada, a Sabesp é convenientemente esquecida
Lógica financeira da Sabesp marginaliza tratamento de esgoto e limpeza de rios
Escolas fechadas, fuga da cidade, caminhões-pipa: O cenário possível de São Paulo sem água
A fina flor da demagogia barata
Folha, 12/10/2003: São Paulo só atende demanda por água até 2010
Se o rodízio de 24 horas fosse feito em 2014, haveria economia de 12,3% do Cantareira
Está chegando o dia: Rio Tietê perderá o cheiro ruim até 2015, diz governo
Agora é oficial: Ministério Público aponta responsabilidade de Alckmin na crise da água
Alckmin pode não ter solução para a água, mas já tem estratégia de mídia
Estelionato eleitoral: Cronologia das pérolas ditas por Alckmin durante a crise hídrica
São Paulo: Por trás da falta d’água, privatização e ganância
Sabesp ignorou regra que reduziria risco de falta de água em São Paulo
Em 2013, devido à falta de manutenção nas tubulações, Sabesp desperdiçou uma Cantareira
“Oh, happy days”: A festa da Sabesp em Nova Iorque e a falta de água em São Paulo
Alguém precisa acordar Alckmin
Os 10 mitos sobre a crise hídrica
Os tucanos já gastaram US$3,6 bilhões para limpar o Tietê, mas o rio continua poluído
O que sai no jornal ou “o racionamento dos fatos”
Em 2009, Serra foi alertado para a crise hídrica de 2015. E não fez nada
Para entender a escassez de água
Sabesp se nega a publicar contratos de empresas que mais consomem água
Luciano Martins Costa: A ordem é preservar Alckmin e criminalizar a população
Empresas começam a deixar São Paulo pela falta d’água
Falta luz? Nos últimos anos, Eletropaulo cortou investimentos
Sabesp: Do Cantareira para a Bolsa de Nova Iorque
Em São Paulo, 360 quilômetros de Metro: Era a previsão de 1968
Secretário de Alckmin diz que reclamações sobre falta d’água em São Paulo são “exibicionismo”
Catástrofe social, econômica e ambiental ronda o estado de São Paulo
É hora de Fernando Haddad coordenar a luta contra a falta de água

Tags: , , , , , , , ,

Uma resposta to “Enquanto PCC atacava, secretário de Segurança de Alckmin torcia pelo Corinthians na Argentina”

  1. Onda de violência cresce em São Paulo « novobloglimpinhoecheiroso Says:

    […] também: Enquanto PCC atacava, secretário de Segurança de Alckmin torcia pelo Corinthias na Argentina […]

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: