Mercosul suspende participação do Paraguai da próxima cúpula do bloco

Onde houver um golpe, a Igreja Católica está presente:
Federico Franco se reúne com o núncio católico Eliseo Ariotti.

Via Reuters

O bloco comercial Mercosul suspendeu no domingo, dia 24, a participação do Paraguai na próxima cúpula regional que o grupo realizará na semana que vem, informou a chancelaria argentina.

Em comunicado, a chancelaria argentina informou que os países-membros do Mercosul e os Estados associados expressaram “sua mais enérgica condenação à ruptura da ordem democrática na República do Paraguai, por não ter sido respeitado o devido processo”.

Por isso, decidiram “suspender o Paraguai de forma imediata e, por este ato, do direito de participar da Reunião do Conselho do Mercado Comum e da cúpula de presidentes do Mercosul”.

O Paraguai deve ser suspenso do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) após o golpe sofrido pelo presidente Fernando Lugo, disse uma fonte de alto escalão do governo brasileiro à Reuters. “O ponto é transformar este novo governo [paraguaio] em um pária”, finalizou a fonte à Reuters.

Na sexta-feira, dia 22, o Senado do Paraguai decidiu por ampla maioria aprovar o impeachment de Lugo, sob acusação de não ter cumprido suas funções adequadamente no episódio em que 17 sem-terras foram mortos num confronto com a polícia. No mesmo dia o então vice-presidente, Federico Franco, assumiu como novo chefe de Estado.

Em nota divulgada na noite de sábado, dia 23, o Itamaraty condenou o que chamou de “ruptura da ordem democrática” no país vizinho e avaliou que Lugo não teve garantido amplo direito de defesa, já que o processo de julgamento político havia sido aberto na quinta-feira, dia 21.

Segundo a fonte do governo brasileiro, o embaixador do país em Assunção, chamado de volta para consultas, não deve retornar ao Paraguai. Essa autoridade disse ainda que o Brasil não pretende romper completamente suas relações com o Paraguai por conta de interesses brasileiros no país, como a usina hidrelétrica binacional de Itaipu.

A fonte disse ainda que o governo brasileiro não manterá contatos com Franco e manterá sua tradição de atuar no caso por meio de organismos multilaterais.

Essa estratégia, segundo essa autoridade, tem o objetivo de abrir um precedente que deixe claro a gravidade das consequências de fatos como o ocorrido no Paraguai.

Especificamente, a meta é garantir que nada parecido aconteça em outros países, como Bolívia e o Peru.

“Essa é uma reação institucional que mostrará aos outros as consequências negativas de uma medida agressiva como essa”, completou a fonte.

Tags: , , , , , , , , , , ,

Uma resposta to “Mercosul suspende participação do Paraguai da próxima cúpula do bloco”

  1. alexprocesso Says:

    Reblogged this on Alexandre Melo Franco Bahia.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: